back to top

We’ve updated our privacy notice and cookie policy. Learn more about cookies, including how to disable them, and find out how we collect your personal data and what we use it for.

Alckmin vai a evento bancado por empresa que deve R$ 1,9 bilhão ao Estado de São Paulo

Governador foi convidado pela Veja e disse que tem sido duro com "sonegadores contumazes", como a refinaria de Manguinhos, que patrocina o evento.

publicado

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), irá participar de um evento patrocinado pela refinaria de Manguinhos, que deve R$ 1,9 bilhão em ICMS ao Estado.

O evento está marcado para o dia 27 de novembro e é organizado pela revista Veja. Intitulado "Amarelas Ao Vivo", terá entrevistas com figuras importantes da política brasileira.

Manguinhos é o único patrocinador do evento, cujos ingressos — já esgotados — custam R$ 1.500 cada um. A refinaria investiu por volta de R$ 600 mil para ajudar a realizá-lo, segundo a reportagem apurou com fontes do mercado publicitário.

Nesta quinta (9), o BuzzFeed News questionou o governador, após um evento no Palácio dos Bandeirantes, se a participação dele em um encontro patrocinado por uma empresa que deve R$ 1,9 bilhão ao Estado não é um contrassenso.

"Nós somos convidados por uma revista, aliás, das mais prestigiadas do país", disse Alckmin. "Tanto não há relação que, exatamente nesta semana, já foi cassada até a atuação da empresa."

Na quarta (8), a Secretaria da Fazenda suspendeu a inscrição estadual de Manguinhos. Diferentemente do que a frase de Alckmin dá a entender, a medida não impede a refinaria de atuar no Estado. Agora, porém, ela terá que pagar o ICMS de cada operação que fizer, em vez de poder recolher todo o tributo no início do mês.

A Procuradoria Geral do Estado, órgão responsável por representar São Paulo em ações judiciais, cobra a dívida de Manguinhos na Justiça — até agora, porém, sem sucesso.

"Nós temos que ser muito duros com sonegadores, especialmente sonegadores contumazes, porque eles lesam a população", afirmou o governador. "Isso é menos hospital, menos escola, segurança, desorganizam o mercado, e estabelece uma concorrência desleal."

Veja também:

Governo de SP suspende inscrição de empresa que deve R$ 1,9 bilhão em impostos

Site publica ataque a procurador e cobra R$ 10 mil por direito de resposta

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.