back to top

Os micos que os novos prefeitos já pagaram em menos de 48 horas

Nos primeiros dias teve de tudo: em São Paulo, João Doria fantasiou-se de gari. Na Bahia, um prefeito entregou a cidade para Deus. Em Foz do Iguaçu (PR), o prefeito anterior terminou o mandato na cadeia e o eleito em outubro não tomou posse por ser ficha-suja.

publicado

A gestão mal começou, mas os novos prefeitos não perderam tempo. Nos primeiros dias teve de tudo: prefeito varrendo o que estava limpo, outro entregando a cidade para Deus e até quem pagou R$ 300 mil de fiança para não ser voltar para a cadeia.

João Doria varreu, mas não limpou.

O prefeito de São Paulo, João Doria (SP) vestiu um uniforme de gari para anunciar seu plano "Cidade Linda", de embelezamento da cidade. Junto com os secretários, foi para a avenida Nove de Julho, cheio de repórteres e câmeras fotográficas. Só deu uma passadinha na vassoura e simbolicamente e deixou o serviço para os profissionais da área.

ADVERTISEMENT

Na Bahia, prefeito entregou pra Deus.

A primeira coisa que o prefeito de Guanambi (BA) fez foi um decreto entregando a chave da cidade para Deus. Jairo Silveira Magalhães (PSB) cancelou ainda todos os pactos com outros deuses. Magalhães nem foi original: copiou o decreto da ex-prefeita de Sapezal (MT), Ilma Grisoste Barbosa (PSD). Em dezembro, antes de deixar o cargo, colocou a chave da cidade na mão de Deus.

O eleito de Osasco (SP) pagou fiança pra não ser preso.

O prefeito de Osasco (SP), Rogério Lins (PTN), no seu primeiro dia de trabalho correu atrás de R$ 300 mil para ficar fora da cadeia. Ele pagou uma fiança e evitou seu retorno à prisão. Lins e vereadores de Osasco são investigados por envolvimento em um esquema de desvio de salário dos funcionários comissionados da Câmara. Ele nega o crime.

Greca, de Curitiba, mandou atestado médico.

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN) levou 20 anos para voltar à prefeitura de Curitiba, mas deu azar logo no primeiro dia de serviço. Segundo o atestado médico, ele foi internado logo na segunda-feira (2) com tromboembolia pulmonar. De acordo com a prefeitura, seu caso não é grave, mas ele precisou ir para o estaleiro.

Em Foz do Iguaçu (PR), prefeito eleito em 2012 acabou mandato preso e eleito em outubro não tomou posse porque é ficha-suja. Dez vereadores estão na cadeia.

Em Foz do Iguaçu (PR), que assumiu a prefeitura foi a presidente da Câmara, Inês da Saúde (PSD), de forma interina até que a cidade tenha uma nova eleição.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) impediu o eleito, Paulo Mac Donald Ghisi (PDT), de tomar posse porque ele tinha uma condenação em segunda instância, sendo enquadrado como ficha-suja, e determinou um novo pleito.

Inês recebeu o cargo de Ivone Barofaldi (PSDB), que estava no cargo como interina desde que, no ano passado, o então prefeito Reni Pereira (PSB) foi preso sob suspeita de corrupção na operação Pecúlio, da Polícia Federal. Com ele, foram presos cinco dos 15 vereadores que compõem a Câmara atual.





Tatiana Farah é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ela pelo email tatiana.farah@buzzfeed.com.

Contact Tatiana Farah at Tatiana.Farah@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.