back to top

18 maneiras de uma pessoa LGBT empoderar a outra

Não bote outra pessoa LGBT para baixo por conta da sua aparência, por exemplo.

publicado

1. Não responda quando te perguntarem se alguém tem pinta de gay/lésbica.

Debater a orientação sexual alheia baseando-se em trejeitos ou na forma de se vestir só contribuiu para perpetuar estereótipos.
Drante / Getty Images

Debater a orientação sexual alheia baseando-se em trejeitos ou na forma de se vestir só contribuiu para perpetuar estereótipos.

2. Saia do armário o mais rápido possível.

Falar abertamente sobre a sua sexualidade empodera não apenas você, como todo o mundo LGBT ao seu redor.
Viewapart / Getty Images

Falar abertamente sobre a sua sexualidade empodera não apenas você, como todo o mundo LGBT ao seu redor.

3. Mas não julgue pessoas que ainda não saíram do armário ou que não estão engajadas com a causa LGBT.

Cada um tem o seu tempo.
Cebas / Getty Images

Cada um tem o seu tempo.

4. Indique uma pessoa trans para uma vaga de trabalho.

Segundo dados da RedeTrans (Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil), 90% das mulheres trans acabam na prostituição, enquanto homens trans recorrem a subempregos, fruto da discriminação do mercado de trabalho formal.
Reprodução / Via maribortoletto.wordpress.com

Segundo dados da RedeTrans (Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil), 90% das mulheres trans acabam na prostituição, enquanto homens trans recorrem a subempregos, fruto da discriminação do mercado de trabalho formal.

Publicidade

5. Promova a diversidade no seu ambiente de trabalho.

Debater questões, propor mudanças ao RH, conversar com os chefes e colegas de trabalho é muito importante, não apenas para a sua qualidade de vida, mas para os futuros funcionários LGBT da empresa.
Gajus / Getty Images

Debater questões, propor mudanças ao RH, conversar com os chefes e colegas de trabalho é muito importante, não apenas para a sua qualidade de vida, mas para os futuros funcionários LGBT da empresa.

6. Não duvide de alguém que se identifica como bissexual.

A letra B da sigla LGBT sofre muita alienação por parte da comunidade. Muita gente duvida de pessoas que se identificam como bissexual, apagando a vivência do outro.
Cherriesjd / Getty Images

A letra B da sigla LGBT sofre muita alienação por parte da comunidade. Muita gente duvida de pessoas que se identificam como bissexual, apagando a vivência do outro.

7. Apoie organizações LGBTs que precisam de ajuda.

Procure ONGs, grupos de apoio e iniciativas próximas a você que sejam voltadas ao público LGBT. Vá lá conhecer, divulgue e ofereça ajuda financeira ou prática.
BuzzFeed Brasil/Divulgação / Via Facebook: casanemcasaviva

Procure ONGs, grupos de apoio e iniciativas próximas a você que sejam voltadas ao público LGBT. Vá lá conhecer, divulgue e ofereça ajuda financeira ou prática.

8. Una seus amigos gays e as suas amigas lésbicas.

Homens e mulheres homossexuais são bem diferentes, mas dividem a mesma luta. Então é necessário que eles debatam questões, desfrutem de espaços juntos e respeitem uns aos outros.
Nito100 / Getty Images

Homens e mulheres homossexuais são bem diferentes, mas dividem a mesma luta. Então é necessário que eles debatam questões, desfrutem de espaços juntos e respeitem uns aos outros.

Publicidade

9. Não segregue outros LGBTs por sua classe social ou cor da pele.

Entenda o seu privilégio e permita que outros LGBTs exerçam o seu lugar de fala e protagonismo na comunidade.
Merlas / Getty Images

Entenda o seu privilégio e permita que outros LGBTs exerçam o seu lugar de fala e protagonismo na comunidade.

10. Tire a sua descrição "discreto e fora do meio" dos aplicativos.

Não há nada de especial em "não parecer gay". Apenas seja você mesmo.
Reprodução / Via latimes.com

Não há nada de especial em "não parecer gay". Apenas seja você mesmo.

