back to top

Uma HQ narra a chacina de fiscais que combatiam o trabalho escravo

Spoiler: fazendeiro e empresário condenados como mandantes estão soltos.

publicado

Há 14 anos, três fiscais do trabalho e um motorista foram emboscados e mortos em Unaí (MG) quando apuravam denúncia de trabalho escravo numa fazenda da região.

Os executores foram presos, mas os mandantes, condenados a cem anos de prisão em 2015, aguardam o julgamento de seus recursos de apelação em liberdade.

Conhecido como Chacina de Unaí, o crime aconteceu em 28 de janeiro de 2004 e virou um símbolo de luta contra a impunidade, uma vez que o fazendeiro e o empresário condenados como mandantes, Norberto Mânica e José Alberto de Castro, não cumpriram pena até agora.

Este ano, o Sindicato dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) resolveu cobrar justiça por meio de uma história em quadrinhos. A chacina é narrada pelos desenhos do repórter quadrinista Alexandre de Maio.

A história está sendo contada no Stories do Instagram do sindicato, em três capítulos. Os dois primeiros podem ser vistos abaixo, e o último será publicado até domingo (dia 4) para marcar a Semana Nacional de Combate ao Trabalho Escravo.

Advogado do fazendeiro Norberto Mânica, condenado a 100 anos de prisão, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, afirma que seu cliente alega inocência e que espera que o julgamento em segunda instância leve em consideração provas técnicas. A defesa de José Alberto de Castro, condenado a 96 anos de prisão, ainda não respondeu ao BuzzFeed News. Durante o julgamento em 2015, ele admitiu participar de um dos homicídios.

Veja o capítulo 1 da HQ:

Publicidade

Capítulo 2:

Publicidade

O capítulo 3 será publicado no Instragram do Sinait até o dia 4.

Tatiana Farah é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ela pelo email tatiana.farah@buzzfeed.com.

Contact Tatiana Farah at Tatiana.Farah@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.

Em parceria com