back to top

12 coisas que você talvez não saiba sobre os atletas da Paralimpíada

Um post com superação e MUITAS medalhas.

publicado

1. A brasileira Terezinha Guilhermina é conhecida como "a cega mais rápida do mundo" e já teve Bolt como guia.

A mineira Terezinha Guilhermina é de uma família de 13 irmãos e já ganhou seis medalhas nas Paralimpíadas: dois ouros em Londres (2012), um ouro e uma prata em Pequim (2008) e dois bronzes em Atenas (2004). O campeão Usain Bolt experimentou ser seu guia em uma prova.
Twitter: @usainbolt

A mineira Terezinha Guilhermina é de uma família de 13 irmãos e já ganhou seis medalhas nas Paralimpíadas: dois ouros em Londres (2012), um ouro e uma prata em Pequim (2008) e dois bronzes em Atenas (2004). O campeão Usain Bolt experimentou ser seu guia em uma prova.

2. Um ciclista paralímpico é ex-piloto de Fórmula 1.

O italiano Alessandro Zanardi, de 49 anos, sofreu um acidente em uma prova na Alemanha e teve de amputar suas pernas. Para ele, o novo esporte serve como forma de reabilitação. Ela ganhou o ouro nos Jogos de Londres (2012) e é uma das promessas para o ouro neste ano.
Andreas Solaro / AFP / Getty Images

O italiano Alessandro Zanardi, de 49 anos, sofreu um acidente em uma prova na Alemanha e teve de amputar suas pernas. Para ele, o novo esporte serve como forma de reabilitação. Ela ganhou o ouro nos Jogos de Londres (2012) e é uma das promessas para o ouro neste ano.

3. Uma cadeirante vai disputar sete categorias do atletismo.

A norte-americana Tatyana McFadden, de 27 anos, vai disputar nada mais nada menos que as categorias 100m, 400m, 800m, 1.500m, 5.000m, revezamento 4x400m, e maratona. Em entrevista à BBC ela afirmou que ouve Beyoncé durante todos os treinos.
Ed Mulholland / Getty Images

A norte-americana Tatyana McFadden, de 27 anos, vai disputar nada mais nada menos que as categorias 100m, 400m, 800m, 1.500m, 5.000m, revezamento 4x400m, e maratona. Em entrevista à BBC ela afirmou que ouve Beyoncé durante todos os treinos.

4. Uma tenista polonesa disputa tanto a Olimpíada quanto a Paralimpíada desde 2008.

A tenista polonesa Natalia Partyka, de 27 anos, nasceu sem parte de seu braço, mas isso não a impediu de participar das Paralimpíada e da Olimpíada nos anos de 2008, 2012 e 2016. Ela foi a atleta mais nova a disputar os jogos Paralímpicos de Sydney (2000) e este ano vai competir em mais duas modalidades da Paralimpíada.
Juan Mabromata / AFP / Getty Images

A tenista polonesa Natalia Partyka, de 27 anos, nasceu sem parte de seu braço, mas isso não a impediu de participar das Paralimpíada e da Olimpíada nos anos de 2008, 2012 e 2016. Ela foi a atleta mais nova a disputar os jogos Paralímpicos de Sydney (2000) e este ano vai competir em mais duas modalidades da Paralimpíada.

Publicidade

5. O brasileiro que ficou famoso por derrotar Oscar Pistorius volta a correr no Rio de Janeiro.

O velocista paraense Alan Fonteles é amputado das duas pernas desde os 21 anos e ficou famoso ao ganhar a prova dos 200 m em Londres (2012). Neste ano, ele disputa as provas dos 100, 200 e 400 metros rasos.
Buda Mendes / Getty Images

O velocista paraense Alan Fonteles é amputado das duas pernas desde os 21 anos e ficou famoso ao ganhar a prova dos 200 m em Londres (2012). Neste ano, ele disputa as provas dos 100, 200 e 400 metros rasos.

6. Outra promessa de medalhas é Daniel Dias, o maior medalhista do país, com 15 medalhas conquistadas.

Nascido com má formação dos membros superiores e da perna direita, ele começou a praticar o esporte apenas em 2004, aos 16 anos, e já tem 6 recordes mundiais e 15 medalhas olímpicas: 10 de ouro, 4 de prata e 1 de bronze nos jogos de Pequim (2008) e Londres (2012).
Buda Mendes / Getty Images

Nascido com má formação dos membros superiores e da perna direita, ele começou a praticar o esporte apenas em 2004, aos 16 anos, e já tem 6 recordes mundiais e 15 medalhas olímpicas: 10 de ouro, 4 de prata e 1 de bronze nos jogos de Pequim (2008) e Londres (2012).

7. Um atleta irlandês pode repetir feito de Usain Bolt.

O irlandês Jason Smyth é o paralímpico mais rápido do mundo e pode ganhar medalhas nos 100 m e 200 m pela terceira vez consecutiva, assim como Bolt. Jason tem o melhor tempo da história entre os atletas paralímpicos nos 100 m: 10.46s. Para se ter uma ideia, o recorde de Bolt é 9.58 s.
Francois Nel / Getty Images

O irlandês Jason Smyth é o paralímpico mais rápido do mundo e pode ganhar medalhas nos 100 m e 200 m pela terceira vez consecutiva, assim como Bolt. Jason tem o melhor tempo da história entre os atletas paralímpicos nos 100 m: 10.46s. Para se ter uma ideia, o recorde de Bolt é 9.58 s.

8. Uma atleta da natação muda de categoria em toda Paralimpíada.

A brasileira Susana Schnarndorf Ribeiro sofre de Atrofia de Múltiplos Sistemas (MSA) há 12 anos, doença rara que com o tempo vai limitando o movimento, a respiração e outras funções autônomas do organismo. Por isso, em cada Paralimpíada ela tem menos movimentos e precisa mudar de categoria. Em entrevista à BBC, ela explicou que a prática do esporte em alto rendimento ajuda a retardar a doença e mantê-la viva.
Alexandre Schneider / Getty Images

A brasileira Susana Schnarndorf Ribeiro sofre de Atrofia de Múltiplos Sistemas (MSA) há 12 anos, doença rara que com o tempo vai limitando o movimento, a respiração e outras funções autônomas do organismo. Por isso, em cada Paralimpíada ela tem menos movimentos e precisa mudar de categoria. Em entrevista à BBC, ela explicou que a prática do esporte em alto rendimento ajuda a retardar a doença e mantê-la viva.

Publicidade

9. Uma atleta vai se submeter a uma eutanásia depois da Paralimpíada.

A Paralimpíada do Rio de Janeiro é o último desejo da vida de Marieke Vervoort, de 37 anos. Ela sofre de uma doença degenerativa na coluna vertebral e não anda desde os 14 anos e quando voltar para a Bélgica ela vai passar por uma eutanásia. Ela já ganhou o ouro nos 100 metros livres nos Jogos de Londres (2012).
Francois Nel / Getty Images

A Paralimpíada do Rio de Janeiro é o último desejo da vida de Marieke Vervoort, de 37 anos. Ela sofre de uma doença degenerativa na coluna vertebral e não anda desde os 14 anos e quando voltar para a Bélgica ela vai passar por uma eutanásia. Ela já ganhou o ouro nos 100 metros livres nos Jogos de Londres (2012).

10. Um dos melhores jogadores do mundo está na seleção brasileira de Futebol de 5.

O principal nome da seleção brasileira de futebol de 5 para cegos é Jefinho, de 26 anos, que já foi escolhido melhor jogador do mundo. A seleção brasileira é tricampeã Paralímpica, tendo conquistado todas as medalhas de ouro desde que a modalidade entrou nos jogos: Atenas (2004), Pequim (2008) e Londres (2012). Eles também têm quatro títulos mundiais.
Comitê Paralímpico Brasileiro / Via Flickr: cpboficial

O principal nome da seleção brasileira de futebol de 5 para cegos é Jefinho, de 26 anos, que já foi escolhido melhor jogador do mundo. A seleção brasileira é tricampeã Paralímpica, tendo conquistado todas as medalhas de ouro desde que a modalidade entrou nos jogos: Atenas (2004), Pequim (2008) e Londres (2012). Eles também têm quatro títulos mundiais.

11. Um atleta norte-americano é conhecido como "arqueiro sem os braços".

O norte-americano Matt Stutzman, de 33 anos, é recordista mundial no tiro em longa distância e ganhou uma medalha de prata nos jogos de Londres (2012) mesmo sem ter os dois braços.
Harry How / Getty Images

O norte-americano Matt Stutzman, de 33 anos, é recordista mundial no tiro em longa distância e ganhou uma medalha de prata nos jogos de Londres (2012) mesmo sem ter os dois braços.

12. Uma atleta britânica já ganhou 22 medalhas em três esportes diferentes.

Sarah Storey, de 38 anos, é um verdadeiro fenômeno da história das Paralimpíadas. Ela já ganhou 22 medalhas em três esportes diferentes e cinco edições dos jogos. É até difícil explicar de onde vem tantos prêmios. Entre os jogos de Barcelona (1992) e Atenas (2004) foram 5 medalhas de ouro, 8 de prata e 3 de bronze na natação. No ciclismo, ganhou uma medalha de ouro em Pequim (2008) e duas de ouro em Londres (2012) para cada modalidade de estrada e de pista. Neste ano no Rio de Janeiro, Sarah disputa mais medalhas nos ciclismo de estrada e de pista.
Tom Dulat / Getty Images

Sarah Storey, de 38 anos, é um verdadeiro fenômeno da história das Paralimpíadas. Ela já ganhou 22 medalhas em três esportes diferentes e cinco edições dos jogos. É até difícil explicar de onde vem tantos prêmios. Entre os jogos de Barcelona (1992) e Atenas (2004) foram 5 medalhas de ouro, 8 de prata e 3 de bronze na natação. No ciclismo, ganhou uma medalha de ouro em Pequim (2008) e duas de ouro em Londres (2012) para cada modalidade de estrada e de pista. Neste ano no Rio de Janeiro, Sarah disputa mais medalhas nos ciclismo de estrada e de pista.

Publicidade

Veja também: