go to content

22 histórias de terror que não vão te deixar dormir à noite

Os fantasmas estão em vários lugares nestas histórias enviadas pelos leitores do BuzzFeed Brasil.

publicado

Pedimos para nossos leitores nos contarem histórias de fantasmas neste post e no Facebook. As melhores estão aqui.

1. A cachorra que vê espíritos, por Victória Koehler.

"Minha cachorra tem uma mania muito feia de arranhar a porta do quarto no meio da noite. Um dia ela não parava de arranhar a porta de jeito nenhum. Depois de chamar ela umas cinco vezes, joguei um travesseiro na porta pra fazer ela parar. Aí foi quando ela latiu. Do meu lado. Ela tava do meu lado o tempo todo", Victória Koehler - via Facebook.

2. Vultos descendo do teto, por Alba Eres.

"Quando eu era pequena, toda noite quando as luzes eram apagadas e eu ia dormir, dois vultos desciam do teto na entrada do quarto. Andavam calmamente até minha cama e cada um ficava de um lado da minha cabeceira, me olhando. Eu cobria a cabeça com o cobertor. Até que um dia tive coragem de contar pra minha mãe. Ela colocou um abajur e me disse para rezar e pedir para eles irem embora. Até hoje durmo com um abajur acesso", Alba Eres - via Facebook.

3. Estudante fantasma, por Mariana.

Arquivo Pessoal/ marianab4aa95a7f2

"Tirei essa foto no meu cursinho. Era intervalo e meus amigos estavam dormindo. Tirei a foto pra mostrar pra outros amigos que estavam na outra sala. Não tinha ninguém em pé na hora e atrás de mim, que tirei a foto, só tinha parede. Não tinha ninguém passando no momento da foto", marianab4aa95a7f2.

4. Cafuné de espírito, por Ernani.

"Meu pai morreu em 1996, eu tinha então 10 anos e meu irmão, 12. Dormíamos num beliche no quarto, ele na cama de cima e eu na debaixo. Numa noite, acordei no meio da madrugada com alguém fazendo um cafuné na minha cabeça. Achei que era meu irmão. Voltei a dormir, voltou o cafuné. Levantei da cama e briguei com meu irmão, que roncava tranquilamente. Voltei a deitar e o cafuné veio pela terceira vez. Nunca rezei tanto na minha vida. Rezei até o raiar do sol", ernanifranca

5. Mãos de sangue e osso, por Anônimo.

"Eu tinha uns 8, 9 anos. Minha mãe trabalhava à noite e a gente dormia juntas numa cama de casal. Um dia senti uma "presença" estranha. Eu estava com os olhos fechados e quando abri, vi umas mãos em volta da cama. As mãos eram de sangue, osso e pele penduradas e elas tentavam subir pela cama. Virei e tinha uma "sombra" branca deitada comigo. Eu consegui, depois de muuuuuito tempo, levantar e correr pro quarto da minha avó. Ela não teve coragem de voltar comigo"- depoimento anônimo.

6. Espírito da vó, por Aline Rsd.

Getty Images

"Minha avó morou com minha família nos últimos meses de vida. Ela faleceu no sofá da nossa casa, em um domingo à noite. Na semana seguinte, comecei a ver alguém de branco passando pela casa sempre que ia escovar os dentes. Eu ia atrás e nunca era ninguém. Já minha irmã via formas físicas. Foi terror por um bom tempo, até que eu e minha irmã não conseguíamos dormir mais nos nossos quartos com medo. Minha mãe rezou um pai nosso, queimou o sofá no quintal e nós nunca mais vimos nada", Aline Rsd - via Facebook.

7. O barbudo de preto, por Beatriz Carneiro.

"Eu tinha uns 5 ou 6 anos, estava dormindo e acordei com um barulho no meu quarto. Quando abri os olhos tinha um homem parado na minha frente, com uma barba castanha grande, cabelo escuro e roupa preta. Fiquei olhando pra ele com medo e me afastei na cama para o lado da parede. Senti a cama (de solteiro) afundar do meu lado e comecei a chorar. Olhei de novo e ele tinha sumido, mas ainda parecia ter alguém deitado do meu lado. Eu pedi pra ir embora porque estava com medo e a cama voltou ao normal. Chorei até dormir e lembro do rosto desse homem até hoje. Nunca conheci ninguém assim e meus pais também não", Beatriz S. Carneiro - via Facebook.

