back to top

Jovem é condenada por matar namorado enquanto gravavam vídeo para YouTube

Monalisa Perez foi condenada por homicídio culposo depois de atirar em Pedro Ruiz no peito, enquanto os dois faziam um vídeo para o vlog do casal.

publicado

Uma mulher de 19 anos de Minnesota (EUA) foi condenada por homicídio culposo depois que atirou em seu namorado e o matou acidentalmente enquanto o casal tentava gravar um vídeo para seu vlog no YouTube, disseram as autoridades.

Monalisa Perez foi presa na segunda à noite (26) depois de balear e matar seu namorado de 22 anos, Pedro Ruiz, enquanto o casal estava gravando um "desafio" no YouTube para seu vlog, de acordo com uma queixa-crime vista pelo BuzzFeed News.

Na quarta-feira (28), Perez foi condenada por homicídio de segundo grau — um crime cuja sentença máxima é de 10 anos.

Ela foi libertada após pagar uma fiança de US$ 7.000 e na condição de que não tivesse posse de armas de fogo e que fosse monitorada por uma tornozeleira com GPS.

Perez ligou para a polícia na noite de segunda contando que tinha acidentalmente atirado em Ruiz no peito enquanto os dois faziam um vídeo para o YouTube na casa deles, em Norman County.

As autoridades encontraram o corpo de Ruiz com uma única ferida de bala e prestaram socorro, mas ele morreu no local.

Publicidade

Perez, que está grávida, disse à polícia que Ruiz queria fazer um vídeo dela atirando em um livro enquanto ele segurava o objeto. Segundo ela, Ruiz acreditava que o livro pararia a bala.

Perez tuitou na segunda-feira que o casal estava planejando gravar um vídeo perigoso. "Ideia DELE, não MINHA", escreveu.

Twitter: @MonalisaPerez5

"Eu e Pedro vamos provavelmente gravar um dos vídeos mais perigosos já gravados. Ideia DELE, não MINHA."

Perez criou um canal no YouTube em março com o objetivo de mostrar "a vida real de um casal jovem que também são pais adolescentes".

Perez já postou vários vídeos no YouTube dela e Ruiz, e muitos incluem "pegadinhas", "façanhas" e "desafios".

Alguns dos vídeos também mostram sua filhinha de três anos.

Perez falou para as autoridades que Ruiz estava tentando convencê-la "há um tempo" a fazer um vídeo em que ele se protegeria de um tiro com um livro. Segundo ela, Ruiz inclusive teria mostrado a Perez um livro que havia segurado uma bala.

Ruiz instalou uma GoPro e uma outra câmera em uma escada por perto para gravar a façanha, de acordo com a queixa. As duas câmeras — que gravaram o acidente — foram levadas pela polícia como prova para a investigação.

Perez disse à polícia que ela atirou de uma distância de 30 cm enquanto Ruiz segurava o livro em seu peito. Ela usou uma arma Desert Eagle calibre 50.

"Ele me disse sobre essa ideia e eu disse, 'Não faça isso. Não faça isso. Por que vão usar uma arma? Por quê?'"

"Eles estavam apaixonados, eles se amavam", disse a tia. "Foi só algo que deu errado. Não deveria ter acontecido assim. Não deveria ter acontecido de jeito nenhum."

No vídeo, Perez disse que estava grávida de 25 semanas e que era uma "bênção" ter Ruiz em casa. Ela disse que estava "animada" por ele estar em casa para o nascimento de seu filho, esperado para setembro.

Ela disse que precisaria de sua ajuda para cuidar do recém-nascido. Eles decidiram dar o nome do bebê de Pedro, em homenagem a Ruiz, disse no vídeo.

"Estou um pouco nervosa com as coisas que vão mudar, mas acho que é normal ficar nervosa", disse para a câmera.

Este post foi traduzido do inglês.

Em parceria com

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss