go to content

Assista o momento em que assessor de Feliciano negocia silêncio de jovem

Caso envolve suborno para evitar que jornalista denunciasse deputado evangélico por tentativa de estupro. Feliciano nega que tenha atacado a mulher.

publicado

A Polícia Civil de São Paulo obteve uma gravação que comprova que o chefe de gabinete do deputado Marco Feliciano (PSC-SP), Talma Bauer, negociou o pagamento de ao menos R$ 50 mil para que a jovem Patrícia Lélis não denunciasse que o parlamentar evangélico tentou estuprá-la.

O vídeo foi gravado pelo celular de Emerson Biazon, que participou da negociação do pagamento, no hotel San Rafael em São Paulo no último dia 30 –data em que Patrícia deixou Brasília e veio para São Paulo.

O vídeo mostra intimidade entre Patrícia e Bauer –o que levou a polícia a concluir que era falsa a história de que a jovem fora sequestrada e forçada a gravar vídeos para isentar Feliciano da acusação de estupro.

Ela deve ser indiciada por falsa denúncia de crime. Bauer é investigado sob suspeita de coação.

O caso da tentativa de estupro corre em Brasília, local onde os fatos teriam acontecido.

Neste vídeo, eles se referem a um homem identificado como Artur Mangabeira, namorado de uma amiga de Patrícia, e intermediário apontado por Bauer para o pagamento. O assessor de Feliciano diz ter pago R$ 50 mil a Artur e Patrícia parece surpresa.

O momento em que chefe de gabinete de @marcofeliciano discute pagar jovem para abafar denúncia de ataque sexual.

A transcrição do diálogo:

Patrícia: Você vai dar uns tapas nele?

Bauer: Vou dar uns tapinhas nele, se Deus quiser.

Emerson (interrompendo): Quero ver a sua felicidade.

Bauer: Esse dinheiro dá para você se resolver, concorda?

Patrícia: Os 10?

Bauer: Não, eu dei 50 para ele [para Artur Mangabeira].

Patrícia: O quê???

Bauer: 50. Eu dei 50.

Patrícia: Ahn? Não, ele falou que você deu 10.

Bauer: 50.

Em outro trecho, Patrícia pede a Bauer que se vingue de Mangabeira.

E chefe de gabinete de @marcofeliciano promete "dar um pau" em intermediário que teria sumido com R$ 50 mil.

Veja a transcrição:

Patrícia: Você vai fazer alguma coisa com ele? Você me dá sua palavra? Eu vou confiar em você, Bauer. Eu quero que alguma coisa aconteça com ele.

Bauer: Não vou matar ele, mas eu dou um pau nele. Alguma coisa eu faço.

E, ao selar a vingança contra o intermediário, Patrícia e Bauer se cumprimentam com intimidade:

Na terça (9), o BuzzFeed Brasil revelou que, segundo Emerson Biazon, a negociação para abafar o caso começou com um pedido de R$ 1 milhão de Feliciano.

“Ele [Artur Mangabeira] pediu R$ 1 milhão. Aí o Bauer disse que não tinha e caiu para R$ 300 mil. O Bauer disse que era o ‘preço de um apartamento’ e colocou assim: ‘o que eu consigo dar no momento é R$ 50 mil. Ele entregou o dinheiro para esse Artur, que ficou com tudo e sumiu. Não repassou nada para ela”, ​contou Biazon ao BuzzFeed Brasil.

Biazon recebeu outros R$ 20 mil de Bauer e entregou o dinheiro ao delegado Luis Roberto Hellmeister, que preside o inquérito instaurado na sexta-feira em São Paulo, quando Patrícia denunciou Bauer por suposto sequestro qualificado.

O BuzzFeed Brasil não conseguiu entrar em contato com Patrícia Lélis e Talma Bauer na noite desta quarta.

O deputado Marco Feliciano gravou vídeo no final de semana, dizendo-se "vítima de uma grande farsa".

O deputado ainda não explicou a natureza dos contatos entre o seu braço-direito em Brasília e a jovem que o acusa de tentar estuprá-la.

Veja mais:

Testemunha diz que propina pedida no caso Feliciano foi de R$ 1 milhão

Imagens mostram encontro de jovem que acusa Feliciano de tentar estupro e assessor

Jovem acusa Feliciano de tentativa de estupro; assessor é suspeito de coação

Feliciano diz que acusação de tentativa de estupro é “grande farsa”

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss