back to top

O que há por trás do mais comentado discurso de agradecimento do Oscar 2015

Durante a cerimônia, Graham Moore, indicado ao Oscar pela primeira vez, falou de sua tentativa de suicídio na adolescência e mandou aos jovens que se sentem deslocados uma mensagem: "continuem estranhos". Ele contou ao BuzzFeed News o que o inspirou a dizer tais palavras.

publicado
Mike Blake / Reuters

Quando Graham Moore, indicado pela primeira vez, ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por seu trabalho em O Jogo da Imitação, ele subiu ao palco e falou sobre seu passado suicida.

Moore subiu ao palco inspirado pelo personagem principal de O Jogo da Imitação, Alan Turing (Benedict Cumberbatch), que ajudou a quebrar um código alemão dificílimo durante a Segunda Guerra Mundial — mudando os rumos da guerra em favor dos aliados — e depois foi processado por ser assumidamente gay. Aos 41 anos, Turing deu um fim à própria vida.

"Alan Turing nunca conseguiu estar em um palco como este e olhar para todos estes rostos desconcertantemente atraentes. Eu consegui", disse Moore em seu discurso. "E essa é a coisa mais injusta que eu já vi na vida."

"Quero usar este breve tempo aqui para dizer o seguinte: quando tinha 16 anos, tentei me matar porque me sentia esquisito e diferente, como se não coubesse ali onde estava", continuou Moore. "E agora, estou aqui e dedico este momento aquele jovem aí fora que se sente estranho, diferente ou que não se encaixa em nenhum lugar: Sim, você se encaixa. Juro que sim. Continue estranho, continue diferente. E depois, quando for sua vez de estar neste palco, por favor, transmita a mesma mensagem para a próxima pessoa que vier."

Embora muitos imaginassem que Moore fosse gay por causa de sua ligação com Turing, no Governors Ball, após a cerimônia, ele falou ao BuzzFeed News: "Não sou gay, mas nunca havia falado publicamente sobre depressão ou nada do tipo, e isso é bem o tema do filme e foi uma das coisas que me fizeram interessar-me tanto por Alan Turing. Acho que todos nós nos sentimos estranhos por diferentes motivos. Alan teve seus motivos e eu tive os meus e foi isso que me tocou tanto em sua história."

E quando falamos sobre seu incrível discurso, Moore admitiu que havia pensado nele, mas não tinha planejado cada palavra. "Sou incrivelmente supersticioso, então eu tinha um esboço na cabeça", contou ao BuzzFeed News. "É o tipo da coisa que imaginei desde que era adolescente. Foi estranho estar no palco e dizer as coisas que venho imaginando no chuveiro e em frente ao espelho. Acho que todo mundo ensaia o discurso de agradecimento do Oscar com um frasco de xampu na mão e eu fiz isso algumas vezes. É muito surreal poder fazer isso na vida real."

Assista ao discurso (em inglês) aqui:

Veja este vídeo no YouTube

youtube.com