back to top

Líderes não asseguram votos e calendário da reforma da Previdência deve ser esticado

Nas planilhas de líderes do Congresso e no Planalto, a informação é de que neste momento não é possível sequer segurar os 296 votos obtidos pela reforma trabalhista. Para Previdência são necessários 308.

publicado

Apesar de estar sendo alardeada como uma vitória do governo, que aprovou a reforma trabalhista na Câmara com 296 votos, a realidade quando se fala da reforma da previdência é outra.

Enquanto o governo precisa manter estes 296 deputados e conseguir pelo menos mais 12 para alcançar os 308 necessários para a Previdência, nenhuma notícia de novas adesões está chegando ao Planalto. Pelo contrário, somente baixas.

Plenário da Câmara
EBC

Plenário da Câmara

Nas tabelas de diversos líderes, vários deputados que votaram a favor da reforma trabalhista foram deslocados para a coluna vermelha na tabela da Previdência.

Há bancadas que não estão conseguindo garantir sequer 60% dos votos que ofereceram para a trabalhista.

Diante deste cenário, começa a haver um consenso entre líderes da Câmara que o melhor a se fazer é deixar em aberto a data da votação da reforma em plenário e ganhar tempo.

E, se o ganhar tempo começa a se cristalizar, há ainda discussões entre as lideranças da Câmara. Alguns acreditam que, com um prazo maior, será possível vencer a guerra de comunicação e obter os votos necessários para aprovar a proposta que altera o sistema previdenciário nacional.

Outros, querem usar este tempo para deixar o assunto esfriar e sequer colocar a matéria em votação, evitando desgastes eleitorais em 2018.

O receio sobre a reforma na base é tamanho que até mesmo alterar a data para a votação da reforma na comissão especial, num colegiado de 36 deputados, está sendo discutida.

A princípio, a votação na comissão está marcada para quarta e o presidente Michel Temer fará um esforço pessoal junto aos integrantes para manter o calendário.

O que acontecerá nesta sexta-feira na greve geral e as conversas do fim de semana definirão os próximos passos para pelo menos esta primeira etapa da disputa.

Veja também:

Veja como cada deputado votou a reforma trabalhista


Isto é o que muda nas leis trabalhistas com o projeto aprovado ontem; mas ainda tem que passar pelo Senado

Severino Motta é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Severino Motta at severino.motta@BuzzFeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.