back to top

9 das histórias de terror mais arrepiantes do mundo

O que esses casos de assombração têm em comum? Todos farão você dormir com a luz acesa hoje à noite.

publicado

Para este Halloween, redatores do Buzzfeed de todo o mundo se reuniram para contar algumas das mais arrepiantes histórias de terror de seus países.

Algumas delas são lendas urbanas, algumas parte do folclore local e outras trágicos lembretes da crueldade humana... mas todas têm um ponto em comum: farão você dormir com as luzes acesas hoje à noite.

Curiosamente, muitas das histórias listadas possuem diferentes versões dependendo do país: o conto da Bloody Mary nos EUA, por exemplo, é muito parecido com o da Loira do Banheiro no Brasil.

Tentamos trazer uma boa seleção, mas esta lista poderia ser bem maior. Caso você tenha uma boa história de assombração para compartilhar, conte ela para nós nos comentários!

O Corpo Seco

A criatura, descrita como tendo um “corpo mirrado, com uma cara feia e cheio de perebas", já foi avistada em várias cidades do interior do sudeste brasileiro. Há poucos anos, foi vista em cima do muro de um cemitério na cidade de Mogi Guaçu. “Sempre achei que isso fosse história dos tempos antigos ligada ao cemitério, mas não. Eu comprovei que o Corpo Seco existe e não quero mais passar por lá de novo”, disse na ocasião ao jornal local a aposentada Maria Aparecida Soares Branco.Há muitas variações sobre a origem de Corpo Seco (ou Unhudo), mas sabe-se que ele, em vida, foi um homem muitíssimo violento, chegando a espancar a própria mãe. Quando morreu, seu cadáver teria sido repelido pela terra repetidamente, e, tendo o descanso eterno negado, virado uma assombração.O Corpo-Seco teria o poder tanto de secar árvores como de sugar o sangue de humanos desavisados em estradas desertas na calada da noite.
New Line Cinema / Via jornaldoguacu.com.br

A criatura, descrita como tendo um “corpo mirrado, com uma cara feia e cheio de perebas", já foi avistada em várias cidades do interior do sudeste brasileiro.

Há poucos anos, foi vista em cima do muro de um cemitério na cidade de Mogi Guaçu. “Sempre achei que isso fosse história dos tempos antigos ligada ao cemitério, mas não. Eu comprovei que o Corpo Seco existe e não quero mais passar por lá de novo”, disse na ocasião ao jornal local a aposentada Maria Aparecida Soares Branco.

Há muitas variações sobre a origem de Corpo Seco (ou Unhudo), mas sabe-se que ele, em vida, foi um homem muitíssimo violento, chegando a espancar a própria mãe. Quando morreu, seu cadáver teria sido repelido pela terra repetidamente, e, tendo o descanso eterno negado, virado uma assombração.

O Corpo-Seco teria o poder tanto de secar árvores como de sugar o sangue de humanos desavisados em estradas desertas na calada da noite.

Mary-san no Denwa (ou o "Telefonema de Maria")

Esta popular lenda urbana japonesa conta a história de uma boneca de porcelana que, após ser abandonada por sua dona, decide matá-la. A cada aproximação que faz de sua vítima, a boneca faz um telefonema. E o que de início parece um trote vai ganhando ares sombrios com o desenrolar da história: Uma família muda de cidade, e a filha deles decide jogar fora uma boneca de porcelana que chamava Maria. Naquela mesma noite, a menina recebe um telefonema."Olá, é a Maria. Eu estou na lixeira agora."A menina desliga, mas o telefone toca de novo. "Olá, é a Maria. Eu estou na loja da esquina agora."O telefone toca uma terceira vez, e uma voz diz: "Olá, é a Maria. Estou na frente da sua casa agora."A garota toma coragem e abre a porta da frente, mas não encontra ninguém lá. Deve ser um trote, pensa, então o telefone toca novamente."Olá, é a Maria. Eu estou atrás de você."
Rebekkah_ann / Getty Images

Esta popular lenda urbana japonesa conta a história de uma boneca de porcelana que, após ser abandonada por sua dona, decide matá-la. A cada aproximação que faz de sua vítima, a boneca faz um telefonema. E o que de início parece um trote vai ganhando ares sombrios com o desenrolar da história:

Uma família muda de cidade, e a filha deles decide jogar fora uma boneca de porcelana que chamava Maria. Naquela mesma noite, a menina recebe um telefonema.

