go to content

As últimas 72 horas do Rio de Janeiro foram MUITO doidas

Enquanto Garotinho esperneava para não ir para a cadeia, chegada de Sérgio Cabral à prisão teve fogos, espumante e bombeiros cantando Beth Carvalho.

publicado

Você deve ter notado que as coisas no Rio de Janeiro andam meio doidas nos últimos dias.

PMs se juntando aos manifestantes na Alerj, Garotinho e Cabral presos, PUC-Rio ocupada... eu q te pergunto, Twitter, oq ta acontecendo?? Amo

A chapa do RJ começou a esquentar na manhã de quarta (16), quando servidores do Estado do Rio fizeram um megaprotesto diante da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio).

Yasuyoshi Chiba / AFP / Getty Images

Os servidores protestavam contra a votação de um pacote de medidas impopulares lançado pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), como congelamento de salários de servidores, cortes em programas sociais e descontos nos vencimentos dos aposentados. O pacote tem o objetivo de conter os gastos do Rio, que está praticamente falido.

Grande parte dos manifestantes eram bombeiros e policiais. Segundo a organização, cerca de 20 mil pessoas participaram do protesto, que terminou em confronto com o Batalhão de Choque.

Yasuyoshi Chiba / AFP / Getty Images

A polícia jogou gás de pimenta na direção dos manifestantes e um grupo tentou invadir o prédio da assembleia, chegando a derrubar uma parte da barreira de grades que isolam o prédio do Palácio Tiradentes (antiga sede do Congresso e atual sede da Alerj).

Dois policiais do Batalhão abandonaram o posto depois que o Choque reprimiu o protesto com jatos d’água, bombas de efeito moral e gás de pimenta, contou o estudante Julio Trindade, que filmou a cena.

Facebook: video.php

Os dois policiais deixaram o posto mas não se juntaram aos manifestantes, segundo o estudante. No vídeo, um deles recusa cumprimentos e deixa o local.

No entanto, usando o mesmo vídeo, o jornal “O Globo” escreveu que os dois se juntaram ao protesto.

Uma fonte da Secretaria de Segurança do Rio informou ao BuzzFeed Brasil que os dois policiais serão presos e punidos com sanções administrativas. Oficialmente, a Polícia Militar informou que ainda apura a circunstância do ocorrido.

No mesmo dia, o ex-governador Anthony Garotinho (PR) foi preso na operação "Chequinho", acusado de comandar um esquema de compra de votos.

Inácio Teixeira

O esquema teria ocorrido em Campos dos Goytacazes (RJ), sua base eleitoral. Rosinha Garotinho é prefeita da cidade.

Segundo as investigações, o esquema mais que dobrou o número de beneficiários do Cheque Cidadão, da Prefeitura de Campos, a partir de junho. O objetivo seria dar o benefício, que destina R$ 200 a famílias pobres, em troca de votos. De acordo com o Ministério Público, 11 vereadores eleitos foram beneficiados pela prática.

Assim que notícia da prisão dele chegou ao pessoal que protestava em frente à Alerj, deu para ouvir o coro: "Au au au, só falta o Cabral!", em referência a outro ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB).

Pois bem: no dia seguinte, quinta-feira (17) Cabral foi preso pela operação Lava Jato, acusado de chefiar um grupo que desviou mais de R$ 220 milhões em contratos de obras do Rio.

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Adriana Ancelmo, esposa de Cabral, também foi presa.

O pessoal então voltou para frente da Alerj para comemorar a prisão de Cabral com dois grandes bolos.

HOMEM PRATEADO COME RESTOS DE BOLO EM COMEMORAÇAO A PRISAO DE SERGIO CABRAL

Enquanto isso, Cabral foi recebido no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, com muita festa, fogos de artifício, garrafas de espumante e samba.

fogos, champagne e samba na recepção a Cabral em Bangu. "você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão. ladrão… https://t.co/OSiwlWutTL

A festinha de recepção foi preparada por um grupo de bombeiros, que esperavam no local desde quando souberam que o ex-governador havia sido preso. Eles cantaram para receber o político: Você pagou com traição / a quem sempre lhe deu a mão! Ladrão!

... E Garotinho acabou sendo transferido para o mesmo lugar, apesar de MUITA resistência. Ele gritou e tentou chutar a equipe que cuidou de sua transferência.

A filha do ex-governador Anthony Garotinho, Clarissa, chora durante a transferência dele para o Complexo Penitenciá… https://t.co/LPKNz5NJQS

Garotinho estava no no Hospital Municipal Souza Aguiar, para onde foi levado após passar mal em uma superintendência da Polícia Federal. A Justiça determinou que ele fosse dali para o complexo prisional. “Vocês estão de sacanagem. Querem me matar, porra!”, gritou. A mulher Rosinha Garotinho e a filha, Clarissa Garotinho, também protestaram muito contra a ida do ex-governador à cadeia.

Veja de outro ângulo como Garotinho tenta, de todos os jeitos, evitar ser transferido.

Aqui dá para ouvir ele gritando "eu não matei ninguém! Vai prender o Cavendish!", em uma referência ao empreiteiro e amigo de Sérgio Cabral, dono da empreiteira Delta.

Facebook: video.php

Cavendish está prestes a concluir delação premida na Lava-Jato.

A semana teve ainda proibição do Uber na cidade do Rio de Janeiro.

Yasuyoshi Chiba / AFP / Getty Images

Desde abril, serviço de transporte funcionava com liminar da Justiça. O prefeito Eduardo Paes tem até 15 dias para vetar o projeto.

Este post pode ser atualizado ao longo do dia, afinal parece que no Rio ultimamente tudo pode acontecer.

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss