back to top

As pessoas estão deletando o aplicativo da Uber de seus celulares como protesto nos EUA

O CEO da empresa, Travis Kalanick, fazia parte de um conselho empresarial do presidente Donald Trump. Após enfrentar uma onda de críticas, ele decidiu deixar o posto.

publicado

Travis Kalanick, CEO da Uber, abandonou o grupo de consultoria empresarial do presidente Donald Trump após enfrentar uma onda de críticas nas redes sociais, com a criação da hashtag #DeleteUber, e divergências internas na empresa.

"Conversei rapidamente com o presidente hoje sobre a ordem executiva que trata da imigração e os problemas que ela acarreta em nossa comunidade", disse Kalanick em uma mensagem para os empregados da Uber. "Também informei a ele que não poderia participar de seu conselho empresarial. Fazer parte do grupo não significava um apoio ao presidente ou a sua agenda, mas infelizmente isso foi interpretado dessa maneira."

A notícia da decisão de Kalanick foi originalmente anunciada pelo jornal "The New York Times".

A saída de Kalanick do grupo de conselheiros antes de sua primeira reunião, nesta sexta (3), deu-se depois de uma assembleia com todos os funcionários da Uber. Fontes que participaram da reunião disseram ao BuzzFeed News que Kalanick defendeu sua participação no conselho de Trump, alegando que isso colocaria a Uber em uma posição privilegiada para promover mudanças e discordar de medidas do governo, como o veto à imigração. Essas mesmas pessoas disseram que Kalanick não deu nenhum indício de que planejava desistir do posto.

Anunciada em setembro, a decisão de Kalanick de se juntar ao grupo de consultoria empresarial deflagrou críticas à Uber. Em São Francisco, manifestantes bloquearam a entrada da sede da Uber na manhã da posse de Donald Trump. Em seguida, surgiu a campanha viral #DeleteUber. A revolta nas redes sociais teve início no sábado à noite (28), após a Uber aparentemente furar uma greve de taxistas que protestavam contra a ordem-executiva de Trump que impedia a entrada de pessoas de sete países com maioria muçulmana nos Estados Unidos. Desde então, milhares de consumidores apagaram suas contas na Uber.

Este foi o e-mail que Kalanick enviou aos funcionários da Uber anunciando que deixaria o grupo de conselheiros:

Caros Membros da Equipe,

Conversei rapidamente com o presidente hoje, mais cedo, sobre a ordem executiva que trata da imigração e os problemas que ela acarreta em nossa comunidade. Também informei a ele que não poderia participar de seu conselho empresarial. Fazer parte do grupo não significava um apoio ao presidente ou a sua agenda, mas infelizmente isso foi interpretado dessa maneira.

Passei muito tempo pensando e procurando equivalentes em nossos valores. Há alguns que creio serem particularmente relevantes:

De Dentro para Fora - A presunção implícita que a Uber (ou eu) estava, de alguma maneira, endossando a agenda da administração Trump criou uma discrepância de percepção-realidade entre quem as pessoas acham que somos e quem realmente somos.

Simplesmente Mude - Devemos crer que nossas ações acabam levando ao progresso. Há muitas formas de continuar advogando por mudanças na imigração, mas permanecer no conselho acabaria atrapalhando isso. O decreto presidencial prejudica muitas pessoas em toda a América. Famílias estão sendo separadas, pessoas estão presas no exterior e há um crescente temor de que os EUA não sejam mais um lugar que acolhe imigrantes.

A imigração e a receptividade aos refugiados são parte importante do sucesso do nosso país e, francamente, da própria Uber. Tenho muito orgulho de trabalhar diretamente com pessoas como Thuan e Emil, ambos refugiados que chegaram [aos EUA] em busca de uma vida melhor. Eu sei que tem sido uma semana difícil para muitos de vocês e para suas famílias, bem como para milhares de motoristas que possuem histórias emocionantes e dolorosas.

Quero que vocês saibam que suas dúvidas e histórias, na terça-feira, bem como o que eu ouvi de nossos motoristas mantiveram minha resiliência e me fizeram lembrar de um dos nossos valores culturais mais essenciais: Seja Você Mesmo. Lutaremos pelos direitos dos imigrantes em nossa comunidade, para que cada um de nós possa ser quem realmente é com otimismo e esperançoso no futuro.

Travis


Este post foi traduzido do inglês.

Priya Anand is a tech and transportation reporter for BuzzFeed News and is based in San Francisco.

Contact Priya Anand at priya.anand@buzzfeed.com.

Caroline O'Donovan is a senior technology reporter for BuzzFeed News and is based in San Francisco.

Contact Caroline O'Donovan at caroline.odonovan@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.