back to top

PGR envia ao Supremo denúncia Aécio Neves por corrupção no caso JBS

Senador teve conversa com Joesley Batista, da JBS, gravada. O político pediu R$ 2 milhões para ajudar a pagar advogados, mas dinheiro acabou indo parar numa empresa do filho do também senador Zezé Perrela.

publicado

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou nesta sexta-feira uma denúncia contra Aécio Neves. Ele é acusado dos crimes de corrupção e obstrução à Justiça, por tentar atrapalhar as investigações da Lava Jato.

A base da denúncia é a colaboração premiada de Joesley Batista, da J&F (proprietária da JBS).

Em conversa com o senador afastado gravada pelo empresário, Aécio pede R$ 2 milhões para ajudar nos gastos que estava tendo com advogados.

Além do senador também foram denunciados um de seus primos Frederico Pacheco, sua irmã, Andrea Neves, e o assessor parlamentar do senador Zezé Perrela – Mendherson Souza Lima.

Os três estão presos.

De acordo com a PGR, os contatos inicias e pedidos de dinheiro partiram da irmã de Aécio. Posteriormente o próprio parlamentar solicitou os recursos e teve sua conversa gravada por Joesley.

O pagamento foi feito em quatro parcelas e quem recolheu o dinheiro foram o primo de Aécio e o assessor de Perrela.

Ainda segundo a PGR, o montante não foi usado para pagar advogados e foram parar numa empresa de Gustavo Henrique Perrela, filho do senador Zezé.

Sobre a obstrução à Justiça, a denúncia cita que Aécio operou nos bastidores do Congresso para aprovar medidas que atrapalhassem as investigações e montou um plano para tentar direcionar a distribuição de inquéritos na Polícia Federal.

Se a denúncia for aceita pelo STF, Aécio será transformado formalmente em réu numa ação penal.

Desde a deflagração da operação Patmos, que chegou a pedir a prisão de Aécio (negada pelo ministro do STF Edson Fachin), o senador afastado tem negado as acusações.

Severino Motta é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Severino Motta at .

Got a confidential tip? Submit it here.