go to content
Community

Os 10 maiores vexames da seleção brasileira em todos os tempos

Nem sempre a seleção brasileira deu show e brilhou. Em algumas ocasiões foi inevitável passar por um resultado constrangedor e humilhante. Relembre os 10 maiores fiascos do time canarinho.

publicado

#10 - O vice campeonato de 1998.

Via e.imguol.com

Quando: Copa do Mundo de 1998

Placar: França 3 x 0 Brasil

Atual campeão do Mundo, o Brasil entrou como franco favorito para celebrar o penta na Copa da França. Após o corte de Romário, a responsabilidade caiu sobre o jovem Ronaldo, considerado um fenômeno e melhor jogador do Mundo à época. Com uma equipe que contava com remanescentes do tetra e ótimos jogadores que surgiram nos quatro anos seguintes, o Brasil mostrava bom futebol e muita vontade durante a Copa, que o credenciava a vencer a dona da casa, que aos trancos e barranco chegou na decisão.

E então, algo que ainda hoje é motivo de desconfiança teria acontecido: Horas antes do grande jogo, a estrela da camisa 9 teria sofrido uma convulsão e ficado num estado assustador para seus colegas de equipe que cogitaram que o jovem craque poderia até morrer no dia da final. Ronaldo então se recuperou e foi a campo, a seleção visivelmente abatida foi presa fácil para a inspirada equipe comandada por Zidane.

Há quem diga que não houve convulsão e sim um acerto da patrocinadora da seleção para a compra da venda do título em favor de ótimos resultados futuros, em um dos maiores boatos que circulam na internet até hoje com o célebre bordão "Se vocês soubessem o que aconteceu, ficariam enojados."

Até hoje nada foi comprovado.

#09 - Goleada Uruguaia em 1920

Via planotatico.com

Quando: Copa América de 1920.

Placar: Uruguai 6 x 0 Brasil

Em 1920, o Brasil foi uma das seleções que disputavam a recém criada Copa América. Contando com apenas quatro equipes: Brasil, Argentina, Chile e Uruguai. Com o Uruguai, que na época era a maior seleção do Mundo, vencendo esta edição da Copa América e nos anos seguintes sendo bicampeões olímpicos (que na época equivaliam ao Campeonato Mundial que ainda não existia).

Na segunda rodada daquela competição, o Brasil enfrentou o Uruguai, que não tomou conhecimento do adversário e aplicou a maior goleada já sofrida pelo país, até 2014.

Sendo o Brasil ainda era um país novato no esporte, a goleada não foi recebida com espanto e a derrota para a maior equipe do planeta na época não seria algo incomum, como veremos nos resultados a seguir.

#08 - A primeira goleada em casa

Via futebolportenho.com.br

Quando: Copa Roca de 1939

Placar: Brasil 1 x 5 Argentina

A Copa Roca era o antigo nome do atual "Superclássico das Américas", onde Brasil e Argentina disputam desde 1914 jogos ida e volta em seus países para decidir o título.

Na edição de 1939, o Brasil recebeu a Argentina em São Januário e foi goleado por 5 a 1 diante de sua torcida.

No jogo da volta, o Brasil venceria por 3 a 2 em Buenos Aires, mas com o empate na prorrogação e a vitória dos hermanos no terceiro e decisivo jogo deram aos vizinhos o título dessa edição e a lembrança da inesquecível goleada sofrida em casa.

#07 - A derrota com mais gols sofridos

Via timraimundo.blogspot.com.br

Quando: Amistoso em 1934

Placar: Iugoslávia 8 x 4 Brasil

Em um amistoso realizado em Belgrado, na antiga Iugoslávia, a Seleção Brasileira que há pouco havia sido eliminada da segunda Copa do Mundo foi derrotada de maneira maiúscula pela dona da casa por 8 a 4, até hoje (por pouco) a vez que mais gols nossa seleção sofreu gols em partidas oficiais.

#06 - A tragédia do Sarriá

Via notasdelfutbol.com

Quando: Copa do Mundo de 1982

Placar: Itália 3 x 2 Brasil

A seleção brasileira, comandada por Telê Santana, foi um dos destaques da copa, com jogadores como Leandro, Júnior, Toninho Cerezo, Falcão, Zico, Sócrates e Éder e com um futebol ofensivo e bonito, que não se via desde a seleção de 1970.