"Olá, é a Maria. Eu estou na lixeira agora."

A menina desliga, mas o telefone toca de novo. "Olá, é a Maria. Eu estou na loja da esquina agora."

O telefone toca uma terceira vez, e uma voz diz: "Olá, é a Maria. Estou na frente da sua casa agora."

A garota toma coragem e abre a porta da frente, mas não encontra ninguém lá. Deve ser um trote, pensa, então o telefone toca novamente.

"Olá, é a Maria. Eu estou atrás de você."

Bloody Mary (Maria Sangrenta)

Esta lenda urbana conta a história de uma jovem, Mary Worth, que era muito bonita e passava horas se admirando no espelho do banheiro. Um dia, Mary sofreu um acidente horrível e seu rosto ficou tão desfigurado que ninguém mais conseguia olhar diretamente para ela. Percebendo a mudança no comportamento das pessoas, Mary decide ver por si mesma o que tinha acontecido. No banheiro de casa, ela reúne coragem para encarar o espelho, mas o que vê a faz gritar e chorar desesperadamente. Ela queria tanto ter o seu antigo rosto de volta que acabou entrando no espelho, jurando recuperá-lo, e nunca mais foi vista.Até hoje, ela assombra os espelhos, e garotas podem invocá-la — se tiverem coragem — desligando as luzes do banheiro, virando-se de costas para o espelho três vezes, dizendo “Bloody Mary, Bloody Mary, Bloody Mary” e olhando para o espelho, onde o rosto desfigurado de Mary Worth aparecerá.
Razoomgames / Getty Images

Esta lenda urbana conta a história de uma jovem, Mary Worth, que era muito bonita e passava horas se admirando no espelho do banheiro.

Um dia, Mary sofreu um acidente horrível e seu rosto ficou tão desfigurado que ninguém mais conseguia olhar diretamente para ela. Percebendo a mudança no comportamento das pessoas, Mary decide ver por si mesma o que tinha acontecido. No banheiro de casa, ela reúne coragem para encarar o espelho, mas o que vê a faz gritar e chorar desesperadamente.

Ela queria tanto ter o seu antigo rosto de volta que acabou entrando no espelho, jurando recuperá-lo, e nunca mais foi vista.

Até hoje, ela assombra os espelhos, e garotas podem invocá-la — se tiverem coragem — desligando as luzes do banheiro, virando-se de costas para o espelho três vezes, dizendo “Bloody Mary, Bloody Mary, Bloody Mary” e olhando para o espelho, onde o rosto desfigurado de Mary Worth aparecerá.

Hotel Cecil

O Hotel Cecil foi inaugurado em 1924, em Los Angeles, e ficou conhecido após se tornar palco de inúmeros crimes e tragédias. Ele serviu de residência para pelo menos dois serial-killers e muitos de seus hóspedes cometeram suicídio pulando de suas janelas. Em 2013, por exemplo, uma turista, Elisa Lam, foi encontrada morta na caixa d'água no telhado do hotel. Sua morte foi considerada acidental, mas imagens das câmeras de segurança do elevador mostraram Lam agindo de maneira estranha, encolhendo-se em um dos cantos, quase como se estivesse se escondendo de alguém. Ao longo dos anos, as pessoas relataram diversos casos estranhos no hotel, que serviu de inspiração para a série de TV "American Horror Story": avistamentos de uma criança do lado de fora da janela no quarto andar, um hóspede que afirmou sentir alguém o enforcando durante a noite e locais no hotel em que a temperatura caía bruscamente sem nenhuma explicação lógica.
FX / Via digitalspyuk.cdnds.net

O Hotel Cecil foi inaugurado em 1924, em Los Angeles, e ficou conhecido após se tornar palco de inúmeros crimes e tragédias. Ele serviu de residência para pelo menos dois serial-killers e muitos de seus hóspedes cometeram suicídio pulando de suas janelas.

