back to top

Tudo o que você precisa saber sobre o homem de 39 anos que pode ser o próximo presidente da França

Emmanuel Macron é o candidato de centro que está liderando as pesquisas presidenciais, estando pouco à frente de Marine Le Pen.

publicado

Olá! Este é Emmanuel Macron.

Bertrand Guay / AFP / Getty Images

Macron está concorrendo à Presidência da França, onde os eleitores irão às urnas no dia 23 de abril para o primeiro turno das eleições. Ele é mais conhecido por:

— não ser um candidato nem de esquerda nem de direita (mas também por não ser de centro, de cima ou de baixo).

— ser casado com sua antiga professora de inglês (ela tem 63 anos, ele tem 39).

— ser o mais jovem dos 11 candidatos à Presidência.

— seu discurso bastante acalorado durante um comício de campanha em dezembro, quando virou um meme.

Ah e também por esta foto de Macron e sua esposa em uma praia com vestimentas opcionais (eles estão à esquerda, com roupas azuis). 👀

#Macron paparazzé en train de mater sur une plage nudiste...

Macron está super feliz no momento, já que está indo muito bem nas pesquisas de intenção de voto.

giphy.com / Via France 2

Em um cenário em que o candidato republicano François Fillon está envolvido em cerca de 35.600 escândalos e o socialista Benoit Hamon tentando unir a esquerda, as chances de vitória de Macron estão crescendo. No entanto, ainda não está claro se ele pode derrotar a candidata de extrema direita Marine Le Pen, que está atualmente apenas um ponto percentual atrás dele nas pesquisas do primeiro turno.

Há um ano, ninguém apostaria na vitória de Macron como presidente da França. Afinal, ele não era muito conhecido no cenário político até 2014, quando se tornou ministro da economia do presidente socialista François Hollande.

Eric Feferberg / AFP / Getty Images

Ele serviu apenas dois anos no governo de Hollande. Veja alguns destaques de sua passagem:

— a lei Macron, que teve como objetivo reduzir a burocracia. A lei tornou mais fácil para as pessoas mudarem de banco, para as rotas dos ônibus serem atualizadas e concedeu maior flexibilidade às lojas para abrirem aos domingos (sim, na França existem leis contra isso).

— seu comentário que se transformou em uma avalanche de memes, ao dizer para um sindicalista que "a melhor forma de comprar um terno é arrumando um trabalho".

— a criação de seu movimento "En Marche!" ou "Em Marcha!"

— sua declaração dizendo que ele "não é um socialista" e que gosta do Puy du Fou, um parque temático fundado por um político de direita.

Antes de anunciar sua candidatura à Presidência, Macron se posicionou como um candidato de mudança que "incomoda a história" e "preocupa o sistema".

giphy.com

Alerta de spoiler: isso não é verdade. Macron é um ex-investidor bancário que passou por muitas das mesmas instituições de elite em que ele está prometendo interferir.

Em agosto de 2016, ele ~discretamente~ pediu sua saída do governo Hollande navegando pelo Rio Sena para entregar pessoalmente sua carta de renúncia ao presidente.

BFMTV
BFMTV

Estava beeeeeem claro que ele estava se afastando para que pudesse concorrer à Presidência. Mas ele surpreendeu a classe política da França ao esperar três meses para anunciar sua candidatura, em novembro de 2016.

Para falar a verdade, os jornalistas franceses já estavam de saco cheio dessa história de "será que ele vai concorrer ou não". No entanto, os adversários de Macron no Partido Socialista e na Frente Nacional de extrema direita rapidamente acusaram a imprensa de transformá-lo em seu candidato favorito.
Lionel Bonaventure / AFP / Getty Images

Para falar a verdade, os jornalistas franceses já estavam de saco cheio dessa história de "será que ele vai concorrer ou não". No entanto, os adversários de Macron no Partido Socialista e na Frente Nacional de extrema direita rapidamente acusaram a imprensa de transformá-lo em seu candidato favorito.

Macron passou aos poucos de um candidato azarão para favorito na disputa. Seu comício de campanha no Porte de Versailles em dezembro de 2016 foi impressionante.

Kamil Zihnioglu / AP

Foi naquele local e momento, durante esse ~intenso discurso~, que nasceu o meme que acabou viralizando sobre o "projeto" de Macron. É meio que uma versão francesa do grito de Howard Dean em 2004, exceto que não pareceu tê-lo machucado.

Veja este vídeo no YouTube

youtube.com

Macron fala aos berros no vídeo sobre a responsabilidade de seus apoiadores de conduzirem "nosso projeto" e ajudá-lo a vencer a disputa pela Presidência. Mesmo que você não entenda nada de francês, dá pra perceber que ele precisou de algumas pastilhas para a garganta e um chá após o discurso.

Enquanto Macron continuava a angariar apoiadores entre a classe política da França, um deles mudou tudo: François Bayrou, o vovô dos centristas franceses.

Bayrou (na foto com Macron) é um candidato centrista que aparece a cada 5 anos durante a disputa presidencial. Basicamente ele está na política por mais tempo que possamos lembrar, mas nós nunca sabemos se ele está mais inclinado para a esquerda ou para a direita.O apoio de Bayrou chocou a França e provou ser de grande valor para angariar votos a Macron.
Jacques Demarthon / AFP / Getty Images

Bayrou (na foto com Macron) é um candidato centrista que aparece a cada 5 anos durante a disputa presidencial. Basicamente ele está na política por mais tempo que possamos lembrar, mas nós nunca sabemos se ele está mais inclinado para a esquerda ou para a direita.