11. Dê a mão, abrace e beije sempre que puder.

Ser LGBT é um ato político e gestos de afeto em público ajudam a mover as barreiras do preconceito. Sempre atentando para a sua segurança, claro.
Robertdodge / Getty Images

Ser LGBT é um ato político e gestos de afeto em público ajudam a mover as barreiras do preconceito. Sempre atentando para a sua segurança, claro.

12. Vá a Paradas do Orgulho LGBT e convide amigos e família.

Não importa se você não é muito de festa, a Parada do Orgulho LGBT é um momento importante de luta e visibilidade. É fundamental que a sociedade veja que nós existimos, que as pessoas vejam outros exemplos de família e principalmente que você convide pessoas héteros a vivenciarem o evento.
Reprodução/Netflix / Via instagram.com

Não importa se você não é muito de festa, a Parada do Orgulho LGBT é um momento importante de luta e visibilidade. É fundamental que a sociedade veja que nós existimos, que as pessoas vejam outros exemplos de família e principalmente que você convide pessoas héteros a vivenciarem o evento.

Publicidade

13. Não bote outra pessoa LGBT para baixo por conta da sua aparência.

Sabe aquele preconceito disfarçado de "gosto pessoal"? Pois é, dizer que não curte afeminados, não curte gordos, não curte negros ou não curte asiáticos não é questão de gosto, é reprodução de padrões preconceituosos.
Reprodução/Instagram / Via instagram.com

Sabe aquele preconceito disfarçado de "gosto pessoal"? Pois é, dizer que não curte afeminados, não curte gordos, não curte negros ou não curte asiáticos não é questão de gosto, é reprodução de padrões preconceituosos.

14. Eduque quando alguém disser coisas LGBTfóbicas na sua frente.

Não precisa brigar. Muitas vezes comentários LGBTfóbicos surgem da desinformação. Então explique aquele termo inadequado, esclareça aquela opinião desinformada. A não ser que a pessoa venha de um lugar de ódio, né? Aí nem vale a pena perder seu tempo.
Bowie15 / Getty Images

Não precisa brigar. Muitas vezes comentários LGBTfóbicos surgem da desinformação. Então explique aquele termo inadequado, esclareça aquela opinião desinformada. A não ser que a pessoa venha de um lugar de ódio, né? Aí nem vale a pena perder seu tempo.

15. Divulgue o trabalho de artistas LGBTs.

Vamos dar espaço e jogar os holofotes nos grandes artistas LGBTs que estão fazendo barulho por aí.
Divulgação / Via last.fm

Vamos dar espaço e jogar os holofotes nos grandes artistas LGBTs que estão fazendo barulho por aí.

16. Frequente estabelecimentos que apoiem a causa e boicote aqueles que se envolveram com casos de LGBTfobia.

Anote os nomes de estabelecimentos que já foram denunciados na imprensa e redes sociais por vítimas de LGBTfobia. Eles não merecem o seu pink money!
Boumenjapet / Getty Images

Anote os nomes de estabelecimentos que já foram denunciados na imprensa e redes sociais por vítimas de LGBTfobia. Eles não merecem o seu pink money!

Publicidade

17. Cobre dos políticos e órgãos públicos as soluções para problemas da comunidade LGBT, mesmo que eles não te afetem pessoalmente.

Existem diversos Projetos de Lei e normas a serem aprovadas que poderiam melhorar e muito a vida de pessoas LGBTs.
Reprodução / Via Twitter: @buzzfeednewsbr

Existem diversos Projetos de Lei e normas a serem aprovadas que poderiam melhorar e muito a vida de pessoas LGBTs.

18. Sirva de exemplo para LGBTs mais jovens e aprenda com os mais velhos que vieram antes de você.

Muitos LGBTs sofrem por falta de heróis e de representação. Seja uma inspiração para alguém e valorize as pessoas que sofreram no passado para você ter os direitos que você tem hoje.
Monkeybusinessimages / Getty Images

Muitos LGBTs sofrem por falta de heróis e de representação. Seja uma inspiração para alguém e valorize as pessoas que sofreram no passado para você ter os direitos que você tem hoje.

Em junho, o BuzzFeed Brasil celebra o respeito à diversidade. Acesse os demais conteúdos da Semana LGBT aqui.

Veja também: