18 coisas que você nunca soube que começaram como manobras de marketing

Tudo o que você sabe é uma mentira.

1. Os rolos de papel higiênico foram inventados para vender papel da marca Scott.

O papel higiênico embalado não foi introduzido na América até 1857, quando foi lançado como folhas pré-umedecidas com aloe vera em caixas parecidas com as de lenços de papel. O papel higiênico em rolo como o que usamos hoje foi lançado em 1890 por Clarence e E. Irvin Scott, cuja empresa Scott ainda é uma das principais marcas de PH do mundo.

2. O Dia dos Pais foi inventado para vender roupas masculinas durante a Depressão.

Gianni Ferrari / Getty Images

Enquanto o dia das mães se iniciou naturalmente como uma forma de crianças homenagearem as mães que morreram na guerra, a criação do Dia dos Pais na década de 1930 não foi simplesmente uma resposta ao dia das mães. A indústria de cartões e a New York Associated Men’s Wear Retailers (Associação de Varejistas de Roupas Masculinas de Nova Iorque), cujos lucros estavam em baixa durante a depressão, usaram o Dia dos Pais como uma ferramenta promocional para vender cartões e gravatas.

3. A disposição dos supermercados é projetada para fazer você comprar mais.

Tudo sobre o arranjo de um supermercado é planejado para fazer parecer que você está comprando algo que não estava na sua lista de compras por livre e espontânea vontade. Para chegar ao leite e pão no fundo da loja, você tem que passar por muitos outros corredores de guloseimas. Até mesmo as demonstrações e carrinhos de amostras não estão lá para fazer você comprar o produto que você prova; eles são projetados para te atrasar e fazê-lo ver todos os produtos que estão ao seu redor enquanto espera por sua mordida.

4. A marca Campbell’s inventou o guisado de feijão verde.

O prato tradicional americano do Dia de Ação de Graças não começou em um livro qualquer de receitas da vovó. Começou no departamento de marketing da Campbell’s em 1995 quando eles queriam criar uma receita que melhoraria as vendas da sua sopa de creme de cogumelo.

5. A caixa de mistura pronta de bolo foi concebida como uma forma de vender melaço.

HBO

Diz a lenda que as caixas de mistura pronta de bolo foram inventadas depois da Segunda Guerra Mundial, quando as empresas tinham farinha sobrando, mas na verdade elas foram desenvolvidas na década de 1930, quando uma empresa de Pittsburgh, P. Duff & Sons, tinha um excesso de melaço. A mistura seca de bolo de gengibre que eles desenvolveram usou 100 quilos de melaço, acabando com o seu estoque.

6. Anéis de noivado de diamante foram concebidos pela empresa de diamantes De Beers.

A troca de anéis entre noivos tem sido uma tradição desde a Roma antiga (onde o anel indicava que uma mulher era, a partir de então, propriedade de seu futuro marido), mas não foi até a década de 1870, quando a empresa de diamantes De Beers comprou minas de diamantes brutos na África do Sul, que eles começaram a comercializar estas pedrinhas brilhantes para uso em anéis de noivado.

7. A companhia De Beers também decidiu que anéis de noivado deveriam custar dois meses de salário.

E! Entertainment / Via giphy.com

Quando as vendas estavam lentas, a equipe da De Beers decidiu aumentar o preço médio de suas vendas, divulgando a regra agora amplamente aceita que um anel de noivado deve custar o que você ganha em dois meses.

8. Registros de presentes de casamento foram inventados por uma loja de departamentos de Chicago.

Shutterstock

Em 1924, a loja de departamentos Marshall Field, em Chicago, criou o primeiro registro de presentes de casamento. Antes disso, era costume que só a família mais íntima da noiva e do noivo oferecessem presentes. Hoje, cerca de 96% dos casais estão registrados em pelo menos uma loja.

9. As “duas torneiradas” da Guinness foi apenas um anúncio para fazer a cerveja parecer única.

Não há jeito errado de despejar uma Guinness. Bem, isso provavelmente não é verdade. Mas o jeito “certo” que é elogiado por muitos entusiastas de cerveja — deixando a cerveja “descansar” antes de terminar de despejá-la —começou com uma campanha de marketing para a marca.

10. O concurso de Miss Estados Unidos começou como uma maneira de atrair pessoas para Atlantic City.

Castle Rock

Ao contrário da crença popular, o Concurso de Miss Estados Unidos não era um resultado inevitável da meritocracia americana. A Liga de Empresários de Atlantic City criou o evento em 1921 para continuar atraindo turistas para o calçadão após o Dia do Trabalho.

11. As mulheres não raspavam as axilas até a Gillette dizer a elas que deveriam.

Anúncio da Harper’s, de 1915.

Harper's Bazaar

Anúncio do Reino Unido, de 1932.

vintage-ads.livejournal.com

 

Impulsionada pelo aumento de vestidos sem mangas e com mangas transparentes que estavam ficando na moda, a partir de 1915 foi lançada uma campanha de marketing na Harper’s Bazaar pela Gillette para convencer as mulheres que os pelos das axilas eram anti-higiênicos e fora de moda. Por volta de 1920, estes anúncios onipresentes tinham gerado toda uma indústria de produtos pessoais de barbear.

12. As mulheres só começaram a raspar as pernas quando os fabricantes de produtos de higiene procuraram capitalizar em novas tendências de moda.

Universal Pictures

Quando as bainhas começaram a subir na década de 1920, as empresas aproveitaram mais uma vez esta nova oportunidade de vender produtos de beleza, apontando pelos nas pernas em mulheres como algo indesejável.

13. O famoso brinde de carros da Oprah foi na verdade um anúncio gigante para a General Motors.

CBS

Aclamado como o “santo graal” do merchandising, o Oprah Winfrey Show é conhecido por dar brindes à plateia, o que resulta em muito tempo de exposição para as marcas. Mas o público e executivos tiraram a sorte grande em 2004, quando a Oprah deu 276 carros Pontiac G6S novinhos para a sua plateia. O que foi, naturalmente, uma campanha publicitária para o mais novo modelo da General Motors.

14. O uso moderno da palavra “like” (como) em inglês, veio de um anúncio de cigarro.

Antes de 1954, havia dois usos aceitáveis ​​da palavra “like” (gostar): como uma preposição ou um verbo. Este anúncio da Winston ultrajou completamente gramáticos, poetas e o público em geral com o uso não-convencional da palavra como uma conjunção. Mas os anúncios não pararam e, em 1961, o dicionário Merriam-Webster corrigiu oficialmente a definição e citou o anúncio da Winston como o motivo.

15. Ideias negativas sobre o odor corporal foram iniciadas por uma empresa de desodorante.

A demanda por desodorantes foi iniciada por um produto: Odorono (entendeu?). Criado para manter as mãos de cirurgiões secas, Edna Murphy decidiu na década de 1920 que iria comercializar este produto como uma maneira de manter as axilas femininas secas. Mas primeiro ela teve que convencer a todos que o odor corporal era uma coisa ruim.

16. Uma empresa de formol começou a prática de embalsamar quimicamente os mortos.

Universal Pictures

Embora o processo de preservar os mortos tenha começado no Antigo Egito, a prática moderna (e, em grande parte, ocidental) de embalsamento químico, como é praticada hoje em dia, foi promovida depois da Segunda Guerra Mundial por dois fabricantes de produtos químicos que produziam formol.

17. A vergonha associada com o herpes foi criada para vender medicação contra herpes.

Brownstone Productions

Até a empresa Burrought Wellcome inventar um medicamento para reduzir os sintomas da herpes simples, o estigma social ligado à variedade genital desta doença muito comum era inexistente. A fim de levar as pessoas a comprarem seu novo remédio, a empresa lançou uma campanha publicitária em 1975 para criar uma distinção entre o herpes labial e a socialmente abominável versão genital.

18. O personagem do Papai Noel moderno começou em uma campanha publicitária da Coca-Cola.

 

Antes da década de 1930, São Nicolau (também conhecido como Papai Noel) foi descrito mais como seu bispo homônimo à esquerda — magro e parecido com um elfo. Mas quando a empresa Coca-Cola começou a colocar anúncios no Saturday Evening Post, os seus publicitários redesenharam o Papai Noel para ser o homem grande e alegre de roupa vermelha e barba branca que conhecemos hoje. No entanto, a imagem não era totalmente original — eles basearam as suas interpretações na descrição do Papai Noel no poema de Clement C. Moore, “Twas the Night Before Christmas” (Era a Noite Antes do Natal).

Check out more articles on BuzzFeed.com!

Este post foi traduzido por usuarios de Duolingo, um serviço que ajuda estudantes de idiomas praticar suas hablidades traduzindo textos do dia-a-dia para suas línguas maternas. Queremos continuar crescendo e melhorando o nosso conteúdo. Se você tiver sugestões ou comentários envie-nos um email ao brasil@buzzfeed.com. Obrigado!

Conversas no Facebook
Buzzing agora