back to top

13 pessoas contam as humilhações mais hilárias que elas já passaram

Agora vocês estão sendo exaltados, guerreiros!

publicado

Perguntamos aos membros do grupo do BuzzFeed Brasil no Facebook qual foi a maior humilhação que a vida já fez elas passarem. Aqui estão as melhores respostas:

O texto pode ter sido editado para clareza e concisão.

1. O crush da graduação.

"Durante a graduação, eu estudava com um boy magia e até tínhamos uma 'amizade interessante'. Digo isso pois ele fez uma dobradura em formato de coração uma vez e me deu (risos). Então, me encantei por ele no primeiro dia de aula e passei o tempo todo secando ele.Até que um dia decidimos (sim, falo no plural porque minha amiga também era afim) convidá-lo para a minha festa de aniversário. Essa amiga me incentivou e disse: 'Vamos aproveitar essa oportunidade, convida que ele vai. Vocês dois conversam muito e qualquer uma que ele escolher tá ótimo.' Segundo ela, uma ficaria feliz pela outra (mentira, eu ficaria com raiva).Quando o convidei, ele todo sorridente disse que iria sim, porém que buscaria a NAMORADA antes. Disse que me ligaria quando chegasse à cidade pra pegar o endereço (moramos em cidades diferentes). Super desilusão, haha. E a gente se prestando ao papel de 'ser escolhida' por ele, haha. Ridículas!" - Joyce Ferreira
Reprodução/Tv Globo / Via Twitter: @luana_cwb_

"Durante a graduação, eu estudava com um boy magia e até tínhamos uma 'amizade interessante'. Digo isso pois ele fez uma dobradura em formato de coração uma vez e me deu (risos). Então, me encantei por ele no primeiro dia de aula e passei o tempo todo secando ele.

Até que um dia decidimos (sim, falo no plural porque minha amiga também era afim) convidá-lo para a minha festa de aniversário. Essa amiga me incentivou e disse: 'Vamos aproveitar essa oportunidade, convida que ele vai. Vocês dois conversam muito e qualquer uma que ele escolher tá ótimo.' Segundo ela, uma ficaria feliz pela outra (mentira, eu ficaria com raiva).

Quando o convidei, ele todo sorridente disse que iria sim, porém que buscaria a NAMORADA antes. Disse que me ligaria quando chegasse à cidade pra pegar o endereço (moramos em cidades diferentes). Super desilusão, haha. E a gente se prestando ao papel de 'ser escolhida' por ele, haha. Ridículas!" - Joyce Ferreira

2. O réveillon dos humilhados.

"Eu tinha terminado um namoro em novembro de 2015 e eis que descubro que o meu ex estaria na festa de ano novo que eu pretendia ir. Fiquei preocupada que isso pudesse estragar meu réveillon e comentei isso com o crush de uma cidade próxima. Eis que o abençoado diz: 'Vem passar aqui comigo. Se você não se importar, a minha família vai estar, mas você é simpática, vai se dar bem'. E eu adorando que já ia entrosar com a sogra pra 2016, né? Então comprei um look bafo, fiz minha malinha, entrei me no busão e fui! O boy me buscou na rodoviária, fomos almoçar no shopping porque, segundo ele, na casa dele ia demorar muito. Ia tudo muito bem, até que ele diz: 'Olha, lá em casa tá cheio de parentes, não vamos conseguir ficar muito sozinhos e quero te conhecer melhor.' Conclusão: fomos no motel... Quando acabamos ele começa: 'Tenho uma coisa pra te contar. Não fica chateada, tá? Mas não tem como você ir pro sítio com a gente. Minha família vai estar lá e todo mundo vai achar que você é minha namorada. Mas fica tranquila, eu te levo na rodoviária de novo.' Eu nunca me senti TÃO trouxa em toda a minha existência. Ele me deixou na rodoviária e, para não assumir a derrota e nem a vergonha, acionei meus amigos da cidade. Por glória divina um deles estava por lá e passei o ano novo com ele. Foi um dos melhores que já fui, então no final deu tudo certo. Mas hoje eu rio e não sei como me meti nessa." - Bruna Lopez
Nicoletaionescu / Getty Images

"Eu tinha terminado um namoro em novembro de 2015 e eis que descubro que o meu ex estaria na festa de ano novo que eu pretendia ir. Fiquei preocupada que isso pudesse estragar meu réveillon e comentei isso com o crush de uma cidade próxima. Eis que o abençoado diz: 'Vem passar aqui comigo. Se você não se importar, a minha família vai estar, mas você é simpática, vai se dar bem'. E eu adorando que já ia entrosar com a sogra pra 2016, né? Então comprei um look bafo, fiz minha malinha, entrei me no busão e fui!