8. Prédio mal-assombrado, por Amiro Dias.

instagram.com

"Trabalho em um edifício antigo, construído em 1929 no centro de São Paulo. A sala ficou fechada por pelo menos 20 anos antes de nos mudarmos porque o último dono matou a esposa e também se matou. Nos mudamos pra lá há dois meses e todo dia quase que exatamente 12h08 a campainha toca e nunca tem ninguém. Já olhamos nas câmeras e realmente não é ninguém.

Outro dia eu fiquei sozinho no escritório no final da tarde, apaguei todas as luzes, fechei as janelas e ativei o alarme. Quando me viro pra fechar a porta, a luz da cozinha estava acesa (uma que eu havia acabado de apagar). Outra vez, cheguei de manhã e a luz da sala também apagou sozinha. Escutei até o barulho do interruptor. A gota d'água foi quando vi meu rosto e o de mais alguém atrás de mim refletido na tela do computador. Não tinha ninguém quando me virei.

Resolvi falar sobre essas coisas com a esposa do zelador, que mora no prédio há vários anos. Ela me disse que agora lá está até tranquilo, mas que acontecia muita coisa estranha e que agora ela até consegue pegar o elevador sozinha. Ri de nervoso", Almiro Dias - via Facebook.

9. A hora do pesadelo, por Ana Carolina.

"Minha mãe reclamava que tinha muitos pesadelos, mas não dizia o que sonhava. Um dia fomos ao shopping e eu sugeri que ela esperasse na praça de alimentação, enquanto eu buscava nossa comida no restaurante. Quando voltei, a primeira coisa que fiz foi perguntar se estava tudo bem pois ela estava com uma aparência muito estranha. Ela respondeu que estava bem, finalizamos nosso almoço e fomos à escada rolante.

Ao virar para conversar com minha mãe, quase infarto ao ver um homem com roupas do século passado segurando em um dos seus ombros e olhando pra mim com muita raiva. Na hora ela percebeu minha cara de choque e perguntou (gritando) porque eu estava daquele jeito. Eu contei o que tinha visto, ela começou a chorar e disse: 'você acabou de descrever o homem que tenta me matar todos os dias nos meus pesadelos'", Ana Carolina Paris - via Facebook.

10. Figura sem rosto, por Weslley Rodrigo.

giphy.com

"Eu tinha 15 anos e um dia resolvi assistir uma série até de madrugada com a minha irmã. No meio da noite minha irmã dormiu e do nada eu comecei a ver o mouse do computador se mexer sozinho. chamei minha mãe. Ela disse que era um rato que poderia tá puxando o fio, mandou eu dormir e foi deitar. Do nada, eu juro que vi uma figura negra, que não tinha rosto ou aparência humana, atrás da estante e aquilo olhava pra mim e apontava. Eu me caguei de medo, lembro que eu falava: 'quem é você aí? Eu não quero você na minha casa! Ninguém te quer aqui! Sai daqui agora!'. O negócio saiu da minha casa, mas eu ouvi ele bater no armarinho, ele meio que passou por dentro do armarinho que começou a balança e a porta bateu e fez o maior estrondo", Weslley Rodrigo - via Facebook.

11. Meu amigo possuído, por Marielly Fresanso.

"Certa vez eu, meu esposo e mais um casal de amigos estávamos comendo pizza na nossa casa. Um amigo que era bem espiritual começou a se sentir mal na cozinha e disse que iria até o nosso quarto fazer uma oração. Esse bendito começou a se balançar pra frente e pra trás. De repente ele começou a dar uma risadinha que arrepiou até o cabelo do cu. Eu e minha colega corremos para a sala, nos borrando de medo. Meu marido foi até ele e depois voltou dizendo que ele queria falar comigo.

Fui pro quarto (não passava um fio de cabelo na rodela). Ele parou na minha frente, os olhos fechados meio revirados, fez uns grunhidos e disse "essa é minha casa", depois ele se ajoelhou, beijou meus pés , passou a mão na minha barriga e fez gesto de ninar. Quando ele abaixou novamente o celular tocou bem alto e ele saiu do transe. Cerca de um mês depois descobri que estava grávida, talvez isso explique o gesto de ninar. Meu sogro havia falecido há oito meses, talvez isso explique o 'essa é minha casa'. Até hoje morro de medo", Marielly Fresanso - via Facebook.

