back to top

Candidatos do Rio dizem que são mais pobres do que aparentam

O BuzzFeed analisou a declaração de bens dos políticos que concorrem à prefeitura: Crivella, que é senador e bispo da Universal, diz que perdeu bens desde 2010 e Freixo diz ter só R$ 5.000 de patrimônio.

publicado

O BuzzFeed analisou as declarações de bens dos principais candidatos à prefeitura do Rio de Janeiro e a maioria dos políticos informou que seu patrimônio encolheu em relação às últimas eleições. A única exceção é o deputado Molon, que recebeu uma herança de família.

Alessandro Molon (Rede): R$ 1,76 milhão

Desse total, a maior parte é fruto da herança deixada por seu pai, que morreu no ano passado. O resto do patrimônio do deputado Molon não chega a R$ 29 mil segundo sua declaração de bens. Em 2014, quando se elegeu deputado federal, sua declaração de bens foi de R$ 26 mil.

Carlos Osório (PSDB): R$ 846 mil

Publicidade

Carlos Roberto Osório deixou o PMDB para disputar a prefeitura pelo PSDB e demonstrou ter diversos tipos de aplicações financeiras. Tem ações que valem R$ 1 e outras que chegam a R$ 455 mil. Declarou também joias de uso pessoal no valor de R$ 1.350.

Marcelo Crivella (PRB): R$ 701 mil

O senador Marcelo Crivella declarou ter um apartamento de quatro quartos na rua Jacarandá no valor de R$ 634 mil e aplicações financeiras. Em 2010, quando foi reeleito senador, declarou R$ 739 mil em bens, registrando o mesmo imóvel praticamente no mesmo valor.

Jandira Feghali (PCdoB) : R$ 550 mil

Publicidade

A deputada declarou duas linhas telefônicas, uma delas de R$ 70, e participação de R$ 100 mil em um restaurante árabe. Seu maior bem é uma casa de R$ 390 mil em Santa Teresa. Em 2014, ela declarou R$ 762 mil, mas se desfez de um apartamento na Glória.

Pedro Paulo (PMDB): R$ 483 mil

O candidato do prefeito Eduardo Paes declarou como maior bem um apartamento no valor de R$ 200 mil. Ele tem um investimento na Vale do Rio Doce de R$ 148 mil. Na eleição de 2014, o deputado federal registrou um patrimônio maior, de R$ 553 mil.

Flávio Bolsonaro (PSC): R$ 180 mil

O filho do deputado Jair Bolsonaro aposta R$ 3 mil nos antigos fundos de capitalização e tem seu carro Honda como seu maior bem, no valor de R$ 105 mil. Deputado estadual, em 2014 ele registrou um patrimônio de R$ 714 mil, que incluía um imóvel de R$ 565 mil em Laranjeiras.

Marcelo Freixo (PSOL): R$ 5 mil

O deputado estadual do PSOL é o que declarou o menor patrimônio. Apenas R$ 5 mil em uma conta no banco Itaú. Em 2014, ele tinha mais dinheiro: R$ 29 mil somados em duas contas bancárias.


Veja mais:

Os dados surpreendentes do patrimônio dos candidatos de SP