O apoio de Bayrou chocou a França e provou ser de grande valor para angariar votos a Macron.

Mas nem tudo vem sendo um mar de rosas para Macron. Ele tem se deparado com problemas ao discutir assuntos como o casamento igualitário e o passado colonial da França.

Sobre o casamento igualitário, que a França legalizou em 2013, Macron disse o seguinte: "Um dos erros fundamentais deste mandato presidencial de 5 anos foi ignorar uma parte do país que tinha boas razões para viver ressentida... Foi o que aconteceu com o casamento igualitário, onde nós humilhamos aquela (parte da) França. Uma pessoa jamais deve humilhar, uma pessoa deve conversar, uma pessoa deve 'compartilhar' divergências".

Christiane Taubira, uma politica negra, respondeu: "Quem foi humilhado? Aquela pessoa que foi chamada de macaco todas as manhãs?".

Em visita à Argélia, uma ex-colônia francesa, Macron disse: "A colonização faz parte da história francesa... É um crime contra a humanidade, é realmente bárbara e é parte de um passado que nós devemos encarar".

Este foi um discurso sem precedentes para um candidato à Presidência da França. Mas então, em resposta à controvérsia sobre seus comentários, ele estendeu as mãos aos "pieds-noirs" — "pés negros", termo utilizado para os cidadãos franceses brancos que deixaram a Argélia após o fim do domínio colonial — e ex-combatentes da Guerra da Argélia.

Macron construiu uma reputação como sendo uma pessoa contraditória, o que foi especialmente problemático, já que ele demorou quatro meses para lançar sua plataforma política — realçando a imagem de um candidato sem ideias ou valores reais.

Algumas de suas propostas políticas incluem:— a proibição de parlamentares empregarem seus familiares durante o mandato (veja: FILLON, FRANÇOIS e, sim, atualmente não é ilegal fazer isto na França, desde que os familiares dos políticos estejam realmente trabalhando em suas funções). — criar um "passe cultural" de 500 euros para ajudar pessoas jovens a comprarem livros e ir a museus, cinemas e galerias de arte.— criação de 4.000 a 5.000 vagas de professores.— criação de uma força policial que lidaria com a segurança e pequenos crimes em comunidades, especialmente em regiões nas periferias de Paris.
Eric Feferberg / AFP / Getty Images

Algumas de suas propostas políticas incluem:

— a proibição de parlamentares empregarem seus familiares durante o mandato (veja: FILLON, FRANÇOIS e, sim, atualmente não é ilegal fazer isto na França, desde que os familiares dos políticos estejam realmente trabalhando em suas funções).

— criar um "passe cultural" de 500 euros para ajudar pessoas jovens a comprarem livros e ir a museus, cinemas e galerias de arte.

— criação de 4.000 a 5.000 vagas de professores.

— criação de uma força policial que lidaria com a segurança e pequenos crimes em comunidades, especialmente em regiões nas periferias de Paris.

Macron tem também alguns podres: O "Le Canard Enchaîné" revelou que ele supostamente desvalorizou sua declaração de interesses financeiros em 2014.

Ele supostamente recebeu 3,3 milhões de euros de renda entre 2009 e 2012, mas declarou apenas 200.000 euros quando se juntou ao governo. Uma associação de combate à corrupção apresentou uma denúncia em março perante a Alta Autoridade Sobre a Transparência na Vida Pública da França.O Ministério Público de Paris também abriu uma investigação preliminar em março sobre uma "suspeita de favorecimento" na contratação da French Tech Night em Las Vegas, financiada com recursos públicos. Macron promoveu e discursou no evento em janeiro de 2016, quando ainda era ministro da economia de Hollande, mas não foi citado na investigação.
Bertrand Guay / AFP / Getty Images

Ele supostamente recebeu 3,3 milhões de euros de renda entre 2009 e 2012, mas declarou apenas 200.000 euros quando se juntou ao governo. Uma associação de combate à corrupção apresentou uma denúncia em março perante a Alta Autoridade Sobre a Transparência na Vida Pública da França.

O Ministério Público de Paris também abriu uma investigação preliminar em março sobre uma "suspeita de favorecimento" na contratação da French Tech Night em Las Vegas, financiada com recursos públicos. Macron promoveu e discursou no evento em janeiro de 2016, quando ainda era ministro da economia de Hollande, mas não foi citado na investigação.

Mas estes assuntos não parecem ter manchado a imagem e nem diminuído as chances de vitória de Macron nas urnas. Ele foi declarado vencedor do primeiro debate presidencial realizado há alguns dias.

Apesar disso, algumas pessoas o criticam por estar sempre mudando de opinião. "Emmanuel Macron está fazendo anotações em silêncio dos discursos dos outros candidatos [durante o debate] para criar sua própria plataforma política", disse o site satírico Le Gorafi no Twitter.

Emmanuel Macron prend discrètement des notes pendant les interventions des autres candidats pour élaborer son programme #LeGrandDebat

Será que a candidatura de Emmanuel Macron vai ruir um mês antes das eleições? Será que ele pode se tornar o presidente mais jovem da França? Continua...

Este artigo foi originalmete escrito em francês.

Assma Maad est journaliste chez BuzzFeed News France et travaille depuis Paris.

Contact Assma Maad at assma.maad@buzzfeed.com.

Susie Armitage is the Global Managing Editor and is based in New York.

Contact Susie Armitage at susie.armitage@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil?

Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.