back to top

Depois de eleito, Doria fez rolê de candidato em bairros onde perdeu a eleição

Tucano jogou bola, comeu coxinha e tomou pingado em Parelheiros e no Grajaú. Ele chamou ex-prefeitos para criar um conselho e disse que vai pedir R$ 500 mi a Temer para não subir a passagem de ônibus.

publicado

A eleição já acabou em São Paulo, mas o prefeito eleito, João Doria (PSDB), viveu nesta terça-feira uma longa tarde de candidato na periferia da cidade.

Teve de tudo na visita que ele fez a Parelheiros e Grajaú, os dois únicos distritos onde ele perdeu a eleição no primeiro turno. Café no copo, guaraná com coxinha, pingado de leite com café, beijo, abraço e até uma senhorinha que o chamou de "bebê".

Doria foi derrotado por Marta Suplicy (PMDB) nos dois bairros, que são redutos eleitorais da ex-petista desde que ela se elegeu, em 2000. Mas, apesar da derrota, não faltou claque batendo palma, mulheres e homens se acotovelando para fazer selfie e gente que cantou o jingle do tucano.

Publicidade

"Eu tenho saudade, sim", disse Doria ao BuzzFeed ao falar sobre retomar a agenda de candidato. "Adorei fazer campanha eleitoral". Foi a primeira que ele fez. Ele, que, mesmo depois de eleito, diz que não é político, é gestor.

Político ou gestor, Doria tem tentado criar uma política de boas relações para o novo governo. Ligou para cada um dos ex-prefeitos de São Paulo para montar o que chama de "conselho superior".

Torcedor do Santos, o prefeito eleito Doria bate bola em Parelheiros. Julgue se ele tem habilidade ou se é perna de… https://t.co/xJrSDz63DF

Marta, Fernando Haddad, Paulo Maluf, Luiza Erundina e Gilberto Kassab já concordaram e até elogiaram a ideia. Falta o chanceler José Serra, que só será consultado por Doria quando voltar da viagem à Índia com o presidente Michel Temer.

Doria já avisou que vai passar o chapéu para pedir a ajuda de Temer no dia 25, quando se encontrará com o presidente em Brasília. Quer ajuda para custear os R$ 500 milhões do subsídio ao transporte coletivo em 2017, já que prometeu não subir o preço da tarifa de ônibus.

E, apesar de seguir o caminho dos políticos tradicionais de fotos com crianças, elogios aos eleitores e muito cafezinho em padaria, Doria tenta se mostrar diferente: "Alguém já veio aqui depois de eleito?", perguntou ao atendente de um pequeno bar enquanto tomava outro café.

Pela rua, uma senhora tenta segurar Doria pelo rosto e o chama de "bebê". Ele ri e retira, com delicadeza, a mão da senhora.

Momentos antes teve de ouvir a pergunta indelicada de uma eleitora: "Levou uma porrada?" "Não, levei uma bolada de basquete", respondeu ele, para explicar o machucado no lábio. Ao BuzzFeed Brasil, Doria contou que brincava com o filho quando se machucou e teve de levar dois pontos na parte interna do lábio inferior.


Como não falta nunca em campanha, apareceu um homem meio bêbado, empolgado com Doria, que apertou sua mão. "É prefeito, caraio!", disse o eleitor, que levou um leve pito do tucano: "Palavrão não pode".

Um bêbado empolgado gritou: "Aqui é prefeito, aqui é SP, caraio!" Corado, o tucano respondeu rindo: "palavrão, não.… https://t.co/G3u4Ie0f6a





Tatiana Farah é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ela pelo email tatiana.farah@buzzfeed.com.

Contact Tatiana Farah at Tatiana.Farah@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.