back to top

OMS não vê risco de zika para Olimpíada, mas atletas desistem mesmo assim

Cinco estrelas do golfe já disseram que estão com medo da doença e não participam dos jogos no Rio. Um deles viajou de férias a outro país com a doença.

publicado

Há uma debandada de golfistas nos Jogos Olímpicos do Rio, apesar de ser a primeira vez em 112 anos que o esporte vai estar nas Olimpíadas. Bem posicionados no ranking mundial, pelo menos cinco desistentes culpam o zika vírus.

O sul-africano Branden Grace anunciou na sexta-feira (25) que está fora do time. Ele disse que vai se casar em novembro e que coloca a saúde da família em primeiro lugar.

Dias antes de Grace, foi a vez de Rory McIlroy, da Irlanda do Norte. O irlandês é o quarto do mundo no ranking e também falou que tem medo do zika.

McIlroy, no entanto, não pareceu ter medo de ficar doente quando foi passar uns dias na praia com a namorada, em Barbados, em maio. Barbados também registra casos da zika.

Publicidade

O golfista Vinjay Singh, de Fiji, já foi o melhor do mundo. Ele também pediu para riscarem o nome dele na lista de competidores.

Ele disse ao Golf Channel que gostaria de ir ao Rio, mas "tem o zika e toda essa porcaria".

Os outros golfistas que desistiram alegando temor de se contaminar com o vírus são Marc Leishman, da Austrália, e Charl Schwartzel, da África do Sul. Schwartzel afirmou que quer ter mais filhos e teme os efeitos do vírus. Outros golfistas cancelaram sua participação nos Jogos, mas não citaram o zika.

Segundo o último relatório do Ministério da Saúde, este ano foram notificados 138,1 mil casos de febre pelo vírus zika. Destes, 38,1 mil foram no Rio de Janeiro.

Para saber se o argumento dos golfistas faz sentido, o BuzzFeed Brasil procurou a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), uma agência que integra Organização Mundial de Saúde (OMS).

Segundo a organização, a única recomendação para evitar o Brasil é para mulheres grávidas.

No Brasil, foram registrados 1,6 mil casos de microcefalia desde que teve início o surto do vírus, no ano passado.

Na última reunião da Organização Mundial de Saúde (OMS) foi descartada mais uma vez a possibilidade de suspender os Jogos Olímpicos por causa do vírus.

Veja o que o Opas/OMS informou ao BuzzFeed Brasil sobre a doença:

  • O vírus da zika já está em 60 países do mundo e, por isso, "não há nenhuma justificativa de saúde pública para adiar ou cancelar os Jogos."
  • As Olimpíadas acontecem em agosto. Como é inverno, fica menor o risco de ser picado por um mosquito transmissor, o Aedes aegypti.
  • Brasileiros e visitantes têm de se cuidar com repelentes e cobrir a maior parte do corpo com roupas.
  • Usar camisinha. Já se confirmaram casos de zika transmitidos pelo sêmen, como na Itália e na França. Por isso, muitos atletas estão preocupados. Tem esportista que congelou o sêmen para não correr riscos.
  • Outra sugestão da OMS é se abster de sexo durante os Jogos e nas quatro semanas seguintes, para evitar transmitir o vírus para o parceiro.
  • Evitar locais onde o saneamento é precário e há mais risco de ser picado pelo mosquito transmissor.

O Comitê Rio 2016, que cuida das Olimpíadas, informou ao BuzzFeed Brasil que segue as orientações da OMS, assim o Comitê Olímpico Internacional (COI).

Segundo os organizadores do evento, são realizadas inspeções diárias nas instalações dos Jogos, que deverá continuar até o final do evento.

O diretor-médico do Comitê Rio, João Granjeiro, tem feito palestras e reuniões para tentar debelar o temor dos atletas e do público em relação ao zika vírus.