back to top

Jovem com paralisia cerebral quer fazer um filme sobre sua vida

Daniel Gonçalves faz campanha para tentar realizar o "Como seria?", documentário em que ele quer mostrar que "é possível que uma pessoa com deficiência tenha uma vida normal".

publicado

Este é o jornalista Daniel Gonçalves, de 31 anos. Ele tem paralisia cerebral e busca financiamento para realizar um filme para mostrar que "é possível que uma pessoa com deficiência tenha uma vida normal."

Reprodução / Via benfeitoria.com

"Através de histórias que vivi, quero mostrar que é possível que uma pessoa com deficiência tenha uma vida normal. Para isso, o primeiro passo é aparecer para o mundo e enfrentar de cabeça erguida, sem esquecer de uma boa dose de humor, as dificuldades que aparecerem pelo caminho", escreveu Daniel na descrição do projeto.

Daniel já lançou o "Como seria?", um curta-metragem onde o jovem tenta se imaginar sem a paralisia cerebral. O título pode ser o mesmo para o longa-metragem que ele planeja.

Reprodução / Via youtube.com

O vídeo tem mais 28 mil views e na época, há um ano, ele apareceu em vários veículos e deu uma entrevista no Encontro com Fátima. "Teria sido mais fácil começar a andar. Um grande colégio de Barra Mansa não teria achado difícil me ter como aluno. Poderia ter sido goleiro. Correria. Saltaria. Subiria em árvores. Andaria de skate. Faria um monte de outras coisas que toda criança faz. Mas não seria eu".

Para conseguir dinheiro para fazer o longa, ele começou uma campanha no site de financiamento coletivo Benfeitoria e quer arrecadar R$ 40 mil.

Reprodução / Via benfeitoria.com

Até agora o projeto atingiu 14% da meta, o que equivale a pouco mais de R$ 5 mil reais.

Publicidade

Ele tem consciência de que a paralisia faz parte da sua história que o fez ser quem ele é hoje. "Eu não teria feito papel de minhoca numa peça teatral no colégio, por exemplo".

Reprodução / Via youtube.com

"Não teria sido o centro das atenções quando cheguei com uma máquina de escrever elétrica em sala de aula. Não conheceria meus terapeutas. Não saberia como é gostosa a sensação de fazer determinado movimento pela primeira vez. Não teria tido o prazer de mandar tomar no cu aquele que me chamou de coitadinho.", escreveu Daniel na página do Benfeitoria.

Veja aqui o "Como seria?", o curta de Daniel que inspirou a criação do projeto para o longa:

Veja este vídeo no YouTube

youtube.com

E aqui o vídeo da campanha de financiamento para o seu documentário longa-metragem:

Veja este vídeo no YouTube

youtube.com