• newsbr badge
  • Coronavi­rus Brasil badge

Ruralistas, base de Bolsonaro, reclamam de Eduardo por ofender a China, principal cliente do agronegócio brasileiro

“É a pior hora para ter problemas com a China”, diz líder da bancada ruralista sobre crise diplomática produzida por Eduardo Bolsonaro no Twitter.

Str / Getty Images

Soja brasileira sendo desembarcada no porto de Nantong, na China. País ofendido por Eduardo Bolsonaro no Twitter é o principal destino das exposições do Brasil.

Forte aliada de Bolsonaro desde a eleição, a bancada ruralista no Congresso não gostou nada das postagens de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) em suas redes sociais e que abriram uma crise diplomática com a China, principal parceiro comercial do país.

"Essa é a pior hora para termos problemas com a China", disse ao BuzzFeed News o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Alceu Moreira (MDB-RS).

FPA

Alceu Moreira

Segundo ele, o país asiático está superando a crise do coronavírus e precisará se reabastecer, o que deve incrementar e diversificar a exportação de produtos brasileiros para lá.

“Pelos contratos que temos, seremos um grande fornecedor, e isso vai gerar emprego e renda para nós. Esse caso do filho do presidente da República é um fato isolado e absolutamente periférico, que não representa a posição do governo e nem do setor do agronegócio”, disse.

Na Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o ato de Bolsonaro foi extremamente reprovado, deixando diretores da entidade de “cabelo em pé”, segundo uma fonte contou ao BuzzFeed News. A entidade ainda não se manifestou.

Principal parceiro comercial do Brasil, a China foi responsável por 28,1% de nossas exportações em 2019, o que representam US$ 63 bilhões.

O agronegócio foi responsável por cerca de 35% de todos os produtos exportados para o país asiático.

Greg Baker / Getty Images

Trabalhador em linha produção que usa soja brasileira na cidade de Sanhe no norte da China.

As ofensas à China saíram do Twitter do filho do presidente, que comparou a pandemia do coronavírus ao acidente nuclear de Chernobyl. Os soviéticos ocultaram a dimensão do desastre.

Quem assistiu Chernobyl vai entender o q ocorreu.Substitua a usina nuclear pelo coronavírus e a ditadura soviética pela chinesa +1 vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor tendo desgaste,mas q salvaria inúmeras vidas A culpa é da China e liberdade seria a solução https://t.co/h3jyGlPymv

A resposta veio logo depois: o embaixador Chinês no Brasil, Yang Wanming, repudiou o post de Eduardo e exigiu um pedido de desculpas por parte do governo.

A parte chinesa repudia veementemente as suas palavras, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês. Vou protestar e manifestar a nossa indignação junto ao Itamaraty e a @camaradeputados. @BolsonaroSP @ernestofaraujo @RodrigoMaia

O primeiro a reagir à crise entre os dois países foi o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ):

Em nome da Câmara dos Deputados, peço desculpas à China e ao embaixador @WanmingYang pelas palavras irrefletidas do Deputado Eduardo Bolsonaro.

O chanceler Ernesto Araújo, ligado à ala olavista do governo e próximo de Eduardo, disse que o filho do presidente não representa o governo. Ele queixou-se do tom da resposta do embaixador chinês.

Sobre postagens recentes e a relação Brasil-China:


Severino Motta é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Severino Motta at severino.motta@BuzzFeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here

Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, que o reconhecem e identificam como um usuário único, para garantir a melhor experiência de navegação, personalizar conteúdo e anúncios, e melhorar o desempenho do nosso site e serviços. Esses Cookies nos permitem coletar alguns dados pessoais sobre você, como sua ID exclusiva atribuída ao seu dispositivo, endereço de IP, tipo de dispositivo e navegador, conteúdos visualizados ou outras ações realizadas usando nossos serviços, país e idioma selecionados, entre outros. Para saber mais sobre nossa política de cookies, acesse link.

Caso não concorde com o uso cookies dessa forma, você deverá ajustar as configurações de seu navegador ou deixar de acessar o nosso site e serviços. Ao continuar com a navegação em nosso site, você aceita o uso de cookies.