10 coisas legais que podem melhorar sua vida em janeiro

Porque nós testamos e curtimos!

bosotochka / Getty Images / BuzzFeed Brasil

1. Sabonetes naturais da Saboaria Tamarindo – entre R$8 a R$17,50

Nadiajda Ferreira

Sempre gostei de tomar banho com aqueles sabonetes que deixam a pele tão limpa que ela até canta (para mim, se não cantasse, não estava limpo). Mas no final do ano passado resolvi experimentar sabonetes naturais — ainda pensando que era frescura, mas de mente aberta pra ver quais eram as diferenças.

E, olha, são muitas. Já no primeiro banho minha pele respondeu horrores: pontos que sempre foram secos e chegavam a descascar já me pareceram mais hidratados e a hidratação foi se mantendo à medida que eu continuava o uso.

Como o sabonete é natural, ele não faz um exagero de espuma, então eu estava pensando que não ia ficar limpa, mas estava enganada: a limpeza é profunda, fica tudo muito macio e gostoso e o cheiro é uma delícia! Para banho, experimentei os de lavanda, mel e algas e para o rosto, estou alternando os de argila verde (a oleosidade da minha pele deu aquela sumida, e eu não estou com saudades!) e manteiga de karité. Recomendo muito! – Nadiajda Ferreira

2. Leave-in C.Kamura Therapy Safe Repair – R$ 23,50

Susana Cristalli

Quando fiz o post sobre como cuidar dos cabelos pintados de ruivo, o profissional que entrevistei me ensinou que um dos fatores que mais causam desbotamento, quando a gente lava o cabelo, é a própria água. Por isso uma boa saída é usar um condicionador leave-in, sem enxague, o que já reduz bem o tempo no chuveiro.

Eu pensei que um creme sem enxague iria deixar meus fios, que já são fininhos e oleosos, UMA PAPA, mas ele explicou que o ideal é um leave-in líquido em spray, nada a ver com creme de pentear. Procurei e achei este da C.Kamura que realmente substituiu bem o condicionador: além de ter um cheirinho muito gostoso, deixa o cabelo macio, 0,0% pesado e com mais volume. É só borrifar um pouquinho no cabelo úmido, dar uma massageadinha qualquer com as mãos e pentear que o cabelo estará desembaraçado. – Susana Cristalli

3. Pó texturizador de volume Batiste XXL – R$ 25

Flora Paul

 

A raiz do meu cabelo é totalmente sem volume, o que deixa ele bastante sem graça ao longo do dia. Para mudar isso, minha cabeleireira me recomendou pós texturizadores de volume. O mais conhecido desse tipo custa centenas de reais, mas ela me prometeu que o efeito deste da Batiste, marca que eu já uso horrores pelos shampoos a seco, era exatamente o mesmo.

Você coloca um pouquinho de pó diretamente na raiz, dá uma levantadinha nela com as mãos e ela já fixa mais volumosa. Ele deixa o fio meio áspero, mas o efeito não é visível nem é permanente: é só lavar que ele volta ao natural.

Comprei mais barato numa perfumaria, mas na internet você encontra ele por R$ 40. – Flora Paul

4. Deixar o celular longe da cama na hora de dormir.

Isadora Manzaro

Eu sempre tive muita dificuldade para dormir, por isso resolvi mudar alguns hábitos para lidar melhor com esse problema. A primeira mudança? Colocar meu celular longe de mim na hora de dormir.

Sempre dormi com ele carregando na minha cabeceira, ou seja, apenas esticando o braço já conseguia me distrair por horas com aplicativos diversos. O que não ajudava em nada o meu objetivo de dormir, não é mesmo?

Então, comecei a colocar meu celular na mesa do quarto (ilustrado neste belo desenho acima). As primeiras noites foram um tanto estranhas, afinal, mesmo quando ficava desconectada, eu sempre verificava a hora – para fazer aquela coisa masoquista de “se eu dormir agora, quantas horas de sono eu terei até o despertador tocar?”.

Já estou nesse esquema há pouco mais de duas semanas e, mesmo sem dados para comprovar, acredito que estou dormindo com mais facilidade e acordando melhor também! Em geral, acordo antes do despertador, o que mudou agora é que já levanto da cama para desligá-lo no celular e fico de pé desde cedo em vez de ficar deitada esperando tocar. E mesmo quando acordo com o despertador, precisar levantar da cama me faz começar o dia com menos preguiça. Ou seja, comecei 2017 sem promessas, mas com um novo hábito bem agradável na minha rotina. – Isadora Manzaro

5. Tentar ter uma planta que não é um cactos, nem uma suculenta, como a croton.

Flora Paul

Sendo você um jovem adulto, provavelmente já se interessou por um terrário, um cactos ou uma suculenta. Mas se você quiser elevar um pouco a sua capacidade de ter plantas, mesmo que não tenha muito o dom de mantê-las vivas, te apresento a croton, esta senhora de folhas avermelhadas muito da bonita.

Não tem o menor segredo: é só regar um dia sim, um dia não e deixar ela num lugar iluminado (mas não precisa deixar um solzão na cara dela). E se ela estiver precisando de água, ela vai te contar se fechando inteira e ficando pequena. Aí você rega e ela se espicha de novo.

Tenho este vaso faz tipo um semestre e a cada três meses nascem ramos novos, é muito bonitinho de se ver. E eu não manjo nada de plantas, nada mesmo, mas se ela está esse tempo todo vivendo comigo, você também vai conseguir. – Flora Paul

6. Comprar online um óculos de grau com lente e tudo na eotica.com.br.

Juliana Kataoka

 

Escolher a armação online pode parecer complicado, mas aproveitei a Black Friday do ano passado para comprar um óculos de grau novo com lente e tudo na eotica.com.br e funcionou.

Tentei focar em modelos meio similares aos óculos que eu já tenho, mas o site também tem um “provador virtual” que deu um preview até que realista.

Depois que você compra, chega um e-mail pedindo pra você enviar a receita. É só colocar o número do pedido no assunto e mandar a foto da receita do seu oftalmologista. Para o óculos ser confeccionado com a lente no lugar certinho, eles pedem para que você faça um teste usando um cartão comum de banco como referência. Tranquilo.

O óculos chegou certinho, adorei o modelo e está tudo nítido por aqui. – Juliana Kataoka

7. Instalar um filtro de linha na lateral do criado-mudo.

Manuela Barem

Recentemente, resolvi o problema da briga entre os carregadores de celular, Kindle etc com a tomada do abajur no meu quarto ao instalar um filtro de linha na lateral do criado-mudo. Comprei o filtro de linha em uma papelaria (o preço varia entre R$ 15 e R$ 30) e o colei na lateral do móvel com fita adesiva dupla face. Antes, eu tinha que escolher se carregava o celular ou deixava o abajur ligado para ler um livro antes de dormir, por exemplo. A ideia é muito simples, mas trouxe mais conforto e funcionalidade para a minha rotina. – Manuela Barem

8. Trocar o cineminha de fim de semana pelo teatro.

Victor Nascimento

Tenho amigos atores e passei a frequentar as peças deles nos finais de semana. Acabou sendo uma ótima troca, pois o cinema está bem caro e as peças ficam entre R$ 20 e de graça mesmo. Pra quem paga meia é melhor ainda. Fora que os lugares são sempre legais para tomar um café e bater um papo com os amigos, coisa que o shopping lotado de domingo não permite muito. – Victor Nascimento

9. Pedir pratos maiores no delivery para montar a marmita nos dias de preguiça.

Manuela Barem

A correria do fim do ano e a preguiça de cozinhar marmitas para os primeiros dias de 2017 me ajudaram a visualizar uma solução prática e simples para comer de forma saudável: pedir pratos maiores no delivery. Para isso, tentei encontrar restaurantes no iFood com opções saudáveis (no caso, fora parmegiana gigante!) que não fossem tão caros e que tivessem opções de pratos para servir três pessoas, por exemplo. Em São Paulo, é fácil achar este tipo de coisa nos restaurantes mais tradicionais, com cara de lugar onde famílias grandes comem.

Geralmente, estes pratos maiores rendem a refeição do dia e outras três ou quatro marmitas para mim. Cada marmita acaba saindo entre R$ 15 e R$ 20 — saiu mais caro quando pedi salmão com legumes grelhados, mas atenção é salmão, né! Vale também procurar por restaurantes que tem entrega gratuita ou não cobram tão caro para fazer o delivery. Graças a três pedidos pensados desta forma, no momento o meu freezer tem opções de marmita com frango, carne e peixe. E o o #projetoverão continua firme mesmo se janeiro vier a se revelar um mês de preguiça para cozinhar. – Manuela Barem

10. Raspar o cabelo!

Flora Paul

 

Desde os 12 anos de idade vinha passando perrengues diversos com meu cabelo: é muito cabelo e é muito cacheado. Passei por todas as fases, a relaxamento com formol IML feelings, a progressiva, a escova disso e daquilo, a selagem, cachos naturais com o uso de milhares de produtos…

Até que no fim do ano passado eu simplesmente cansei. Cansei de química, cansei de ter que ir no salão duas vezes por semana, cansei de comprar shampoo especial, cansei em geral. E quando eu canso eu sou radical: resolvi raspar. Cheguei no salão com o cabelão e disse “bom dia, vamos passar a máquina dois!” e a mulher “não, você tá doida, vamos conversar!”. Ao que respondi com um sorriso: “não vamos conversar, vamos passar a máquina dooooooois!”.

Meu intuito era acabar com a química, deixar crescer natural novamente e aprender mais uma vez a lidar com os cachos, mas aí ocorreu que com 24 horas de cabeça raspada eu decidi que era gostoso demais! Banhos de 5 minutos! Nada de ter que pentear antes de sair! E a melhor parte: parece que todas as suas roupas, bijuterias e maquiagens são novas, porque tudo fica muito diferente no novo rosto. Não vou cuspir pra cima e dizer que nunca mais vou deixar crescer, mas 2017 vai ser um ano careca! A parte ruim é que cresce igual um mato, então estou tendo que raspar novamente a cada duas semanas. – Nadiajda Ferreira

Veja também:

Melhore a sua vida com a newsletter do BuzzFeed de Estilo e Bem estar!



View this embed ›

Caso não consiga ver a caixa de inscrição acima, inscreva-se aqui!

Check out more articles on BuzzFeed.com!

Flora Paul é redatora do BuzzFeed, em São Paulo.
 
  Sua reação
 

Reações

Buzzing agora