back to top

Laércio terá de provar que teve seu Facebook hackeado

Polícia indiciou o ex-BBB pelo suposto estupro de uma menina de 13 anos. Caso ocorreu em 2012. Uma das provas é a troca de mensagens pela rede social.

publicado

A delegada Daniela Andrade, titular do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítima de Crime (Nucria) de Curitiba (PR) concluiu o inquérito que levou à prisão preventiva o ex-BBB Laércio de Moura, suspeito de estupro de vulnerável.

Ele é acusado pela polícia de ter feito sexo e se relacionado com uma menina de 13 anos em 2012, quando tinha 49 anos. O inquérito será submetido à Justiça.

Uma das principais provas foi apresentada pela vítima e é uma troca de mensagens pelo Facebook. O advogado de Laércio, Ronaldo Manoel Santiago, afirmou ao BuzzFeed Brasil que o perfil do suspeito foi hackeado.

À polícia, no entanto, ele apenas negou o crime e fez uso de seu direito de falar apenas no interrogatório diante do juiz, que ainda não ocorreu.

Cabe à defesa de Laércio comprovar que a página do ex-BBB foi hackeada, já que a alegação foi feita por ele.

O argumento é considerado comum diante desse tipo de acusação, mas a polícia conta também com o depoimento da vítima.

A garota foi localizada depois de três meses de investigação, que começou com denúncias apresentadas ao Ministério Público e colhidas nas redes sociais.

Por perfis no Facebook e na pela própria página de Laércio, os investigadores chegaram a testemunhas que conheciam a garota, que hoje tem 17 anos.

A menina contou que se relacionou com Laércio aos 13 anos, que é designer de tatuagens.

Por ela ter menos de 14 anos na época trata-se de um crime de violência presumida, um estupro de vulnerável. A pena pode chegar a 15 anos de prisão.

O crime é hediondo e inafiançável. O advogado do ex-BBB, no entanto, vai requerer a revogação da prisão de Laércio nos próximos dias.

Além de dizer que o Facebook do ex-BBB havia sido hackeado, o advogado falou que foi a adolescente que abordou Laércio em um evento noturno para falar sobre tatuagens e piercing e que ela "aparentemente é madura" e que "ela teria mencionado ser maior de idade".

"Uma garota de 13 anos numa festa noturna subentende-se que seja maior", afirmou Ronaldo Santiago.

O BuzzFeed Brasil apurou que o depoimento da vítima é detalhado e que a troca de mensagens entre os dois pela rede social também foi enviada para perícia. O caso de uma suposta segunda vítima não se confirmou.

Especializada em crimes contra crianças e adolescentes, a delegada Daniela Andrade afirmou que não poderia se manifestar sobre os autos, que correm sob segredo de Justiça.

Falando genericamente sem citar o inquérito que presidiu sobre o ex-BBB, a delegada explicou que "jogar a culpa nas vítimas é uma forma de inibir as denúncias".

A tática de defesa desse tipo de crime sempre tenta desqualificar quem denuncia para inocentar o réu, diz a delegada.

Laércio participou da última edição do programa da Globo e saiu sob forte crítica do público, depois de protagonizar conflitos com outra participante, Ana Paula.

Ana Paula chegou a chamá-lo de "pedófilo" depois que Laércio contou que namorava uma garota de 19 anos que, por sua vez, se relacionava com outra garota três anos mais jovem. Laércio disse que ia processá-la.

O advogado Ronaldo Santiago disse que as declarações de Laércio foram editadas: "Ele disse que quando vai para a balada chama a atenção das meninas mais novas e não das mais velhas. Disse que não pede registro de nascimento de ninguém."

Para o advogado, "se vê nitidamente que, no BBB, é o personagem do Laércio que conta a história para se tornar mais picante e tentar angariar uma maior audiência".