back to top

Parada LGBT em São Paulo tem tom político com "Fora Temer" e só 20 minutinhos de Anitta

Parada começou com o Hino Nacional e teve vários gritos contra o presidente — tanto do público, como dos microfones. Tema deste ano era Estado laico.

publicado

A 21ª Parada do Orgulho LGBT em São Paulo lotou a avenida Paulista, neste domingo (18), e teve gritos a favor do Estado laico — tema deste ano —, a favor dos direitos da comunidade LGBT de maneira geral e também contra o governo Michel Temer (PMDB).

Não foi só com o tom político que a parada se aproximou das manifestações mais recentes. Antes de os trios elétricos começarem a andar, os participantes cantaram o Hino Nacional, ainda em frente ao Masp (assista abaixo), e os primeiros "Fora Temer" já eram ouvidos, tanto do público como dos microfones.

🌈 Hino Nacional na Parada LGBT em São Paulo. Daqui a pouco o 1º carro elétrico começa a andar. Acompanhe aqui 🌈

Para a estudante Izabella Felix, 21 anos, o tema do Estado laico e as manifestações políticas nesta Parada LGBT são, na verdade, um mesmo assunto.

"A gente tem uma bancada evangélica fortíssima na política, atuante, que limita, sim, nossos direitos e propaga ideias que põem nossas vidas em risco", ela diz, ao lado da namorada Camila Carlos, 26.

Publicidade

🌈 Por que a comunidade LGBT ainda precisa lutar por um Estado laico? A estudante Izabella Felix, 21, dá a opinião d… https://t.co/MabMGUhVmq

Todo o trajeto da parada, do Masp até a dispersão, ocorreu sem confusões. Os trios seguiram até a praça Roosevelt, onde o público começou a dispersar — em direção ao metrô ou em direção ao vale do Anhangabaú, para onde os shows estavam marcados.

🌈 A parada já está no centro. Daqui a pouco tem os shows no Anhangabaú. Trilha: Dancing Queen, do Abba 🌈

A cantora Anitta — atração mais esperada do dia — cantou só 20 minutinhos, em cima de um trio elétrico, ainda na Paulista.

Mais cedo, ela tinha dito no Twitter que esse era o combinado desde o início. A produção da parada disse que a cantora tinha um voo marcado para as 16h30.

Amores... #aviso / sei que foi divulgado em N lugares que hoje eu faço show na Parada Gay mas infelizmente isso não é verdade

Fora Anitta, outro hit muito tocado nos trios foi "Todo Dia", de Pabllo Vittar — que também foi uma das atrações. O refrão, principalmente, deixava o público bastante animado: "Eu não espero o Carnaval chegar pra ser vadia. Sou todo dia, sou todo dia."

Pabllo Vittar cantando 'Todo Dia' na parada LGBT de SP. #ParadaSP

O clima de festa era entremeado com discursos de conscientização sobre doenças sexualmente transmissíveis — houve distribuição de camisinhas — e sobre violência contra a população LGBT.

Longe de desanimar o público, os discursos eram saudados com gritos de apoio, principalmente dos mais jovens. Entre eles, o estudante Mateus Ferreira, 19, explica por que a conscientização é fundamental: "A comunidade LGBT tem que lutar muito ainda porque as pessoas são muito antiquadas, elas demoram pra entender alguns conceitos", ele afirma.

O também estudante Davi Dagolim, de 23 anos, foi à Parada LGBT pela primeira vez neste ano. Ele concorda sobre a importância de ir à rua reivindicar. "Independente do tema [escolhido para a parada], nós temos que continuar lutando pelos nossos direitos; e a parada é um modo de se libertar", diz.

🌈 "A parada é um jeito de se libertar", diz Davi Digolim, 23, que veio pela 1ª vez 🌈

Tanto a Polícia Militar como a organização do evento ainda não divulgaram estimativas de público. Este post será atualizado quando houver essas informações.

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.

Em parceria com