O boy me buscou na rodoviária, fomos almoçar no shopping porque, segundo ele, na casa dele ia demorar muito. Ia tudo muito bem, até que ele diz: 'Olha, lá em casa tá cheio de parentes, não vamos conseguir ficar muito sozinhos e quero te conhecer melhor.'

Conclusão: fomos no motel... Quando acabamos ele começa: 'Tenho uma coisa pra te contar. Não fica chateada, tá? Mas não tem como você ir pro sítio com a gente. Minha família vai estar lá e todo mundo vai achar que você é minha namorada. Mas fica tranquila, eu te levo na rodoviária de novo.'

Eu nunca me senti TÃO trouxa em toda a minha existência. Ele me deixou na rodoviária e, para não assumir a derrota e nem a vergonha, acionei meus amigos da cidade. Por glória divina um deles estava por lá e passei o ano novo com ele. Foi um dos melhores que já fui, então no final deu tudo certo. Mas hoje eu rio e não sei como me meti nessa." - Bruna Lopez

3. A aposta.

"Uns três meses antes de eu completar 18 anos, saí com uns amigos e decidi apostar com um deles quem é que aguentava beber mais vodka. Claro que eu, magrela e baixinha, caí na bad primeiro. Mas bateu feio! Levantei pra ir no banheiro com tudo rodando, fiz xixi e comecei a vomitar tudo. Nessa, meu amigo que estava apostando comigo foi me acudir. Só que eu estava de calça arriada ainda, nem deu tempo de vestir depois do xixi. Resultado: fui parar no hospital quase num coma alcoólico, chamaram o Conselho Tutelar porque eu ainda não tinha maioridade e meus amigos chamaram a minha mãe. Eu fiquei tão nervosa com a merda que fiz que tiveram que me dar um calmante quando vi meus pais chegarem no hospital. No dia seguinte, em casa, meus pais estavam urrando de rir de mim, especialmente meu pai que tava me dando chá de boldo pro estômago. Até hoje me sinto humilhada e idiota de ter feito isso, mas depois foram surgindo histórias da família e percebi que minhas tias, meu pai, minha avó, quase todo mundo já tinha feito besteira com bebedeira. Vida que segue, né?" - Raissa Pelagagi Ximenes
Reprodução/Universal / Via observatoriodocinema.bol.uol.com.br

"Uns três meses antes de eu completar 18 anos, saí com uns amigos e decidi apostar com um deles quem é que aguentava beber mais vodka. Claro que eu, magrela e baixinha, caí na bad primeiro. Mas bateu feio! Levantei pra ir no banheiro com tudo rodando, fiz xixi e comecei a vomitar tudo. Nessa, meu amigo que estava apostando comigo foi me acudir. Só que eu estava de calça arriada ainda, nem deu tempo de vestir depois do xixi.

Resultado: fui parar no hospital quase num coma alcoólico, chamaram o Conselho Tutelar porque eu ainda não tinha maioridade e meus amigos chamaram a minha mãe. Eu fiquei tão nervosa com a merda que fiz que tiveram que me dar um calmante quando vi meus pais chegarem no hospital. No dia seguinte, em casa, meus pais estavam urrando de rir de mim, especialmente meu pai que tava me dando chá de boldo pro estômago.

