back to top

População e PMs ficam uns contra os outros enquanto o Espírito Santo pega fogo

Com onda de violência que já deixou 75 mortos, pessoas foram aos batalhões pedir o fim da paralisação. Ordem da Justiça mandou que familiares de PMs sejam retirados dos batalhões, mas policiais não querem agir contra parentes de colegas.

publicado

Em meio à mais grave crise de segurança do Espírito Santo, a população foi aos batalhões protestar contra a paralisação da Polícia Militar. Os policiais, por sua vez, não têm perspectiva de encerrar o movimento, que reivindica aumento salarial.

A situação no Quartel do Comando Geral da PM, em Vitória, na nesta terça (8) foi uma síntese do impasse.

De um lado da avenida, a população gritava por segurança.

DIRETO DO ES: de um lado da rua, população pede segurança; do outro, PMs e familiares pedem salários melhores

Do outro, PMs e familiares cobravam o governador, Paulo Hartung (PMDB), e o secretário de Segurança, André Garcia.

"Governador, cadê você? O polícia tá sem ter o que comer", gritaram policiais e familiares em frente ao batalhão.

DIRETO DO ES: PMs gritam — "Governador, cadê você? O polícia tá sem ter o que comer"

À tarde, a Justiça determinou a saída dos familiares de PMs que impedem a saída de viaturas desde sábado (4).

A ordem não foi cumprida. Tudo porque os policiais militares que ainda estão trabalhando se recusam a agir contra familiares de seus colegas, segundo o BuzzFeed Brasil apurou.

O clima foi tenso durante todo o dia. Soldados do Exército ficaram entre os dois grupos tentando acalmar os ânimos.

A população fez diversos piquetes, com lixo e pneus em chamas. Por isso, os soldados jogaram gás lacrimogêneo.

Dois momentos causaram correria. Num deles, um carro cravejado de balas foi parado pelo Exército — um soldado apontou o fuzil para o motorista, que saiu do carro com as mãos ao alto. Houve correria, mas o homem foi liberado.

Depois, quando os manifestantes tentavam fechar o tráfego de novo, um policial civil à paisana que estava parado no trânsito, e teve o carro cercado, desembarcou e deu tiros para o alto.

Cerca de 30 soldados estavam no local. Os PMs aplaudiram diversas vezes durante a chegada de reforços.

Diante do impasse — e do clima de tensão —, o comando a Polícia Militar autorizou que os familiares de PMs e policiais que estavam com eles entrassem no quartel por segurança.

DIRETO DO ES: por causa do clima tenso, PMs dizem que comando autorizou a entrada dos familiares no quartel

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.