• newsbr badge

Ex-executivo da Globo recebeu US$ 1 milhão de conta usada para pagar propina, diz delator

É a primeira vez no julgamento do caso Fifa que um nome ligado à emissora é apontado como recebedor de dinheiro. O delator não explicou o contexto do pagamento.

by , ,

Um delator do caso Fifa disse nesta quinta-feira (30), durante julgamento em Nova York, que pagou US$ 1 milhão a um ex-diretor da Globo.

Trata-se de Marcelo Campos Pinto, ex-diretor de esportes da emissora e um dos responsáveis por negociar os direitos de transmissão de eventos internacionais.

Ele foi citado por Eladio Rodriguez, ex-dirigente da empresa argentina Torneos, que tinha os direitos de eventos como Libertadores e Sul-Americana. Rodriguez fez acordo com o governo americano e colabora com as investigações.

Segundo o delator, o nome do ex-diretor da Globo aparece com o seguinte registro: "contrato c/vehículo Marcelo C Pintos". A data do pagamento de US$ 1 milhão é 9 de dezembro de 2013.

O dinheiro partiu de uma conta secreta na Suíça, de nome Arcos, usada para distribuir propina e bônus.

Em nota ao BuzzFeed News, a Globo afirmou que "nunca teve conhecimento de tal pagamento". A emissora acrescentou que, "caso tal pagamento tenha ocorrido, foi, evidentemente, contrário aos interesses da empresa". (Leia a íntegra ao final do post.)

No depoimento que presta à Justiça, o delator não explicou qual o contexto do pagamento.

O delator apresentou informações que dão a entender que o pagamento de US$ 1 milhão ao ex-diretor da Globo foi precedido de um depósito de US$ 10 milhões vindo da emissora.

Essa é a primeira vez que um nome ligado à Globo é apontado especificamente como recebedor de dinheiro.

Marcelo Campos Pinto é figura central no caso que cita a TV Globo. Isso porque, segundo outro delator, Campos Pinto participou de um jantar em 2012 para o acerto da distribuição de propinas.

Essa acusação foi feita por Alejandro Burzaco, ex-presidente da Torneos e chefe de Eladio Rodriguez. Burzaco afirma que, além do dirigente da Globo, participou do jantar Marco Polo Del Nero e José Maria Marin, respectivamente o atual e o ex-presidente da CBF.

Quando o nome de Marcelo Campos Pinto surgiu, a TV Globo disse que não tolera pagamentos irregulares e que está à disposição das autoridades. Afirmou, ainda, que "em suas amplas investigações internas, apurou que jamais realizou pagamentos que não os previstos nos contratos".

Leia a íntegra da nota da Globo.

Sobre a afirmação de uma testemunha no julgamento que acontece em Nova York, de que o ex-diretor do Grupo Globo, Marcelo de Campos Pinto, recebeu em 2013 pagamento de uma empresa do Grupo Torneos y Competencias, que atua na área de marketing esportivo, o Grupo Globo esclarece que nunca teve conhecimento de tal pagamento. Caso tal pagamento tenha ocorrido, foi, evidentemente, contrário aos interesses da empresa. O Grupo Globo reafirma que não tolera nem paga propina.

Veja também:

Globo pagou propina por direitos da Libertadores e da Sulamericana, diz delator do caso Fifa

Caso Fifa: testemunha afirma que Del Nero e Marin receberam propina de US$ 4 mi


Ken Bensinger is an investigative reporter for BuzzFeed News and is based in Los Angeles. He is the author of "Red Card," on the FIFA scandal. His DMs are open.

Contact Ken Bensinger at ken.bensinger@buzzfeed.com.

Filipe Coutinho é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Filipe Coutinho at filipe.coutinho@buzzfeed.com.

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here

Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, que o reconhecem e identificam como um usuário único, para garantir a melhor experiência de navegação, personalizar conteúdo e anúncios, e melhorar o desempenho do nosso site e serviços. Esses Cookies nos permitem coletar alguns dados pessoais sobre você, como sua ID exclusiva atribuída ao seu dispositivo, endereço de IP, tipo de dispositivo e navegador, conteúdos visualizados ou outras ações realizadas usando nossos serviços, país e idioma selecionados, entre outros. Para saber mais sobre nossa política de cookies, acesse link.

Caso não concorde com o uso cookies dessa forma, você deverá ajustar as configurações de seu navegador ou deixar de acessar o nosso site e serviços. Ao continuar com a navegação em nosso site, você aceita o uso de cookies.