12. Apanhei de um fantasma, por Yasmin Fontes.

giphy.com

"Há quatro anos acordei de madrugada e tinha uma mulher de vestido preto, ao lado da minha cama. Eu sentei e ela começou a me acusar de ter feito coisas que eu não havia feito - aparentemente havia roubado alguém dela. Tentei argumentar que não havia feito nada e ela disse que não se tratava daquilo, mas de outra coisa e outra pessoa, que eu não passava de uma sonsa que fazia de conta que não sabia. Não sei o que passou na minha cabeça de argumentar com um fantasma, depois resolvi ignorar e voltar a dormir. Eis que ela teve a brilhante ideia de começar a me puxar pra fora da cama e me dar socos no corpo. A parada foi tão real que no dia seguinte eu estava dolorida, principalmente no tornozelo. Ela sumiu do nada e eu não consegui voltar a dormir de tanto medo", Yasmin Fontes - via Facebook.

13. Brincadeira demoníaca, por Bárbara.

"Uma vez fui brincar com um tabuleiro de ouija com amiga no meu quarto e tentei acender velas e por incrível que pareça elas não acendiam, não importava quanto tempo eu encostava o pálido de fósforo nela. Depois de um tempo, consegui acender, desliguei as luzes e fechei as janelas. Do nada a mãe da minha amiga liga perguntando se tá tudo bem com ela porque bateu uma 'preocupação'. Depois da minha amiga conversar com a mãe dela, começamos a brincar com o tabuleiro, mas infelizmente não aconteceu nada, apenas o fogo das velas se mexeu de forma estranha. Tempo depois, já estava de noite e a minha amiga já tinha ido pra casa, mas eu sentia aquela sensação de estar sendo observada. Depois de um tempo, ignorei tudo isso e resolvi dormir. Sonhei que estava sendo perseguida por um bicho assustador com umas garras enormes e quando consegui acordar vi que as minhas pernas estavam arranhadas. Conclusão: não consegui dormir mais, joguei o tabuleiro no lixo e dormi abraçada com a minha mãe por duas semanas", barbarao4bde08ab7.

14. Velho brilhoso estilo Gandalf, por Thaís Santos.

Reprodução / Via l-o-t-r.tumblr.com

"Eu tinha uns 13 ou 14 anos, dividia o quarto com a minha irmã e na parede oposta à minha cama tinha um espelho. Acordei com uma luz muito forte, como se alguém tivesse colocado uma lanterna na minha cara. Quando abri os olhos vi um velho com aquelas camisolas de hospital, uma barba beeem comprida, estilo Gandalf, na frente do espelho. Era o velho que estava brilhando.

Ele estava colocando um colar de penas e me viu olhando pelo espelho. O medo foi tão grande que quando ele começou a virar pra olhar pra mim, eu travei. Não chamei ninguém porque a voz não saía, nem consegui me mexer. Fechei os olhos e não abri mais até dar a hora de levantar. Fui pra escola toda mal arrumada porque fiquei dias sem olhar no espelho. Nunca mais fiquei sozinha no quarto nem em lugares com espelho, só com a luz acesa e olhe lá.

Ps: hoje não tem mais espelho no quarto", Thaís Santos - via Facebook.

15. Silhueta negra, por Guilherme.

"Eu tinha uns oito anos quando fui passar um fim de semana na casa do meu avô. Deitei no sofá da sala, dormi e apaguei. Acordei só de noite e vi a silhueta negra de um homem sentado no sofá perto dos meus pés olhando PRA MIM. Eu não conseguia enxergar rosto, nem traço algum, a não ser uma silhueta de um homem careca e forte. Gritei pra minha mãe, ela ouviu, foi ver o que era, contei e ela não deu bola, achando que eu tinha sonhado. Mas eu sei que eu vi e era bem real", guilhermedea.

