back to top

O que falta para Eduardo Cunha perder de vez o mandato

Após meses de discussões, manobras e adiamentos, Conselho de Ética decidiu, por 11 votos a 9, dar continuidade ao processo de cassação. Caso vai ao plenário.

originalmente publicado em
atualizado em

O presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), tomou um tombo no Conselho de Ética. Ele foi derrotado por 11 votos a 9. Agora, o destino dele será decidido no plenário da Câmara. Não existe prazo.

Cunha é acusado de mentir aos deputados ao dizer, na CPI da Petrobras, que não tinha contas no exterior.

Em fevereiro, o processo contra Cunha no Conselho de Ética bateu o recorde de lentidão desde que o atual rito foi estabelecido, em 2011. A investigação começou, oficialmente, em 3 de novembro do ano passado. Ao todo, a ação durou 225 dias — os processos contra Rodrigo Bethlem (PMDB-RJ) e Devanir Ribeiro (PT-SP), empatados na segunda colocação no quesito demora, duraram 77 dias.

Tia Eron (PRB-BA) era considerado o voto decisivo. Ela já foi aliada de Cunha, mas votou votou para condená-lo: "Não mandam nesta 'nega' aqui".

Depois de Tia Eron, o aliado mais estridente no Conselho, Wladimir Costa (SD-PA), resolveu abandoná-lo e votou pela continuidade do relatório que pede a cassação de Eduardo Cunha.

Pelas regras atuais, o caso vai ao plenário e são necessários 257 votos dos 513 deputados para que ele seja cassado ou absolvido.

1) A cassação de Cunha vai ao plenário da Câmara.

2) Os 513 deputados, em voto aberto, ratificam ou não a decisão da Comissão de Ética.

3) São necessários 257 votos para que o mandato de Cunha seja cassado.

Uma manobra na Comissão de Constituição e Justiça promovida pelo presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), pode aliviar a pena para Cunha.

Maranhão enviou quatro perguntas à CCJ, questionando se deputados poderão fazer emendas, durante a votação no plenário, à punição decidida pelo Conselho de Ética. Isso abre a possibilidade para que Cunha seja submetido a uma pena mais branda, como uma suspensão de mandato.

1) O processo de Cunha vai ao plenário da Câmara.

2) Os deputados poderão fazer emendas a o que foi votado na Comissão de Ética, o que abre a possibilidade de Cunha ser submetido a uma pena mais branda, como uma suspensão.

3) Os 513 deputados, em voto aberto, ratificam ou não a punição.

Eduardo Cunha disse que vai recorrer e tentar suspender a decisão do Conselho de Ética. Segundo ele, o processo foi cravado de "nulidades gritantes". Veja a nota divulgada pelo deputado.

Nota à imprensa de Eduardo Cunha sobre a aprovação do parecer do Conselho de Ética. https://t.co/hgTFCjoeLE

Pouco depois da decisão do Conselho de Ética, o juiz Augusto César Pansini Gonçalves, da 6a Vara da Justiça Federal de Curitiba, determinou o bloqueio de todos os bens de Eduardo Cunha e da mulher dele, Cláudia Cruz.

A medida atinge bens, contas bancárias, ativos no mercado de capitais e até a venda de carros em nome de Cunha, da mulher e das empresas da família.

Também por meio de nota, Cunha disse que a ação de improbidade administrativa a que responde é "absurda" e que também recorrerá contra a decisão da Justiça Federal de bloquear seus bens.

Nota à imprensa de Cunha sobre a ação de improbidade administrativa. https://t.co/4CRELPFYwq

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss