back to top

Paulinho da Força é suspeito de receber R$ 1 milhão para encerrar greve

Deputado e líder da Força Sindical teria agido a favor de empresa portuária da Odebrecht. "Nunca recebi por negociar greve", diz ele.

publicado

Líder da Força Sindical e apelidado pela Odebrecht de "Forte", o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP) é investigado por supostamente intervir a favor dos patrões em greves de trabalhadores.

A denúncia foi feita pelos executivos delatores da Odebrecht e está no inquérito 4.387 instaurado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Segundo o ex-presidente da Odebrecht Ambiental Fernando Luiz Ayres da Cunha, Paulinho ajudou a encerrar uma greve de portuários em 2013 na Embraport, empresa do grupo em Santos. A "fatura" veio no ano seguinte, quando foi pago em caixa dois R$ 1 milhão para campanha do sindicalista. Foram duas parcelas, contaram os delatores.

Delator conta como pagou R$ 1 milhão de propina para Paulinho da Força controlar uma greve.

O deputado, que dias atrás chegou a ironizar a lista do STF dizendo que quem não estava nela se sentia desprestigiado, negou o crime de corrupção passiva.

"Normalmente trabalho para encerrar greves, negociar. Nunca recebi nada por isso. Na Embraport, a greve foi contra o governo Dilma, que estava fazendo uma lei que favorecia a Odebrecht. Eles ocuparam um navio [em fevereiro de 2013] por alguns dias. Subi no navio para apoiar a luta", disse Paulinho em entrevista ao BuzzFeed Brasil.


Veja também:

Ex-assessor de Dilma pediu dinheiro e até camarote de Carnaval para a Odebrecht

Sobrinho de Eunício reclamou de atraso em propina porque tinha alugado avião, contou delator

Não dá para aprovar projeto "sem acesso ao rei”, diz Marcelo pra justificar propina ao PT




Tatiana Farah é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ela pelo email tatiana.farah@buzzfeed.com.

Contact Tatiana Farah at Tatiana.Farah@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.

Em parceria com