16. A lenda do homem sem cabeça, por Tatiane.

Getty Images

"Quando eu era adolescente, umas amigas foram dormir na minha casa no carnaval. Em uma das madrugadas, acordei ao ouvir alguém chamar por mim. Ao abrir o olho, vi um homem sem cabeça parado em nossa frente. Ele usava uma calça social e sapatos marrons. Dei um grito tão alto que acordei os meus pais e as meninas. No dia seguinte, ninguém lembrava ao certo o que tinha acontecido, só eu. Inclusive, lembro até hoje, com quase 30 anos", tatianem402056522.

17. A bailarina morta, por Nicole.

"Quando era criança, vi uma menina japonesa de collant de ballet preto, com listas laranjas, quando entrei no meu quarto. Ela estava parada em frente ao espelho, olhando de lado para mim. Quando olhei de novo, a menina SUMIU e eu saí correndo desesperada, fazendo minha mãe voltar lá comigo.

Anos depois ela me confessou que ficou assustada naquele dia, pois antes de eu nascer, ela dava aulas de ballet naquele cômodo. O uniforme preto e laranja era de uma menina que tinha sido aluna dela e tinha falecido", nicoledinamarcac

18. O dementador violento, por Jenny.

Reprodução Harry Potter

"Eu estava dormindo, de repente acordei e vi um fantasma, ou sei lá o quê, parecido com um Dementador (sim, do Harry Potter) olhando pra mim. Ficamos ali, nos encarando. Então o braço desse ser começou a apertar meu pulso. Eu estava sentido muita dor e fiquei desesperado, mas não conseguia me mover. A única coisa que consegui fazer foi fechar os olhos e dormir", jennymaiia

19. Alucinação, por Gil.

"Uma vez eu estava sozinha em casa no meu quarto fazendo tarefa. Do nada, comecei a ouvir passos no andar de baixo. Pensei: 'vou descer pra ver, né?'. Antes de descer ouvi barulho de garrafas de vidro quebrando no bar do meu pai por um tempão. Decidi descer, cheguei no pé da escada e só via as garrafas e copos quebrados no chão e gente gritando na casa (sério, só tinha eu dentro dela). Me tranquei no quarto e fiquei lá até meus pais chegarem. Adivinha? Não tinha nem garrafa, nem copo quebrado, nem gente na casa", gihscottdip.

20. A mão que balança o criado-mudo, por Helena.

"Eu tinha um criado-mudo do lado da minha cama e, certo dia, quando eu tava deitada, o criado-mudo simplesmente balançou, como se alguém estivesse sacudindo ele. Só que ele era super pesado, não tinha vento, e eu não tava encostando nele. Saí correndo, e até hoje ninguém explicou o acontecimento", helenab428c58694.

21. Funeral sinistro, por Anônimo.

Reprodução The Exorcist / Via Facebook: TheExorcistFOX

"Lembro que foi minha professora me contou essa história. Quando ela tinha uns 15 anos, tinha o costume de explorar cachoeiras com os amigos. Era domingo, eles tinham decidido ir pra uma cachoeira que ficava perto de um sitiozinho. Estava todo mundo na estrada, até que apareceu um cortejo bem ao longe indo para a cidade. Chegando perto eles viram que não era um cortejo qualquer, era um funeral. O funeral passou pelo meio deles e deu pra ver que eram todos homens e usavam roupas pretas. Eles estavam de cabeça baixa, sendo que não dava para ver suas faces. Quando eles se viraram para ver o enterro de novo, ele tinha sumido", efsantos2005.

22. O fantasma do vô boca-suja, por Samanta.

"Meu avô paterno faleceu e após o enterro dele, toda a família voltou para o sítio onde ele e minha avó moravam, pois não queríamos deixá-la sozinha. Meu avô era um senhor extremamente ranzinza que saía resmungando por qualquer coisa. De qualquer tom de voz ou de risada alta, por exemplo. Eu, minhas tias e primas estávamos sentadas na varanda conversando, tentando dissipar aquele tom de tristeza. Na primeira risada que teve durante aquele dia exaustivo, ouvimos de dentro da casa passos arrastando os pés e o resmungo “vai tomar no cu essa gritaria” EXATAMENTE COMO ELE FAZIA QUANDO VIVO. Nós todas gelamos, era como se ele estivesse ali. Depois de algum tempo, minha avó acabou se mudando do sítio", samaroceti.

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss