back to top

Esta livraria conseguiu mostrar a desigualdade de gênero na literatura só reorganizando suas prateleiras

Eles viraram as lombadas dos livros escritos por homens para dentro das estantes. O resultado é uma bela lição.

publicado

A livraria Loganberry Books, localizada em em Cleveland (EUA), parece um paraíso literário comum -- mas é bem mais do que isso.

No início deste mês, a livraria girou todos os livros de autores homens em suas prateleiras, de maneira que suas lombadas ficassem escondidas. Com isso, mostrou de maneira perfeita como a desigualdade de gênero também existe na literatura.

"Vendo livros há mais de 20 anos, e todo mês de março destaco o trabalho das mulheres", disse Harriet Logan, fundadora e dona da livraria, ao BuzzFeed. "Mas neste ano eu quis fazer algo diferente, algo que destacasse não só os bons trabalhos feitos pelas mulheres, mas também a disparidade na indústria."
Loganberry Books

"Vendo livros há mais de 20 anos, e todo mês de março destaco o trabalho das mulheres", disse Harriet Logan, fundadora e dona da livraria, ao BuzzFeed. "Mas neste ano eu quis fazer algo diferente, algo que destacasse não só os bons trabalhos feitos pelas mulheres, mas também a disparidade na indústria."

O resultado é uma verdadeira lição.

Logan estima que apenas 37% dos trabalhos de ficção em sua loja foram escritos por mulheres.
Loganberry Books

Logan estima que apenas 37% dos trabalhos de ficção em sua loja foram escritos por mulheres.

A reorganização foi feita durante uma apresentação aberta aos clientes. Cerca de 10.000 volumes escritos por homens foram virados.

“Ilustrando a disparidade de gênero na ficçãoPerformance nas prateleiras1 de março, início às 18hem exibição até 15 de março‘Até entendermos as premissas em que estamos embebidos, não podemos nos conhecer’ Adrienne Rich, When We Dead Awaken [Quando Nós Mortos Acordamos]”Segundo Logan, foram reorganizadas cinco seções de ficção e cinco de poesia.
instagram.com

“Ilustrando a disparidade de gênero na ficção

Performance nas prateleiras
1 de março, início às 18h
em exibição até 15 de março

‘Até entendermos as premissas em que estamos embebidos, não podemos nos conhecer’ Adrienne Rich, When We Dead Awaken [Quando Nós Mortos Acordamos]”

Segundo Logan, foram reorganizadas cinco seções de ficção e cinco de poesia.

"A reação dos clientes foi fantástica", disse Logan. "Muitas pessoas só ficaram lá, paradas, olhando e balançando as cabeças em desaprovação."

"Eu quero que as pessoas pensem: 'Existe uma disparidade, mas por quê? Como é a estante de livros na minha casa? O que pode ser feito para mudar esse desequilíbrio?', e que depois procurem um título de uma autora que ainda não conhecem e experimentem lê-lo."
Loganberry Books

"Eu quero que as pessoas pensem: 'Existe uma disparidade, mas por quê? Como é a estante de livros na minha casa? O que pode ser feito para mudar esse desequilíbrio?', e que depois procurem um título de uma autora que ainda não conhecem e experimentem lê-lo."

O projeto de Logan parece ter tido um efeito também em outros lugares.

"Um professor de St. Agustine, na Flórida, me disse que depois fez a mesma coisa com os livros em sua sala de aula e discutiu com seus alunos sobre a disparidade entre os gêneros na educação", disse Logan.
Loganberry Books

"Um professor de St. Agustine, na Flórida, me disse que depois fez a mesma coisa com os livros em sua sala de aula e discutiu com seus alunos sobre a disparidade entre os gêneros na educação", disse Logan.

Este post foi traduzido do inglês.