Até hoje me sinto humilhada e idiota de ter feito isso, mas depois foram surgindo histórias da família e percebi que minhas tias, meu pai, minha avó, quase todo mundo já tinha feito besteira com bebedeira. Vida que segue, né?" - Raissa Pelagagi Ximenes

Publicidade

4. O gringo paraguaio.

"Ano passado fiquei interessada num boy paraguaio da universidade. Eu sempre me arrumava esperando ele aparecer na aula, ia toda linda. Teve um dia mesmo que eu fui toda sexy com um vestido decotado mostrando a renda do meu sutiã, batom vermelho e uma meia bem sexy toda preparada pra atacar. Só que, todos os dias que eu me arrumava, ele faltava. No dia em que eu fui feia, ele apareceu. Eu, muito doida, inventei que tinha que fazer uma pesquisa com gringos (maior rolê pra inventar essa pesquisa) e peguei o número dele. Então enviei a tal 'pesquisa' e depois meio que me declarei dizendo que achava ele gatinho, interessante e tal. E o desgraçado respondeu um: 'Obrigado, tenha um bom dia.'" - Rita Paiva
Reprodução/Tv Globo / Via gente.ig.com.br

"Ano passado fiquei interessada num boy paraguaio da universidade. Eu sempre me arrumava esperando ele aparecer na aula, ia toda linda. Teve um dia mesmo que eu fui toda sexy com um vestido decotado mostrando a renda do meu sutiã, batom vermelho e uma meia bem sexy toda preparada pra atacar. Só que, todos os dias que eu me arrumava, ele faltava.

No dia em que eu fui feia, ele apareceu. Eu, muito doida, inventei que tinha que fazer uma pesquisa com gringos (maior rolê pra inventar essa pesquisa) e peguei o número dele. Então enviei a tal 'pesquisa' e depois meio que me declarei dizendo que achava ele gatinho, interessante e tal. E o desgraçado respondeu um: 'Obrigado, tenha um bom dia.'" - Rita Paiva

5. O match no Tinder.

"Eu dei match no Tinder com uma moça do mesmo coworking que o meu. Ela tava trabalhando lá há pouco tempo e eu nunca a tinha visto. Aí eu tava comentando com meus amigos no almoço que tinha dado match com uma moça mó gata, mostrei a foto dela e tudo. Dias depois ela me chama no Instagram, puta porque eu mostrei o Tinder dela pra todo mundo. Pois é, ela estava comendo marmita NA MESA DO LADO e eu não vi. Eu morri de vergonha, pedi desculpas, até chamei pra tomar uma cerveja pra ver se tirava a péssima impressão. Mas ela não falou mais comigo. Até hoje não vi a cara dela (tem mais de 1 semana) e se vi não reconheci. Mas se eu reconhecer acho que vou cavar um buraco no chão pra enfiar minha cara." - Anônima
Siphotography / Getty Images

"Eu dei match no Tinder com uma moça do mesmo coworking que o meu. Ela tava trabalhando lá há pouco tempo e eu nunca a tinha visto. Aí eu tava comentando com meus amigos no almoço que tinha dado match com uma moça mó gata, mostrei a foto dela e tudo.

Dias depois ela me chama no Instagram, puta porque eu mostrei o Tinder dela pra todo mundo. Pois é, ela estava comendo marmita NA MESA DO LADO e eu não vi. Eu morri de vergonha, pedi desculpas, até chamei pra tomar uma cerveja pra ver se tirava a péssima impressão. Mas ela não falou mais comigo. Até hoje não vi a cara dela (tem mais de 1 semana) e se vi não reconheci. Mas se eu reconhecer acho que vou cavar um buraco no chão pra enfiar minha cara." - Anônima

6. A treta do MSN.

"Eu e minha melhor amiga brincávamos de trocar o MSN, uma entrava no da outra. Ela sabia que eu era apaixonada pelo primo dela e me incentivava a tentar ficar com ele. Daí um dia eu entrei no MSN dela e perguntei pro primo, como se fosse ela: 'Lukas, por que você não fica com a Bárbara?'. Ele respondeu: 'Você sabe muito bem'. E eu fiquei: 'Não sei', e ele: 'sabe sim'. Eu: 'Não sei', etc... Até que ele disse: 'Porque eu sou apaixonado por você, Miriã. Eu te amo e já te disse isso mil vezes.' Eu fiquei em choque. Minha melhor amiga me incentivava a ficar com um cara que era apaixonado por ela, só pra tentar se livrar dele. E o pior é que eu fui dama no aniversário de 15 anos dela e esse primo era meu par. Eu e ela tínhamos escolhido para a gente dançar juntos, afinal, eu gostava dele e ela me dava todo o apoio do mundo." - Bárbara Jardim
Reprodução/TV Globo / Via globoplay.globo.com

"Eu e minha melhor amiga brincávamos de trocar o MSN, uma entrava no da outra. Ela sabia que eu era apaixonada pelo primo dela e me incentivava a tentar ficar com ele. Daí um dia eu entrei no MSN dela e perguntei pro primo, como se fosse ela: 'Lukas, por que você não fica com a Bárbara?'. Ele respondeu: 'Você sabe muito bem'. E eu fiquei: 'Não sei', e ele: 'sabe sim'. Eu: 'Não sei', etc...

Até que ele disse: 'Porque eu sou apaixonado por você, Miriã. Eu te amo e já te disse isso mil vezes.' Eu fiquei em choque. Minha melhor amiga me incentivava a ficar com um cara que era apaixonado por ela, só pra tentar se livrar dele. E o pior é que eu fui dama no aniversário de 15 anos dela e esse primo era meu par. Eu e ela tínhamos escolhido para a gente dançar juntos, afinal, eu gostava dele e ela me dava todo o apoio do mundo." - Bárbara Jardim

7. As flores da discórdia.

"Um dia chegou um buquê de flores gigante aqui no trabalho com o meu nome. Mandei mensagem pro boy toda fofa agradecendo, mas ele disse que não era dele. Eu li direito o cartão e a Larissa do buquê não era eu. No fim das contas, perdi o buquê e o boy, que achou que eu estava traindo ele com outra pessoa." - Larissa Miziara
Reprodução/ Blue Star Pictures / Via cinema.uol.com.br

"Um dia chegou um buquê de flores gigante aqui no trabalho com o meu nome. Mandei mensagem pro boy toda fofa agradecendo, mas ele disse que não era dele. Eu li direito o cartão e a Larissa do buquê não era eu. No fim das contas, perdi o buquê e o boy, que achou que eu estava traindo ele com outra pessoa." - Larissa Miziara

Publicidade

8. A barbeiragem.

"Eu fui junto com uma amiga buscar o carro no estacionamento da faculdade, que estava em obras. Quando passamos, um grupo de pedreiros que estavam no local resolveu fazer jus à fama e começar a gritar um monte de gracinhas para a gente. Eu fiquei bufando de raiva, com aquela cara de 'sou-mulher-empoderada-não-tenho-que-aguentar-esta-merda'. Para mostrar ainda mais meu descontentamento, saí cantando pneus de tanta raiva e entrei de ré DIRETO NUMA ÁRVORE que tinha no meio do estacionamento. Estou até hoje ouvindo o eco da gargalhada dos pedreiros. E ainda acabei endossando sem querer aquela visão sexista de que mulher não sabe dirigir. Fiquei com tanta vergonha da minha barbeiragem que nem desci do carro para ver o estrago, manobrei e fui embora sem nem olhar para trás." - Diana Corrêa
Reprodução/Universal / Via mamamia.com.au

"Eu fui junto com uma amiga buscar o carro no estacionamento da faculdade, que estava em obras. Quando passamos, um grupo de pedreiros que estavam no local resolveu fazer jus à fama e começar a gritar um monte de gracinhas para a gente. Eu fiquei bufando de raiva, com aquela cara de 'sou-mulher-empoderada-não-tenho-que-aguentar-esta-merda'.

Para mostrar ainda mais meu descontentamento, saí cantando pneus de tanta raiva e entrei de ré DIRETO NUMA ÁRVORE que tinha no meio do estacionamento. Estou até hoje ouvindo o eco da gargalhada dos pedreiros. E ainda acabei endossando sem querer aquela visão sexista de que mulher não sabe dirigir. Fiquei com tanta vergonha da minha barbeiragem que nem desci do carro para ver o estrago, manobrei e fui embora sem nem olhar para trás." - Diana Corrêa

9. A festa de 15 anos.

"Certa vez eu estava em uma festa de 15 anos e o salão tinha uma escada em espiral. Fica um vão entre essa escada e a parede, e todas as crianças chegavam na última curva da escada e pulavam pelo vão ao invés de terminar de descer pelos degraus. Eu, muito comportada, descia tudo certinho. Uma hora eu resolvi dar uma de descolada e fiquei ENTALADA!! Meu vestido ficou pra cima e minhas pernas, calcinha e meia calça balançando enquanto minha irmã me puxava tentando me salvar. Só que ela não conseguia fazer nada de tanto dar gargalhada. Eu gritava desesperada 'me ajuda' e ela passando mal de rir. Foi uma das maiores vergonhas que já passei." - Barbara Pelegrino
Zysman / Getty Images

"Certa vez eu estava em uma festa de 15 anos e o salão tinha uma escada em espiral. Fica um vão entre essa escada e a parede, e todas as crianças chegavam na última curva da escada e pulavam pelo vão ao invés de terminar de descer pelos degraus. Eu, muito comportada, descia tudo certinho.

Uma hora eu resolvi dar uma de descolada e fiquei ENTALADA!! Meu vestido ficou pra cima e minhas pernas, calcinha e meia calça balançando enquanto minha irmã me puxava tentando me salvar. Só que ela não conseguia fazer nada de tanto dar gargalhada. Eu gritava desesperada 'me ajuda' e ela passando mal de rir. Foi uma das maiores vergonhas que já passei." - Barbara Pelegrino

10. O buraco no caminho.

"Fazia meses na faculdade que eu ficava admirando uma moça linda de longe, com zero coragem de ir até ela. Até que um dia, numa calourada no campus, eu estava com uma amiga na fila da bebida e comecei a dizer que queria muito falar com a menina. Ela me deu o maior incentivo e lá fui eu na maior confiança. Mal sabia eu que no meio do caminho tinha um buraco. Eu enfiei o pé e cai no chão que nem um cocozinho. A menina viu e veio me socorrer, mas eu doida de bebida fiquei brava e parecia uma idiota respondendo a coitada. Ela me deu um copo de água e outro amigo chegou pra me ajudar. No dia seguinte, meu pé parecia uma pata de elefante e, claro, eu nunca mais consegui olhar pra cara dela." - Luísa Gonçalves
Reprodução/Disney / Via youtube.com

"Fazia meses na faculdade que eu ficava admirando uma moça linda de longe, com zero coragem de ir até ela. Até que um dia, numa calourada no campus, eu estava com uma amiga na fila da bebida e comecei a dizer que queria muito falar com a menina. Ela me deu o maior incentivo e lá fui eu na maior confiança.

Mal sabia eu que no meio do caminho tinha um buraco. Eu enfiei o pé e cai no chão que nem um cocozinho. A menina viu e veio me socorrer, mas eu doida de bebida fiquei brava e parecia uma idiota respondendo a coitada. Ela me deu um copo de água e outro amigo chegou pra me ajudar. No dia seguinte, meu pé parecia uma pata de elefante e, claro, eu nunca mais consegui olhar pra cara dela." - Luísa Gonçalves

11. A prova da humilhação.

"Eu estava na quarta série e era a aluna queridinha da professora. Lembro que, numa prova, todo mundo estava pedindo pra ir ao banheiro. Eu estava apertadíssima, mas quando fui levantar a mão pra pedir para ir também, a professora falou que não ia deixar mais ninguém sair. Depois disso, fiquei sem coragem de contradizer ela e fiquei segurando até o fim da prova. Quando eu não consegui mais segurar, chamei a professora, ela veio pegar a prova e eu pedi pra ir. Mas foi tarde demais e acabei me mijando na sala quando levantei. Eu saí correndo e chorei muito de vergonha. Pior que ainda tive que voltar para a sala, pra ainda descobrir que tinha tirado a pior nota da turma. Humilhação nunca é pouca." - Rafaela Carvalho
Ryanking999 / Getty Images

"Eu estava na quarta série e era a aluna queridinha da professora. Lembro que, numa prova, todo mundo estava pedindo pra ir ao banheiro. Eu estava apertadíssima, mas quando fui levantar a mão pra pedir para ir também, a professora falou que não ia deixar mais ninguém sair.