Tudo indicava que o Brasil venceria a Copa naquele ano e jogo após jogo o favoritismo era confirmado. Até a segunda fase.

Com um modelo de disputa diferente dos atuais, a Copa daquele ano teve uma segunda fase com um grupo formado por Brasil, Itália e Argentina. Quem pontuasse mais no grupo passaria para as semi-finais e seguiria a diante rumo ao título.

A Itália venceu seu primeiro jogo contra a Argentina por 2 a 1, enquanto o Brasil vencera por 3 a 1 contra o rival sulamericano. Bastava ao Brasil um simples empate contra o contestado time italiano - que até então só havia vencido uma partida na Copa toda - para avançar.

O time italiano apertou a marcação e abriu o placar. O Brasil conseguiu por duas vezes empatar mas nos minutos finais Paolo Rossi (que já havia marcado os outros gols da Itália) decretaria a traumática eliminação da "melhor seleção brasileira da história".

Mesmo com um time considerado fraco pelos entendidos da época, a Itália seguiu até conquistar seu tricampeonato mundial, para surpresa de toda crônica que apostava no Brasil.

#05 - Maracanazzo

Via portalpower.com.br

Quando: Copa do Mundo 1950

Placar: Brasil 1 x 2 Uruguai

Até recentemente, a maior ferida aberta da história do futebol brasileiro, presenciada por aproximadamente 200 mil pessoas que lotaram o recém inaugurado estádio do Maracanã com a certeza que o Brasil finalmente seria campeão do mundo de futebol.

Depois da segunda Guerra Mundial, a Copa do Mundo voltava a ser disputada, desta vez em nossa casa. O futebol já era o esporte mais popular do país e desde a terceira colocação obtida em 1938, os brasileiros alimentavam o sonho do primeiro título que ficou muito perto naquela tarde de 16 de Julho de 1950.

Para definir o campeão, as seleções iam disputando fase a fase, até chegar em um quadrangular final, que foi disputado por Brasil, Uruguai, Suécia e Espanha.

O Brasil fez ótima campanha durante todo o campeonato e neste quadrangular atropelo a Suécia (7 a 1) e a Espanha (6 a 1) e precisava apenas de um empate contra o Uruguai para finalmente levantar o troféu Jules Rimet. Tudo se encaminhava para o sucesso, quando Friaça abriu o placar para o Brasil. E então, o inesperado aconteceu... Em duas falhas da zaga brasileira os atacantes uruguaios marcaram os gols da virada e do segundo título da Celeste.

#04 - Eliminação de Ouro

Via msalx.veja.abril.com.br

Quando: Olimpíadas de 2000

Placar: Camarões 2 x 1 Brasil

A seleção brasileira vinha de um fracasso nas olimpíadas de 1996 e de um vice campeonato na Copa de 1998. Com o time sub 23 bastante forte, veio com franco favoritismo para vencer o tão sonhado ouro e com nomes de destaque no futebol mundial, tinha uma seleção fortíssima que contava com nomes como Alex, Ronaldinho Gaúcho, Roger, Fábio Aurélio e muitos outros nomes de peso, sob o comando do técnico Vanderlei Luxemburgo (Curiosidade: na época o nome do treinador se escrevia Wanderley, o mesmo mudou anos depois por numerologia.)

Camarões não era favorito e o agravante: durante a partida teve dois jogadores expulsos.

O Brasil, por mais que tentasse, não conseguia superar a defesa camaronesa e apenas nos últimos minutos conseguiu, em cobrança de falta de Ronaldinho, empatar o jogo e levar para a morte súbita, onde os Camaroneses marcaram o gol que culminava na eliminação precoce do Brasil.

Camarões ficou com a medalhe de Ouro daquela edição, enquanto o Brasil sequer chegou a disputar medalhas.

#03 O carrasco Kanu

Via msalx.placar.abril.com.br

Quando: Olimpíadas de 1996

Placar: Brasil 3 x 4 Nigéria

A seleção brasileira já havia experimentado o gosto da medalha de prata por duas vezes em 1984 e 1988. Após o tetra nos EUA em 1994, tudo indicava que o Ouro viria finalmente em Atlanta, em 1996.

Com uma equipe formada por grandes nomes como Bebeto e Aldair, como destaques que ainda não eram os grandes nomes que viriam a se tornar, mas já demonstravam qualidade como Rivaldo, Roberto Carlos e o mais importante deles, o fenômeno Ronaldinho, o Brasil ia derrotando a Nigéria por 3 a 1 até os 35 minutos do segundo tempo e aparentemente iria para a decisão e buscar o título.

E o que ninguém esperava aconteceu: a Nigéria conseguira em falhas absurdas daquele timaço empatar o jogo e levá-lo para a prorrogação. E na prorrogação, o mesmo Kanu, que já havia marcado o gol de empate fez o gol de ouro que acabava com as chances do Brasil disputar a final.

A Nigéria venceria o torneio e o Brasil ficaria com o amargo bronze.

#02 - Eliminação (Hon)dura(s) de entender

Veja este vídeo no YouTube

youtube.com

Quando: Copa América de 2001

Placar: Honduras 2 x 0 Brasil

A caminho da Copa de 2002, vários treinadores de nome tinham a missão de levar nosso país para o Japão e Coréia. E então, chegou a vez de Luís Felipe Scolari assumir a seleção e tentar evitar o vexame de não classificar a contestada vice-campeã de 1998 em reformulação.

Em uma de suas primeiras tarefas, veio a Copa América de 2001.

Arriscando alguns nomes novos do que vinham sendo convocados com Luxemburgo e Leão, Felipão começava ali a montar a base que seria pentacampeã no ano seguinte. Porém, mesmo tendo uma sólida formação e nomes de destaque, a seleção canarinho não conseguiu passar pela defesa Hondurenha durante o jogo todo e para desespero da torcida, sofreu um gol em falha bisonha da zaga.

Com a sensação que faria o gol na hora que quisesse, a equipe começou a trabalhar na base do desespero e mesmo assim não conseguia marcar o gol de empate.

E quando tudo parecia que ia terminar em um vexame por ''um gol achado" se tornou num drama, quando Martinez marcou o segundo gol de Honduras e pôs em risco o cargo do treinador pela derrota inexplicável diante de um país com quase zero de tradição no esporte.

Até a nossa primeira colocação, esse seria o maior vexame que a seleção até o momento tetracampeã, do país do futebol e do Rei Pelé sofreria...

#01 - Foi pouco?

Martin Meissner / AP / Via trivela.uol.com.br

Quando: Copa do Mundo de 2014

Placar: Brasil 1 x 7 Alemanha

O mais recente, mais doloroso e maior vexame de toda a história do Brasil em termos de futebol.

Nada se compara ao fatídico dia 08 de Julho de 2014, onde todos os torcedores imaginavam que seria um jogo duro, é verdade, mas nunca humilhante.

Nas palavras de Galvão Bueno: “É uma grande seleção contra um time de meninos” ou o clássico que virou meme "virou passeio". Uma seleção perdida e sem seu principal craque, Neymar, viu a Alemanha jogar e não demonstrou reação alguma conforme a bola ia entrando na rede. Para desespero da incrédula torcida.

Nunca antes na história de uma Copa do Mundo, uma goleada tão grande foi aplicada em uma fase decisiva, e para piorar, foi em nossa Copa do Mundo, em nossa casa.

Além de ser o maior vexame da história, os 7 a 1 aplicados pela Alemanha (que poderia ter sido ainda maior, não fosse os erros dos atacantes alemães), a derrota mostrou uma geração preocupante para o futuro brasileiro no futebol.

Diferente dos outros 9 citados acima, sem dúvidas que este vexame será o único a demorar para ser esquecido. Vamos ver o que o futuro reserva.

Este post foi criado por um membro da comunidade do BuzzFeed, onde qualquer pessoa pode publicar listas e criações maravilhosas. Learn more ou publique o seu buzz!

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss