back to top

12 provas de que não precisamos de um Dia da Consciência Negra no Brasil

Até porque somos todos iguais. Ou não?

publicado

1. Em primeiro lugar, nem existe tanto racismo assim no Brasil.

BuzzFeed Brasil/Reprodução/Globo / Via revistaforum.com.br

Um vídeo em que o jornalista William Waack faz comentários racistas vazou nas redes sociais e causou seu afastamento na Rede Globo. No entanto, diversas pessoas foram em sua defesa alegando que o mesmo havia sido vítima de "exagero" do politicamente correto.

2. Inclusive, há tantas leis de proteção que não faz diferença nenhuma ser negro hoje em dia.

BuzzFeed Brasil / Getty / Via correiobraziliense.com.br

Índice de homicídios de mulheres negras cresceu 22% entre 2005 e 2015, enquanto a taxa nos demais grupos étnicos caiu, segundo o Atlas da Violência 2017, divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Publicidade

3. Os negros até recebem um tratamento especial dos seguranças dos estabelecimentos.

BuzzFeed Brasil/Divulgação / Via ego.globo.com

O ator Lázaro Ramos contou ao site Ego que já passou por inúmeras situações de racismo, entre elas ser seguido por seguranças em supermercado.

4. Negros são a maioria da população, então têm representação política suficiente em Brasília.

BuzzFeed Brasil/Thejack / Getty Images / Via cartacapital.com.br

Os negros e pardos representam 50,7% da população brasileira, segundo o censo de 2010 do IBGE. Mas, nas eleições de 2014, apenas 4,3% dos eleitos se declararam pretos e 15,7%, pardos.

5. Até porque, ninguém morre porque é negro, né?

BuzzFeed Brasil/ Reprodução/Tiago Queiroz/Maes de Maio / Via Facebook: maes.demaio

Segundo CPI do Senado de 2016 sobre o assassinato de jovens, todo ano, 23.100 jovens negros de 15 a 29 anos são assassinados. São 63 por dia. Um a cada 23 minutos.

6. E nem é preso injustamente.

BuzzFeed Brasil/Reprodução/Midia Ninja / Via noticias.uol.com.br

Rafael Braga Vieira é um jovem negro que, até junho de 2013, trabalhava como catador de materiais recicláveis nas ruas do centro do Rio de Janeiro. Isso porque, naquele mês, ele foi preso nos arredores de um protesto por carregar uma garrafa de Pinho Sol e outra de água sanitária.

7. Negros não são discriminados no mercado de trabalho.

BuzzFeed Brasil / Getty / Via noticias.r7.com

A indicação de parentes e amigos ainda é o modelo mais eficiente entre os negros: corresponde a 57% das vagas conquistadas, segundo levantamento do Dieese (Departamento Intersindical de Estudos Econômicos).

Publicidade

10. A população negra tem o mesmo acesso a educação que todo mundo.

BuzzFeed Brasil / Getty / Via educacao.estadao.com.br

Dados do IBGE de 2010 mostram que a taxa de analfabetismo entre negros e pardos, a partir de 15 anos de idade, é de 13,3% para os negros e de 13,4% para os pardos. Entre os brancos, esse número fica em 5,9%.

11. E, na verdade, nem precisavam de cotas para entrar nas universidades.

BuzzFeed Brasil / Getty / Via huffpostbrasil.com

Em 2005, apenas 5,5% dos jovens pretos ou pardos em idade universitária frequentavam uma faculdade. Em 2015, eles já eram 12,8%, segundo IBGE.

12. Por conta de tudo isso, negros já conquistaram seu espaço na mídia e não têm mais do que reclamar.

BuzzFeed Brasil / Reprodução./Globo / Via vestibular.uol.com.br

Em 2015, a jornalista Maria Julia Coutinho foi vítima de comentários racistas no Facebook de telespectadores contrários à sua presença no "Jornal Nacional".

Publicidade

Esta é a semana da Consciência Negra do BuzzFeed Brasil. Clique aqui para acessar mais conteúdos sobre o assunto.

Em parceria com