Depois disso, fiquei sem coragem de contradizer ela e fiquei segurando até o fim da prova. Quando eu não consegui mais segurar, chamei a professora, ela veio pegar a prova e eu pedi pra ir. Mas foi tarde demais e acabei me mijando na sala quando levantei. Eu saí correndo e chorei muito de vergonha. Pior que ainda tive que voltar para a sala, pra ainda descobrir que tinha tirado a pior nota da turma. Humilhação nunca é pouca." - Rafaela Carvalho

Publicidade

12. A declaração de amor.

"Minha amiga tinha uma rodinha de amigos e eu sempre saía com ela para encontrar com eles. Bem a linha agregada, kkk. Nessa rodinha nós éramos em cinco (minha amiga, dois boys, a irmã de um deles e eu). A minha amiga já tinha ficado com os dois meninos, então eu comecei a sair com um deles. Papo vai, papo vem. Uma festinha aqui, outra ali. Um beijo, dois... Até quando o outro menino me manda uma mensagem falando que estava apaixonado por uma pessoa do grupo e não tinha coragem de falar. Que essa pessoa era incrível e eles conversam sempre e que queria se declarar, mas não achava que devia porque a pessoa estava ficando com alguém próximo - aquela velha história.Eu rapidamente falei: 'Olha, com todo respeito, te acho muito gente boa e tal, mas eu estou ficando com o seu amigo e eu estou gostando de ficar com ele!' Aí o menino lança: 'Então... te acho legal, mas eu estou falando que estou apaixonado pelo meu amigo (que no caso era o que eu estava ficando).' Eu queria MORRER de vergonha! Parei de ficar com o menino e eles começaram a namorar. Se assumiram 100%." - Núbia Salomão
Reprodução/ TriStar Pictures / Via parkcircus.com

"Minha amiga tinha uma rodinha de amigos e eu sempre saía com ela para encontrar com eles. Bem a linha agregada, kkk. Nessa rodinha nós éramos em cinco (minha amiga, dois boys, a irmã de um deles e eu). A minha amiga já tinha ficado com os dois meninos, então eu comecei a sair com um deles. Papo vai, papo vem. Uma festinha aqui, outra ali. Um beijo, dois...

Até quando o outro menino me manda uma mensagem falando que estava apaixonado por uma pessoa do grupo e não tinha coragem de falar. Que essa pessoa era incrível e eles conversam sempre e que queria se declarar, mas não achava que devia porque a pessoa estava ficando com alguém próximo - aquela velha história.

Eu rapidamente falei: 'Olha, com todo respeito, te acho muito gente boa e tal, mas eu estou ficando com o seu amigo e eu estou gostando de ficar com ele!' Aí o menino lança: 'Então... te acho legal, mas eu estou falando que estou apaixonado pelo meu amigo (que no caso era o que eu estava ficando).' Eu queria MORRER de vergonha! Parei de ficar com o menino e eles começaram a namorar. Se assumiram 100%." - Núbia Salomão

13. O ônibus do azar.

"Uma vez eu fui para a faculdade e, chegando lá, comecei a passar mal. Então fui embora e, quando estava quase chegando na parada, eu vi um ônibus igual ao meu saindo da parada. E meu ônibus só passava, tipo, de 30 em 30 minutos! Então eu saí correndo igual uma louca, tropecei, caí na calçada e estourei meu joelho todinho, e o ônibus foi embora. Detalhe: não era meu ônibus. Eu me humilhei na frente de um monte de aluno da minha faculdade por um ônibus que nem era o meu. Depois meu ônibus passou LOTADO e ninguém se compadeceu do meu joelho pra me dar um lugar pra sentar, eu fiquei em pé por quase uma hora. Desde esse dia eu tô esperando minha hora de ser exaltada, viu." - Milla Massilon
Reprodução/ PolyGram Filmed Entertainment / Via screenaustralia.gov.au

"Uma vez eu fui para a faculdade e, chegando lá, comecei a passar mal. Então fui embora e, quando estava quase chegando na parada, eu vi um ônibus igual ao meu saindo da parada. E meu ônibus só passava, tipo, de 30 em 30 minutos! Então eu saí correndo igual uma louca, tropecei, caí na calçada e estourei meu joelho todinho, e o ônibus foi embora.

Detalhe: não era meu ônibus. Eu me humilhei na frente de um monte de aluno da minha faculdade por um ônibus que nem era o meu. Depois meu ônibus passou LOTADO e ninguém se compadeceu do meu joelho pra me dar um lugar pra sentar, eu fiquei em pé por quase uma hora. Desde esse dia eu tô esperando minha hora de ser exaltada, viu." - Milla Massilon

Veja também:

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.