back to top
Community

Danny Gloover Apoia Cotas Na Unicamp, Saiba Mais

Ator e diretor americano usou o Facebook para se pronunciar sobre o tema. Votação ocorre hoje (30/05), às 9 horas

Posted on

Danny Gloover é ator, diretor e ativista político. No último sábado (27/05), mandou um recado para o Brasil.

Reprodução/ Facebook / Via Facebook: DannyLGlover

Tradução livre: "O acesso a uma educação pública gratuita e de qualidade é um direito social garantido pela Constituição brasileira. A presença reduzida de estudantes negros e indígenas torna necessária a existência de políticas públicas legítimas que combatam privilégios e exclusões. Então, eu apoio as cotas na Unicamp, Brasil".

Explica mais...

De forma bem objetiva, hoje (30/05), o Conselho Universitário, instância maior da instituição, vota se o sistema de cotas raciais e sociais vão valer no ingresso de alunos da graduação.

De forma bem objetiva, hoje (30/05), o Conselho Universitário, instância maior da instituição, vota se o sistema de cotas raciais e sociais vão valer no ingresso de alunos da graduação.

Mas a Unicamp não tinha cotas?

Não, acredita? A instituição adota, desde 2014, a política de bonificação, no qual estudantes oriundos de escolas públicas e autodeclarados pretos, pardos e indígenas têm acréscimo de pontos em seu resultado do vestibular.
Divulgação/UnB Agência / Via glo.bo

Não, acredita? A instituição adota, desde 2014, a política de bonificação, no qual estudantes oriundos de escolas públicas e autodeclarados pretos, pardos e indígenas têm acréscimo de pontos em seu resultado do vestibular.

Se já tem bonificação, por quê adotar cotas?

"Entre as críticas recebidas pelo programa, destaca-se o impacto diminuto da política no tocante ao ingresso de negros (pretos e pardos) e indígenas", afirma a professora Lucilene Reginaldo, professora do departamento de História da instituição em "Enxugando Gelo". O texto é parte do dossiê sobre o tema, produzido pelo Blog Conversa de Historiadoras Negras.
Thinkstock / Via abr.ai

"Entre as críticas recebidas pelo programa, destaca-se o impacto diminuto da política no tocante ao ingresso de negros (pretos e pardos) e indígenas", afirma a professora Lucilene Reginaldo, professora do departamento de História da instituição em "Enxugando Gelo". O texto é parte do dossiê sobre o tema, produzido pelo Blog Conversa de Historiadoras Negras.

Mesmo com alterações na sistema, Lucilene afirma que os números continuam abaixo da representação demográfica da população negra no estado de São Paulo e não impactam de maneira semelhante todos os cursos.

Cotas x Qualidade?

O mito da combinação de leite e manga, vindo dos tempos da escravidão, é análogo à ideia de que a reserva de vagas promoveria a diminuição da qualidade.
Reprodução / Via bit.ly

O mito da combinação de leite e manga, vindo dos tempos da escravidão, é análogo à ideia de que a reserva de vagas promoveria a diminuição da qualidade.

Como assim?

Naércio de Menezes, professor do Insper e da USP, em entrevista do Nexo Jornal sobre a política de cotas, conta que no Enem as notas do cotistas são menores que o dos não-cotistas no Enem.

Porém, essa distância não se mantém ao longo dos cursos, explica:

"Depois da entrada na universidade, um estudo da UnB [Universidade de Brasília] que seguiu os alunos cotistas e não cotistas nos cursos mais concorridos, como Medicina e Engenharia, mostra que o desempenho dos alunos cotistas é similar ao dos não-cotistas, o mesmo acontecendo com a evasão. Isso acontece porque as habilidades socioemocionais dos alunos cotistas são maiores, o que faz com que eles superem as suas dificuldades de formação".
Reprodução / Via bit.ly

"Depois da entrada na universidade, um estudo da UnB [Universidade de Brasília] que seguiu os alunos cotistas e não cotistas nos cursos mais concorridos, como Medicina e Engenharia, mostra que o desempenho dos alunos cotistas é similar ao dos não-cotistas, o mesmo acontecendo com a evasão. Isso acontece porque as habilidades socioemocionais dos alunos cotistas são maiores, o que faz com que eles superem as suas dificuldades de formação".

Mas por quê a polêmica? Naércio responde: "Em parte porque a elite tenta preservar seus privilégios".

Continua: "Como as cotas diminuem a probabilidade de entrada no ensino superior público dos jovens nascidos em famílias ricas, grande parte dessas famílias, que têm um poder de mobilização muito forte, resistem às cotas"
Reprodução/NegroBelchior / Via bit.ly

Continua: "Como as cotas diminuem a probabilidade de entrada no ensino superior público dos jovens nascidos em famílias ricas, grande parte dessas famílias, que têm um poder de mobilização muito forte, resistem às cotas"

Atualização:

O Conselho Universitário da Unicamp aprovou por unanimidade a criação de um grupo responsável por elaborar a adoção progressiva das cotas étnico-raciais na instituição. A política afirmativa passa a valer a partir do vestibular 2019.

This post was created by a member of BuzzFeed Community, where anyone can post awesome lists and creations. Learn more or post your buzz!