Em 2013, por exemplo, uma turista, Elisa Lam, foi encontrada morta na caixa d'água no telhado do hotel. Sua morte foi considerada acidental, mas imagens das câmeras de segurança do elevador mostraram Lam agindo de maneira estranha, encolhendo-se em um dos cantos, quase como se estivesse se escondendo de alguém.

Ao longo dos anos, as pessoas relataram diversos casos estranhos no hotel, que serviu de inspiração para a série de TV "American Horror Story": avistamentos de uma criança do lado de fora da janela no quarto andar, um hóspede que afirmou sentir alguém o enforcando durante a noite e locais no hotel em que a temperatura caía bruscamente sem nenhuma explicação lógica.

Antsybal

Há uma antiga lenda na parte oriental da Rússia – cruzando os montes Urais e na região da Sibéria – sobre um espírito que vive em pântanos chamado Antsybal (ou Achibal).Ninguém que o avistou viveu para contar a história, por isso a descrição de sua aparência varia bastante. No entanto, sabe-se que ele é uma criatura alta, coberta por água pantanosa e com as pernas, os braços e outras partes do corpo cobertas e protegidas por plantas e troncos. Apesar de Atsybal não caçar pessoas deliberadamente, caso alguém se depare com ele, ele tentará matar o "invasor". Antes disso, no entanto, ele pode deixar as pessoas surdas, cegas e desorientadas. Atsybal fará de tudo para que você se perca e se afogue no pântano caso se sinta ameaçado.Dependendo da região, as pessoas também acreditam que Atsybal não possui olhos e que pode imitar o som de qualquer animal, como patos e pássaros, para atrair caçadores locais.
Nastco / Getty Images / Via zidanio.livejournal.com

Há uma antiga lenda na parte oriental da Rússia – cruzando os montes Urais e na região da Sibéria – sobre um espírito que vive em pântanos chamado Antsybal (ou Achibal).

Ninguém que o avistou viveu para contar a história, por isso a descrição de sua aparência varia bastante. No entanto, sabe-se que ele é uma criatura alta, coberta por água pantanosa e com as pernas, os braços e outras partes do corpo cobertas e protegidas por plantas e troncos.

Apesar de Atsybal não caçar pessoas deliberadamente, caso alguém se depare com ele, ele tentará matar o "invasor". Antes disso, no entanto, ele pode deixar as pessoas surdas, cegas e desorientadas. Atsybal fará de tudo para que você se perca e se afogue no pântano caso se sinta ameaçado.

Dependendo da região, as pessoas também acreditam que Atsybal não possui olhos e que pode imitar o som de qualquer animal, como patos e pássaros, para atrair caçadores locais.

La Maison Sanglante (A Casa que Sangra)

A Maison Sanglante ficava em Saint-Quentin, cidadezinha na região de Aisne, na França. A história começa em 1986, quando um casal se muda para lá e, após um mês, começa a ouvir barulhos estranhos (como gemidos e sons de panelas batendo) vindos do chão.A princípio, os dois acharam que eram os vizinhos, mas as coisas começaram a ficar cada vez mais estranhas. Certo dia, a esposa viu uma substância vermelha estranha e viscosa escorrendo pela parede da cozinha. Seria sangue? Seu marido tentou acalmá-la, dizendo que provavelmente era apenas uma tinta antiga reaparecendo. Somente quando o fenômeno começou a acontecer em outras partes da casa, os dois decidiram chamar a polícia. A investigação chegou a uma conclusão assustadora: não era tinta, mas sangue humano. 

O casal então decidiu passar uma semana fora da casa e espalhou farinha pelo chão de todos os cômodos, na tentativa de pegar alguém fazendo uma brincadeira de mau gosto. Quando voltaram, no entanto, não encontraram nenhuma pegada, só todas as paredes totalmente cobertas de sangue. Um padre foi chamado e ele deu o veredito: tratava-se de uma obra do demônio e a casa deveria ser demolida o quanto antes.Quando a casa veio abaixo, foram descobertos os corpos de cerca de 50 soldados alemães da I Guerra Mundial sob suas fundações. A foto acima é da casa que foi construída no lugar da Maison Sanglante.
Via horror-scaryweb.com

A Maison Sanglante ficava em Saint-Quentin, cidadezinha na região de Aisne, na França. A história começa em 1986, quando um casal se muda para lá e, após um mês, começa a ouvir barulhos estranhos (como gemidos e sons de panelas batendo) vindos do chão.

A princípio, os dois acharam que eram os vizinhos, mas as coisas começaram a ficar cada vez mais estranhas. Certo dia, a esposa viu uma substância vermelha estranha e viscosa escorrendo pela parede da cozinha. Seria sangue? Seu marido tentou acalmá-la, dizendo que provavelmente era apenas uma tinta antiga reaparecendo. Somente quando o fenômeno começou a acontecer em outras partes da casa, os dois decidiram chamar a polícia. A investigação chegou a uma conclusão assustadora: não era tinta, mas sangue humano. 



O casal então decidiu passar uma semana fora da casa e espalhou farinha pelo chão de todos os cômodos, na tentativa de pegar alguém fazendo uma brincadeira de mau gosto. Quando voltaram, no entanto, não encontraram nenhuma pegada, só todas as paredes totalmente cobertas de sangue. Um padre foi chamado e ele deu o veredito: tratava-se de uma obra do demônio e a casa deveria ser demolida o quanto antes.

Quando a casa veio abaixo, foram descobertos os corpos de cerca de 50 soldados alemães da I Guerra Mundial sob suas fundações. A foto acima é da casa que foi construída no lugar da Maison Sanglante.

Waldniel-Hostert

O Waldniel-Hostert foi construído pela ordem Franciscana em 1913, em Schwalmtal, Alemanha, como um complexo hospital-escola-igreja que abrigava cerca de 600 pessoas com deficiência física e/ou mental.Durante a ascensão do regime de Adolf Hitler, os Franciscanos foram expulsos e a função da instituição mudou dramaticamente. A princípio, todos os adultos que moravam no local tiveram que passar por uma esterilização obrigatória – um destino comum para todos os setores "indesejados" da sociedade nazista, tal como alcoólatras, esquizofrênicos e pessoas com “fraquezas congênitas”. Após o "decreto da eutanásia", de 1939, essas pessoas também foram enviadas para câmaras de gás.O mesmo decreto também determinava que todos os bebês nascidos com deficiências "incuráveis" deveriam ser submetidos à "eutanásia". Assim, o Waldniel-Hostert tornou-se um matadouro de crianças.Acredita-se que ao menos 97 crianças tenham morrido no Waldniel-Hostert, a maioria delas após receber várias doses de um remédio para dormir vezes seguidas. O processo era longo e agonizante, levando até oito dias para matar. As crianças acabavam desenvolvendo dispneia, se afogando com o muco anormal que era liberado por sua boca e seu nariz.Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a instalação foi devolvida aos Franciscanos, que decidiram vendê-la ao governo federal, que a alugou para diversos fins. Desde 1991, o complexo encontra-se desocupado e à venda. Muitas das pessoas que visitaram o prédio juram ter ouvido o som de crianças gritando e chorando em seus corredores vazios.
Waldniel Hostert / Via waldniel-hostert.de

O Waldniel-Hostert foi construído pela ordem Franciscana em 1913, em Schwalmtal, Alemanha, como um complexo hospital-escola-igreja que abrigava cerca de 600 pessoas com deficiência física e/ou mental.

Durante a ascensão do regime de Adolf Hitler, os Franciscanos foram expulsos e a função da instituição mudou dramaticamente. A princípio, todos os adultos que moravam no local tiveram que passar por uma esterilização obrigatória – um destino comum para todos os setores "indesejados" da sociedade nazista, tal como alcoólatras, esquizofrênicos e pessoas com “fraquezas congênitas”. Após o "decreto da eutanásia", de 1939, essas pessoas também foram enviadas para câmaras de gás.

O mesmo decreto também determinava que todos os bebês nascidos com deficiências "incuráveis" deveriam ser submetidos à "eutanásia". Assim, o Waldniel-Hostert tornou-se um matadouro de crianças.

Acredita-se que ao menos 97 crianças tenham morrido no Waldniel-Hostert, a maioria delas após receber várias doses de um remédio para dormir vezes seguidas. O processo era longo e agonizante, levando até oito dias para matar. As crianças acabavam desenvolvendo dispneia, se afogando com o muco anormal que era liberado por sua boca e seu nariz.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a instalação foi devolvida aos Franciscanos, que decidiram vendê-la ao governo federal, que a alugou para diversos fins.

Desde 1991, o complexo encontra-se desocupado e à venda. Muitas das pessoas que visitaram o prédio juram ter ouvido o som de crianças gritando e chorando em seus corredores vazios.

La Llorona (A Mulher Chorosa)

La Llorona, ou A Mulher Chorosa, foi uma mexicana pobre que se casou com um rico espanhol. Após o nascimento dos filhos, o espanhol perdeu o interesse pela mulher e passou a se envergonhar dela e de seu pouco prestígio social. Então, em um surto de raiva, a mulher pegou todos os filhos e os levou até o rio. Lá, afogou as crianças, achando que isso agradaria o espanhol. No entanto, logo ela foi tomada pelo remorso, começando a gritar: "Mis hijos, mis hijos" (Meus filhos, meus filhos", em espanhol).As pessoas dizem que, até hoje, La Llorona vaga pelas margens dos rios, procurando seus filhos. E caso ela encontre alguma criança andando por perto, a atrairá até a água e a afogará.
Darkbird77 / Getty Images

La Llorona, ou A Mulher Chorosa, foi uma mexicana pobre que se casou com um rico espanhol. Após o nascimento dos filhos, o espanhol perdeu o interesse pela mulher e passou a se envergonhar dela e de seu pouco prestígio social.

Então, em um surto de raiva, a mulher pegou todos os filhos e os levou até o rio. Lá, afogou as crianças, achando que isso agradaria o espanhol. No entanto, logo ela foi tomada pelo remorso, começando a gritar: "Mis hijos, mis hijos" (Meus filhos, meus filhos", em espanhol).

As pessoas dizem que, até hoje, La Llorona vaga pelas margens dos rios, procurando seus filhos. E caso ela encontre alguma criança andando por perto, a atrairá até a água e a afogará.

Chupa-cabra

O chupa-cabra é, provavelmente, a lenda urbana mais famosa de toda a América Latina. Tudo começou na cidadezinha de Moca, Porto Rico, onde camponeses passaram a encontrar suas ovelhas e cabras mortas, sem sangue no corpo e com dois furos no pescoço. Quando a história chegou aos jornais, pessoas de todas as partes da América Latina disseram ter passado por situações semelhantes. Algumas delas, inclusive, diziam já ter visto a criatura que estava matando os animais. De acordo com os inúmeros avistamentos, o chupa-cabra tem cerca de um metro de altura e espinhos que crescem nas costas, indo da base do pescoço até sua cauda. Apesar de ainda haver relatos de avistamentos até hoje, ninguém conseguiu provar a existência do Chupa-cabra.
Commons Wikimedia / Via commons.wikimedia.org

O chupa-cabra é, provavelmente, a lenda urbana mais famosa de toda a América Latina. Tudo começou na cidadezinha de Moca, Porto Rico, onde camponeses passaram a encontrar suas ovelhas e cabras mortas, sem sangue no corpo e com dois furos no pescoço.

Quando a história chegou aos jornais, pessoas de todas as partes da América Latina disseram ter passado por situações semelhantes. Algumas delas, inclusive, diziam já ter visto a criatura que estava matando os animais.

De acordo com os inúmeros avistamentos, o chupa-cabra tem cerca de um metro de altura e espinhos que crescem nas costas, indo da base do pescoço até sua cauda. Apesar de ainda haver relatos de avistamentos até hoje, ninguém conseguiu provar a existência do Chupa-cabra.

Esta é a Semana do Terror no BuzzFeed Brasil. Clique aqui por sua conta e risco para ver todos os posts arrepiantes da nossa semana especial.

Este post foi traduzido do inglês.

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil?

Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.