back to top

Protesto contra governo Temer termina com violência e 6 presos

Imagens exclusivas do BuzzFeed Brasil mostra momento em que manifestante é agredida por PM quando estava no chão.

publicado

Um protesto de sem-teto diante do escritório da Presidência da República em São Paulo nesta quarta (30). Eles entraram no hall do prédio onde fica uma agência do Banco do Brasil e a representação do presidente.

Manifestantes no hall do prédio que abriga escritório da Presidência da República, em São Paulo.
Tatiana Farah/BuzzFeed Brasil

Manifestantes no hall do prédio que abriga escritório da Presidência da República, em São Paulo.

Dentro do prédio, os manifestantes gritavam pela saída do presidente em exercício, Michel Temer (PMDB). Eles reivindicam recursos para o programa Minha Casa Minha Vida e defendem o retorno da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) ao governo.

Tão logo assumiu a Presidência interina, Temer suspendeu uma ordem de Dilma, assinada no apagar das luzes de sua gestão, de dedicar verbas para moradias populares, para famílias com renda até R$ 1,8 mil mensais.

Do lado de fora, houve confusão. Quatro manifestantes foram presos depois que acenderam rojões na avenida Paulista, onde fica o edifício. Outros dois manifestantes foram detidos, segundo a Polícia Militar.

Um dos líderes do MTST, conhecido como Batoré, é detido pela PM.
Tatiana Farah/BuzzFeed Brasil

Um dos líderes do MTST, conhecido como Batoré, é detido pela PM.

Um dos detidos, conhecido como Batoré, é liderança do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Na esquina da Haddock Lobo com a Paulista, houve confronto: primeiro, os policiais lançaram pelo menos seis bombas de efeito moral. Depois, com pessoas já dominadas, passaram a investir contra outros manifestantes. Uma das manifestantes foi agredida por policiais, sendo jogada ao chão, arrastada e sufocada com um "mata-leão". O BuzzFeed Brasil registrou a cena.

A tropa de choque foi chamada. Até as 18h, a tropa não havia se aproximado dos manifestantes.


Tropa de Choque foi chamada na hora das prisões dos manifestantes.
Tatiana Farah/BuzzFeed Brasil

Tropa de Choque foi chamada na hora das prisões dos manifestantes.

Os manifestantes montaram uma barraca de lona diante do prédio, no mesmo estilo dos acampamentos de terrenos invadidos pelo MTST. Foram levados para o local colchonetes, alimentos, fogareiros e cobertores.

"Cada um colaborou com um quilo de alimento. Vamos resistir até ele sair ou soltar o dinheiro. Já trouxe até as minhas roupas e fico até o fim", disse ao BuzzFeed Brasil a faxineira Renilda Oliveira, de 69 anos.

As vias da avenida não foram bloqueadas e os sem-teto tentava se aglomerar nas calçadas. Guilherme Boulos, da coordenação nacional do MTST, acusou a PM de agir com truculência.

Manifestantes montaram barraca de lona para acampar na Paulista.
Tatiana Farah/BuzzFeed Brasil

Manifestantes montaram barraca de lona para acampar na Paulista.

"Era uma manifestação pacífica e a polícia chegou com a mesma truculência que usa contra os trabalhadores na periferia. Daqui não vamos arredar o pé", disse Boulos.

A PM nega que tenha agredido os manifestantes. A versão da corporação é que os policiais lançaram bombas reagindo às pedras lançadas por manifestantes.

Questionada sobre o vídeo do BuzzFeed Brasil sobre a cena da manifestante agarrada pelo pescoço no momento em que estava no chão, a PM não fez comentários.