back to top

Escolha da LaMia foi técnica e não teve influência da Conmebol, diz Chapecoense

Porta-voz do clube afirma que time voou para a Argentina sem problemas. Michel Temer é esperado em cerimônia em Chapecó. Despedida dos jogadores mortos deverá reunir 100 mil.

publicado

O porta-voz da Chapecoense, Andrei Copetti, afirmou nesta quinta-feira (1) que a escolha da boliviana LaMia para o voo até Medellín foi exclusivamente do clube, sem influência da Commebol e que o time já havia contratado a empresa sem nenhum problema antes.

Coletiva do Chapecoense: corpos já foram identificados e serão levados para Chapecó para velório coletivo na sexta.

"Foi escolhida a LaMia por questões eminentemente técnicas. Todas essas especulações que começaram a surgir devem ser descartadas", disse ele, que afirmou que a empresa foi contratada antes.

Os questionamentos sobre a escolha da Lamia se intensificaram no dia seguinte à queda do avião com a delegação da Chapecoense na Colômbia, que deixou 71 mortos, quando surgiram os indícios de que o motivo do acidente foi pane seca, falta combustível.

O mais forte foi a gravação da conversa do piloto Miguel Quiroga com a torre de controle do aeroporto de Medellín. Divulgado pela rádio colombiana Blu Radio. o áudio mostra que o piloto, um dos sócios da empresa boliviana que detinha o avião, diz, exaltado, à controladora: "Falha elétrica, falha elétrica total e sem combustível".

"A LaMia já havia transportado a Chapecoense e correu tudo perfeitamente bem quando nós fomos para Barranquilla (Colômbia). Portanto, não era novidade negociarmos com a LaMia. Os serviços só foram recontratados porque haviam sido muito bem prestados na primeira oportunidade".

Direto de Chapecó: crianças tomam o campo e alegram a torcida. #ForçaChape

Copetti lembrou ainda que o avião era britânico e o modelo havia sido escolhido para transportar a família real do Reino Unido.

"Para deixar muito claro, não há indicação da Commebol, não há envolvimento da prefeitura (de Chapecó). O que fazia a LaMia como qualquer empresa que busca novos clientes? Ela tinha o know-how de transportar times de futebol, já tendo transportado a seleção da Argentina e da Bolívia. Já tinha feito o transporte de mais de 30 equipes. Eles nos procuraram e ofereceram seus serviços, foi analisada uma série de fatores que o clube tem um departamento de logística e a pessoa que fazia esse contato infelizmente estava na aeronave", disse ele.

O porta-voz explicou ainda como será o velório coletivo dos jogadores e dirigentes do Chapecoense mortos no voo para Medellín, além dos jornalistas que acompanhariam a primeira etapa da final contra o Atlético Nacional. Os corpos já foram identificados e devem ser transportados pela FAB para Chapecó na sexta-feira. A previsão é que os aviões cheguem ao aeroporto até o meio-dia.

O presidente Michel Temer é esperado para uma cerimônia no próprio aeroporto. Ele não acompanhará o velório na Arena Condá. As famílias terão um momento privado, cerca de 45 minutos, para velar seus parentes sem a presença dos fãs e torcedores do Chapecoense. Depois, o estádio será aberto ao público.

São esperadas 100 mil pessoas durante todo o dia. Após o velório coletivo, as famílias que não residem em Chapecó levarão os corpos para serem enterrados em suas cidades de origem. Em Chapecó, serão enterradas 16 pessoas.

Ontem, uma cerimônia no estádio do Chapecoense reuniu 20 mil pessoas que choravam, aplaudiam e vibravam com músicas em homenagem ao time.


Tatiana Farah é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ela pelo email tatiana.farah@buzzfeed.com.

Contact Tatiana Farah at Tatiana.Farah@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.