back to top

As últimas 72 horas do Rio de Janeiro foram MUITO doidas

Enquanto Garotinho esperneava para não ir para a cadeia, chegada de Sérgio Cabral à prisão teve fogos, espumante e bombeiros cantando Beth Carvalho.

publicado

Você deve ter notado que as coisas no Rio de Janeiro andam meio doidas nos últimos dias.

PMs se juntando aos manifestantes na Alerj, Garotinho e Cabral presos, PUC-Rio ocupada... eu q te pergunto, Twitter, oq ta acontecendo?? Amo

A chapa do RJ começou a esquentar na manhã de quarta (16), quando servidores do Estado do Rio fizeram um megaprotesto diante da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio).

Yasuyoshi Chiba / AFP / Getty Images

Os servidores protestavam contra a votação de um pacote de medidas impopulares lançado pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), como congelamento de salários de servidores, cortes em programas sociais e descontos nos vencimentos dos aposentados. O pacote tem o objetivo de conter os gastos do Rio, que está praticamente falido.

Publicidade

Grande parte dos manifestantes eram bombeiros e policiais. Segundo a organização, cerca de 20 mil pessoas participaram do protesto, que terminou em confronto com o Batalhão de Choque.

Yasuyoshi Chiba / AFP / Getty Images

A polícia jogou gás de pimenta na direção dos manifestantes e um grupo tentou invadir o prédio da assembleia, chegando a derrubar uma parte da barreira de grades que isolam o prédio do Palácio Tiradentes (antiga sede do Congresso e atual sede da Alerj).

Dois policiais do Batalhão abandonaram o posto depois que o Choque reprimiu o protesto com jatos d’água, bombas de efeito moral e gás de pimenta, contou o estudante Julio Trindade, que filmou a cena.

Facebook: video.php

Os dois policiais deixaram o posto mas não se juntaram aos manifestantes, segundo o estudante. No vídeo, um deles recusa cumprimentos e deixa o local.

No entanto, usando o mesmo vídeo, o jornal “O Globo” escreveu que os dois se juntaram ao protesto.

Uma fonte da Secretaria de Segurança do Rio informou ao BuzzFeed Brasil que os dois policiais serão presos e punidos com sanções administrativas. Oficialmente, a Polícia Militar informou que ainda apura a circunstância do ocorrido.

No mesmo dia, o ex-governador Anthony Garotinho (PR) foi preso na operação "Chequinho", acusado de comandar um esquema de compra de votos.

Inácio Teixeira

O esquema teria ocorrido em Campos dos Goytacazes (RJ), sua base eleitoral. Rosinha Garotinho é prefeita da cidade.

Segundo as investigações, o esquema mais que dobrou o número de beneficiários do Cheque Cidadão, da Prefeitura de Campos, a partir de junho. O objetivo seria dar o benefício, que destina R$ 200 a famílias pobres, em troca de votos. De acordo com o Ministério Público, 11 vereadores eleitos foram beneficiados pela prática.

Assim que notícia da prisão dele chegou ao pessoal que protestava em frente à Alerj, deu para ouvir o coro: "Au au au, só falta o Cabral!", em referência a outro ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB).

Pois bem: no dia seguinte, quinta-feira (17) Cabral foi preso pela operação Lava Jato, acusado de chefiar um grupo que desviou mais de R$ 220 milhões em contratos de obras do Rio.

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Adriana Ancelmo, esposa de Cabral, também foi presa.

Publicidade

O pessoal então voltou para frente da Alerj para comemorar a prisão de Cabral com dois grandes bolos.

HOMEM PRATEADO COME RESTOS DE BOLO EM COMEMORAÇAO A PRISAO DE SERGIO CABRAL

Enquanto isso, Cabral foi recebido no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, com muita festa, fogos de artifício, garrafas de espumante e samba.

fogos, champagne e samba na recepção a Cabral em Bangu. "você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão. ladrão… https://t.co/OSiwlWutTL

A festinha de recepção foi preparada por um grupo de bombeiros, que esperavam no local desde quando souberam que o ex-governador havia sido preso. Eles cantaram para receber o político: Você pagou com traição / a quem sempre lhe deu a mão! Ladrão!

... E Garotinho acabou sendo transferido para o mesmo lugar, apesar de MUITA resistência. Ele gritou e tentou chutar a equipe que cuidou de sua transferência.

A filha do ex-governador Anthony Garotinho, Clarissa, chora durante a transferência dele para o Complexo Penitenciá… https://t.co/LPKNz5NJQS

Garotinho estava no no Hospital Municipal Souza Aguiar, para onde foi levado após passar mal em uma superintendência da Polícia Federal. A Justiça determinou que ele fosse dali para o complexo prisional. “Vocês estão de sacanagem. Querem me matar, porra!”, gritou. A mulher Rosinha Garotinho e a filha, Clarissa Garotinho, também protestaram muito contra a ida do ex-governador à cadeia.

Publicidade

Veja de outro ângulo como Garotinho tenta, de todos os jeitos, evitar ser transferido.

Aqui dá para ouvir ele gritando "eu não matei ninguém! Vai prender o Cavendish!", em uma referência ao empreiteiro e amigo de Sérgio Cabral, dono da empreiteira Delta.

Facebook: video.php

Cavendish está prestes a concluir delação premida na Lava-Jato.

A semana teve ainda proibição do Uber na cidade do Rio de Janeiro.

Yasuyoshi Chiba / AFP / Getty Images

Desde abril, serviço de transporte funcionava com liminar da Justiça. O prefeito Eduardo Paes tem até 15 dias para vetar o projeto.

Este post pode ser atualizado ao longo do dia, afinal parece que no Rio ultimamente tudo pode acontecer.

Em parceria com

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss