Posted on 13 de mar de 2017

    Você é capaz de adivinhar de quem são essas frases a favor do caixa 2?

    Afinal, do mensalão ao petrolão, o único consenso entre os políticos é salvar a própria pele...

    Desde que o Supremo Tribunal Federal aceitou a abertura de ação contra o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), tornando-o réu na Operação Lava Jato, voltou com força ao Congresso um movimento pela anistia ao caixa 2 eleitoral.

    Mas se atualmente a defesa do perdão é feita principalmente por tucanos e peemedebistas, antes, quando o mensalão (2005) veio à tona, foram os petistas que quiseram a medida.

    Você consegue identificar os partidos dos autores das frases?

    1. 1.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Aécio Neves (PSDB)

      O senador tucano disse a frase durante um jantar na semana passada, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

      Via Fotos Públicas
    2. 2.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Ricardo Berzoini (PT)

      O dirigente petista disse a frase quando havia sido eleito presidente do partido, meses após a descoberta do mensalão, em outubro de 2005.

      Via Fotos Públicas
    3. 3.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Fernando Henrique Cardoso (PSDB)

      O ex-presidente da República disse a frase na semana passada, quando saiu em defesa de quadros do seu partido.

      Via Fotos Públicas
    4. 4.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Geddel Vieira Lima (PMDB)

      O ex-ministro do governo Temer, cujo nome aparece como beneficiário de pagamentos ilícitos na lista da Odebrecht, soltou a frase no ano passado, quando deputado discutiam a possibilidade de anistiar o caixa dois eleitoral.

      Via Fotos Públicas
    5. 5.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

      Maior liderança da história petista, o ex-presidente Lula disse essa frase em 2006, durante uma reunião com deputados da sigla após a descoberta do mensalão. O partido sempre defendeu que o esquema era um mecanismo de financiamento eleitoral via caixa dois.

      Via Fotos Públicas
    6. 6.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Edison Lobão (PMDB)

      O senador, presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Casa, disse a frase em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

      Via Fotos Públicas
    7. 7.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Antonio Palocci (PT)

      Ministro da Fazenda do governo Lula quando houve a descoberta do mensalão, Palocci também participou da reunião com a bancada de deputados petistas — e, assim como Lula, defendeu o caixa dois eleitoral como um problema menor.

      Via Fotos Públicas
    8. 8.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Geraldo Alckmin (PSDB)

      O governador de São Paulo — que apareceu na lista da Odebrecht como "Santo" — achou por bem fazer essa diferenciação.

      Via Fotos Públicas
    9. 9.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Delúbio Soares (PT)

      Ex-tesoureiro do partido, Delúbio Soares deu a declaração durante a CPI dos Correios, que aconteceu na esteira do mensalão.

      Via Fotos Públicas
    10. 10.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Lula (PT)

      De novo ele, o ex-presidente Lula. Novamente, a declaração foi dada em relação ao mensalão.

      Via Fotos Públicas
    11. 11.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Alckmin (PSDB)

      O governador de São Paulo, de novo, resolveu explicar a diferença entre joio (corrupção) e trigo (caixa dois).

      Via Fotos Públicas
    12. 12.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Renan Calheiros (PMDB)

      Se não está tipificado, não é crime. Foi assim que o então presidente do Senado, Renan Calheiros, defendeu a anistia à prática, no ano passado.

      Via Fotos Públicas
    13. 13.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      FHC (PSDB)

      Foi assim que o ex-presidente tucano tentou diferenciar o mensalão petista do mensalão tucano, que aconteceu em Minas Gerais durante a eleição de Eduardo Azeredo (PSDB-MG) a governador.

      Via Fotos Públicas
    14. 14.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Carlos Marun (PMDB)

      O deputado, que usou dinheiro da Câmara para visitar o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na cadeia, foi um dos principais defensores da anistia ao caixa dois na Casa.

      Via Fotos Públicas
    15. 15.

      André Borges/Agência Brasília
      Correto! 
      Errado! 

      Eunício Oliveira (PMDB)

      O atual presidente do Senado definiu como "muito rígida" a regra eleitoral aprovada no Congresso em 2014, que restringiu as doações empresariais às campanhas — e, pela lógica de Eunício, ajudou a aumentar o caixa dois.

      Via Fotos Públicas


    Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

    Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

    Got a confidential tip? Submit it here