back to top

Comportamento de Kevin Spacey no set de "House Of Cards" não era segredo para ninguém

Segundo pessoas que trabalharam na série, ator se aproveitou da importância do seu papel para ter um comportamento profissionalmente inapropriado durante as gravações.

publicado

As apostas sempre foram altas para "House of Cards". A série foi a primeira investida da Netflix em conteúdo original. Em 2011, em um momento em que a indústria do entretenimento parecia prestes a mudar, a Netflix apostou e encomendou às cegas duas temporadas — 26 episódios — de "House of Cards", superando vários concorrentes. O site "Deadline" escreveu na época que o acordo "poderia mudar a forma como as pessoas consomem séries de TV", e eles estavam certos.

Como havia altas expectativas, o set da série era um lugar estressante — também por causa das celebridades envolvidas. Foi ideia do diretor de cinema David Fincher adaptar a minissérie da BBC de 1990 trazendo Kevin Spacey como Francis Underwood – um deputado desonesto e assassino que faria qualquer coisa para se tornar presidente. Spacey também seria produtor-executivo.

As histórias que surgiram sobre Spacey na semana passada retratam um homem que se comportou com impunidade, mesmo quando estava em um ambiente profissional. Segundo fontes, o ator de "House of Cards" se via como intocável no set— e, assim, se sentia à vontade para flertar descaradamente com jovens empregados na frente de todo o elenco e equipe de produção.

No entanto, agora, o futuro da série e das centenas de pessoas que trabalham nela estão em risco por causa do comportamento de Spacey.

Em 29 de outubro, o BuzzFeed News publicou uma entrevista com o ator Anthony Rapp, que acusou Spacey de tê-lo assediado em 1985, quando tinha 14 anos. Na semana seguinte, vários homens acusaram Spacey de má conduta sexual. A agência CAA e a publicitária de Spacey o deixaram. A Netflix anunciou na sexta-feira que estava cortando laços com Spacey e que não continuaria a produção com ele. A formulação do comunicado da empresa pareceu confirmar a matéria da revista "Variety" de que a série está buscando maneiras de matar Frank Underwood e continuar sem ele. Um porta-voz da Netflix não comentou nada sobre o futuro da série.

Antes da publicitária de Spacey se demitir, ela anunciou que Spacey estava "levando o tempo necessário para buscar avaliação e tratamento" em um local não especificado. Depois que a matéria sobre Rapp foi publicada, Spacey tuitou que não lembrava se isso havia acontecido, acrescentando: "Mas se me comportei da maneira que ele descreveu, lhe devo as mais sinceras desculpas pelo que teria sido um comportamento profundamente inapropriado de um bêbado." À medida que mais pessoas se manifestaram, o advogado de Spacey negou todas as acusações de assédio. O BuzzFeed News entrou em contato duas vezes com o advogado de Spacey para contar a ele sobre as acusações nesta matéria, sem retorno.

O BuzzFeed News conversou com várias pessoas ligadas à "House of Cards" para esta matéria, três das quais trabalharam na série em diferentes áreas e falaram sob condição de anonimato por medo das repercussões profissionais.

As três fontes, assim como duas outras pessoas que passaram algum tempo no set, descreveram um clima no qual Spacey era sexualmente inapropriado com homens jovens que trabalhavam na série. "Ele estava no set e fazia muitas piadas assanhadas sobre os garotos", disse uma fonte de alto nível que trabalhou no início de "House of Cards". "Se ele quisesse atenção, ainda assim seria inapropriado, porque você está fazendo comentários despudorados na frente de 150 pessoas; 'Venha sentar no meu colo, você sabe que quer' — não para um homem gay, mas para um cara jovem e bonito. Isso acontecia o tempo todo."

Na quinta-feira, a CNN informou que Spacey teria assediado sexualmente um assistente de produção durante uma das primeiras temporadas de "House of Cards", com o ator colocando "as mãos na calça do assistente de produção".

A Media Rights Capital (MRC), empresa que produz "House of Cards", disse à CNN que os executivos sabiam de um incidente envolvendo "uma reclamação sobre um comentário e um gesto específico feito por Kevin Spacey" durante a produção da primeira temporada, em 2012. A empresa disse à CNN em um comunicado: "Foi tomada uma ação imediata, após a análise da situação, e estamos confiantes de que o problema foi resolvido prontamente de maneira satisfatória para todos os envolvidos. O Sr. Spacey participou voluntariamente de um processo de treinamento e, desde então, a MRC não foi informada de nenhuma outra reclamação envolvendo o Sr. Spacey."

