9 coisinhas que os médicos querem que você saiba sobre seu cocô

    O que você precisa saber sobre prisão de ventre, diarreia e como o estresse e a ansiedade afetam sua saúde intestinal.

    Cocô! Ele faz parte da vida de todos!

    PBS / Via giphy.com

    Por mais que exista certo constrangimento em falar desse assunto, nosso intestino desempenha um papel importante na nossa saúde e nosso estilo de vida.

    Para esclarecer algumas dúvidas sobre saúde intestinal, incluindo o que é considerado "saudável" e o que você pode fazer para ter uma rotina mais regular, conversamos com Anthony Lembo, gastroenterologista do Beth Israel Deaconess Medical Center, nos EUA, instituição focada na motilidade gastrointestinal, ou seja, em como as coisas se movimentam através do trato gastrointestinal.

    Abaixo, o que ele contou para nós:

    Observação: tenha em mente que o corpo de cada um é diferente e que o que pode funcionar para outra pessoa pode não funcionar necessariamente para você. Sempre consulte seu médico antes de mudar sua dieta, seu estilo de vida ou de iniciar qualquer tipo de tratamento novo.

    1. Fazer cocô entre três vezes por dia a três vezes por semana é normal.

    NBC / Via giphy.com

    "Eu só quero que pare."

    Se você não tem nenhum problema gastrointestinal e não está constipado, ir ao banheiro entre três vezes ao dia e três vezes por semana não é nada fora do comum. Obviamente, o que é considerado "saudável" depende do seu próprio corpo e das suas escolhas de estilo de vida, mas tenha certeza de que a definição de "normal" em termos de evacuação é bem variada.

    2. Estresse e ansiedade afetam o seu intestino de maneiras diferentes.

    @jaypelll / Via Twitter: @jaypelll

    "É o estresse da eleição ou foi aquele burrito: o mistério do cocô da noite de terça-feira."

    O estresse tende a estimular o intestino, contraindo-o e fazendo com que você sinta vontade de ir a banheiro. Já a ansiedade pode causar cólicas ou dismotilidade, que são contrações musculares anormais que podem causar dor abdominal e diarreia ou constipação.

    A ansiedade está "muito intimamente ligada" à síndrome do intestino irritável (SII), condição que pode causar prisão de ventre, cólicas ou dor na barriga, diz Lembo.

    3. Probióticos podem ajudar a melhorar a saúde intestinal, embora pesquisas não suportem o uso generalizado.

    Universal Pictures / Via giphy.com

    "Está saindo de mim como lava!"

    Embora os probióticos possam trazer benefícios para a saúde, ainda não se sabe ao certo se todas as pessoas podem se beneficiar deles. Além disso, probióticos não são essenciais para a saúde intestinal.

    "Estudos sugerem que eles podem ajudar algumas pessoas, mas não há muitas evidências de que eles são super eficazes", diz Lembo.

    4. Você deve beber cerca de seis a oito copos de água por dia para estimular os movimentos intestinais.

    @chloexhalle / Via giphy.com

    É claro que a quantidade real dependerá do tamanho da pessoa, do nível de atividade e do quanto ela transpira, mas geralmente você deve tomar de seis a oito copos de água por dia, aconselha Lembo.

    5. Tomar café da manhã desencadeia uma "resposta gastrocólica", que é o que faz você correr para o banheiro.

    Studio Ghibli / Via giphy.com

    Para a maioria das pessoas, o desejo de ir ao banheiro logo após o café da manhã é causado por algo chamado reflexo gastrocólico, que estimula contrações no cólon para dar mais espaço para a comida.

    "Qualquer alimento inicia uma resposta gastrocólica", diz Lembo, e comer alimentos em geral é um grande desencadeador.

    6. Banquinhos para fazer cocô de cócoras podem ajudar.

    youtube.com / Via giphy.com

    Algumas pessoas têm disfunções no assoalho pélvico, em que a "faixa" ou "rede" que sustenta os órgãos pélvicos fica fraca ou danificada.

    Para ajudar, Lembo recomenda elevar os pés na hora de fazer cocô, de forma que eles não fiquem em um ângulo de 90° (esse posicionamento também pode ajudar todas as pessoas, mesmo aquelas sem nenhum problema no assoalho pélvico).

    Os banquinhos de cócoras podem ajudar a colocar seu corpo em uma posição natural de agachamento.

    7. Problemas gastrointestinais tendem a ocorrer em famílias, mas não estão super ligados geneticamente.

    CBS / Via giphy.com

    "Isso é tudo minha culpa."

    Embora seja comum que membros de uma mesma família compartilhem traços ou disfunções semelhantes, isto não determina os hábitos intestinais. Ou seja, é possível alterar sua saúde intestinal apenas com mudanças de estilo de vida.

    8. Os problemas gastrointestinais aumentaram nos últimos 10 anos.

    @dumbfoundead / Via giphy.com

    Lembo diz que os problemas gastrointestinais parecem ser um problema muito maior para todas as faixas etárias do que eram há 10 anos. Uma série de fatores pode ser a causa das mudanças nas estatísticas, incluindo maior uso de narcóticos, que fazem com que você fique com prisão de ventre, e uma população envelhecida e mais sedentária.

    9. Há algumas mudanças de estilo de vida que você pode adotar para melhorar sua saúde intestinal.

    Buena Vista Pictures / Via giphy.com

    Tomar mais líquidos, ter uma dieta rica em fibras e fazer exercícios regularmente (20 a 30 minutos, três a cinco vezes por semana) estão associados a hábitos intestinais melhores ou mais normais. Se você não consegue se exercitar, deve pelo menos tentar comer uma dieta rica em fibras.

    Veja também:

    Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

    Este post foi traduzido do inglês.

    Want to be the first to see product recommendations, style hacks, and beauty trends? Sign up for our As/Is newsletter!

    Newsletter signup form

    Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, que o reconhecem e identificam como um usuário único, para garantir a melhor experiência de navegação, personalizar conteúdo e anúncios, e melhorar o desempenho do nosso site e serviços. Esses Cookies nos permitem coletar alguns dados pessoais sobre você, como sua ID exclusiva atribuída ao seu dispositivo, endereço de IP, tipo de dispositivo e navegador, conteúdos visualizados ou outras ações realizadas usando nossos serviços, país e idioma selecionados, entre outros. Para saber mais sobre nossa política de cookies, acesse link.

    Caso não concorde com o uso cookies dessa forma, você deverá ajustar as configurações de seu navegador ou deixar de acessar o nosso site e serviços. Ao continuar com a navegação em nosso site, você aceita o uso de cookies.