Um porta-voz da MRC esclareceu ao BuzzFeed News que a conduta de Spacey na 1ª temporada não foi o suposto assédio ao assistente de produção, mas um "gesto e comentário" isolado feito por ele. Na matéria da CNN, a Netflix disse que a empresa "acabou de ser informada sobre um incidente, há cinco anos, que foi resolvido rapidamente".

No entanto, entre os funcionários no set, a conduta profissionalmente inapropriada de Spacey sempre era tema de discussão, já que eles se perguntavam quais ações poderiam ser tomadas. "Eles sabiam sobre o comportamento dele em relação aos homens mais jovens no set", disse um membro de longa data da equipe. "Todos estavam assistindo na ilha e viam o comportamento desconfortável e nada profissional na frente e atrás das câmeras. Nada profissional para um set, para ser sincero." (Em um set de TV ou filme, a "ilha" é um grupo de monitores onde o diretor, os produtores e os membros da equipe podem assistir o que a câmera está filmando.)

Uma fonte, que tinha vinte e poucos anos quando trabalhou na segunda temporada da série, disse que foi avisado sobre Spacey por um amigo. "Ele me disse que, se Kevin o convidasse para jogar videogame em seu trailer, você precisaria levar alguém com você", disse essa fonte. "Nem precisei perguntar mais nada."

"Ele toca quem ele quiser", disse o funcionário de alto nível.

Recusar as investidas de Spacey poderia complicar as coisas. De acordo com uma quarta pessoa que trabalhou em "House of Cards" por apenas alguns dias, mas tinha conhecimento do que acontecia por meio do sindicato IATSE, que representa os membros da equipe, um assistente de produção foi demitido durante a 2ª temporada depois de recusar os avanços de Spacey. A fonte disse ao BuzzFeed News que este homem foi "assediado repetidamente" para ir ao barco de Spacey, e depois que o assistente de produção recusou, de repente deixou de trabalhar na série. Quando contatado na quarta-feira para falar sobre sua saída, o ex-assistente de produção escreveu: "Meus advogados disseram para eu aguardar notícias deles antes de falar com qualquer um. Peço desculpas. Talvez amanhã." Então ele parou de responder.

Beau Willimon, criador e produtor executivo de "House of Cards", que dirigiu a série por várias temporadas, emitiu um comunicado na segunda-feira, após a divulgação das acusações de Rapp contra Spacey no BuzzFeed News. Ele dizia: "A história de Anthony Rapp é profundamente preocupante. Durante o período em que trabalhei com Kevin Spacey em "House of Cards", não testemunhei nem tive conhecimento de nenhum comportamento inadequado no set ou fora dele. Dito isso, recebo relatos de comportamentos como esse com seriedade, e esse não é exceção. Sinto muito pelo Sr. Rapp e apoio sua coragem."

As três fontes que falaram com o BuzzFeed News contestaram o relato de Willimon. "Mentira. Totalmente mentira. 100%", disse a fonte de alto nível, que viu Willimon testemunhar o comportamento de Spacey.

"Eu vi que Beau disse que não fazia ideia, mas é completamente falso", disse o membro da equipe. "Eles tiveram reuniões de produção sobre o comportamento de Spacey em relação à equipe e ao elenco, e nunca foi além disso. Era como uma piada."

"Todos sabiam o que estava acontecendo", disse a fonte que trabalhou na 2ª temporada. "O assistente de produção que foi assediado? Todos sabiam. O que me chateia muito é ver Beau e todas essas outras pessoas negando isso."

Após negociações prolongadas com seu representante, Willimon se recusou a comentar publicamente esta matéria. No entanto, após a matéria da CNN, Willimon disse ao site "Deadline" que ele não havia sido informado sobre o incidente da 1ª temporada pelo qual Spacey foi repreendido — o que a MRC confirmou ao BuzzFeed News. Willimon acrescentou ao "Deadline": "Fico triste de saber que alguém da equipe teve de suportar esse tipo de comportamento. Claramente, nós, como indústria, particularmente aqueles em uma posição de poder, inclusive eu, precisamos ser mais perceptivos e proativos."

Se "House of Cards" pode, de alguma forma, descobrir como sobreviver sem Spacey, que durante anos tem sido essencial para o drama sombrio da capital americana, mas cujo suposto comportamento predatório agora está ameaçando centenas de empregos, essa seria uma reviravolta que nem mesmo Frank Underwood poderia prever.

Este post foi traduzido do inglês.

Publicidade

Kate Aurthur is the chief Los Angeles correspondent for BuzzFeed News. Aurthur covers the television and film industries.

Contact Kate Aurthur at kate.aurthur@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.