back to top

Nick Carter diz estar chocado com a acusação de estupro da cantora pop Melissa Schuman

Schuman alegou que o ex-Backstreet Boys a estuprou em seu apartamento em 2002.

publicado

O cantor Nick Carter, ex-Backstreet Boys, disse na quarta-feira que ficou "chocado e triste" após Melissa Schuman, ex-membro do grupo pop feminino Dream, acusá-lo de estuprá-la em seu apartamento em 2002.

Schuman alegou em um blog que o cantor a estuprou quando ela tinha 18 anos, e ainda era virgem, e ele tinha 22.

Em um comunicado fornecido ao BuzzFeed News, Carter disse que Schuman "nunca expressou" a ele que a relação não havia sido consensual, acrescentando que era a primeira vez que ele ouvia acusações dela.

"Estou chocado e triste com as acusações da Sra. Schuman", disse Carter. "Melissa nunca expressou para mim enquanto estávamos juntos, ou em qualquer momento desde então, que qualquer coisa que fizemos não foi consensual. Seguimos em frente, gravamos uma música e nos apresentamos juntos. Sempre respeitei e apoiei Melissa, tanto pessoalmente quanto profissionalmente."

"Esta é a primeira vez que ouço essas acusações, quase duas décadas depois. Causar intencionalmente algum desconforto ou dano a alguém é contrário à minha natureza e a tudo o que considero importante", disse Carter.

Na publicação do blog, Schuman disse que Carter a convidou para ir ao seu apartamento em Santa Mônica quando eles gravavam juntos um filme feito para TV. Ela disse que foi ao apartamento dele com uma amiga.

Carter então a levou para o escritório dele, onde eles começaram a se beijar, segundo Schuman. Ela disse que Carter sabia que ela era virgem e que tinha "valores religiosos cristãos conservadores".

Segundo a cantora, então Carter a levou para o banheiro e começou a fazer sexo oral nela, mesmo com ela pedindo para ele parar. Ele também teria pedido para ela fazer sexo oral nele, ficando nervoso com a negativa.

"Eu me senti assustada e presa", escreveu Schuman. "Ele estava visivelmente e claramente ficando muito irritado e impaciente comigo. Eu não podia ir embora."

Segundo ela, quando Carter colocou sua mão no pênis dele: "meu pensamento era de que a única maneira de sair era fazê-lo terminar o que ele havia começado."

Depois, Carter a teria levado até seu quarto e, segundo ela: "me jogou na cama e subiu em cima de mim"." Ela disse que falou repetidamente que era virgem e que estava se guardando para seu futuro marido, ao que Carter respondeu: "Eu poderia ser seu marido".

"Ele era implacável e se recusava a aceitar o meu 'não' como resposta", escreveu Schuman. "Ele era pesado demais para eu conseguir sair debaixo dele. Então eu senti que ele colocou algo dentro de mim. Perguntei o que era e ele sussurrou mais uma vez no meu ouvido: "Sou eu inteiro, querida".

Schuman disse que depois foi dormir e deixou a casa com sua amiga na manhã seguinte.

Schuman disse que contou o que tinha acontecido ao seu empresário na época, Nils Larsen, pouco depois do incidente. Ele disse a ela que Carter tinha o "advogado litigante mais poderoso" do país e que ela seria "muito humilhada" e "acusada de estar buscando fama" se fizesse uma denúncia.

A cantora disse que decidiu ir a público depois que o site "Radar" publicou que Carter era investigado por abusar sexualmente de uma mulher em uma festa. A mulher, não identificada, foi ridicularizada nas redes sociais.

"Não há nada pior do que ser uma vítima e as outras pessoas te chamarem de mentirosa", escreveu Schuman. "Quem quer ser famosa por ter sido estuprada?"

Em 2004, Carter negou os relatos de que bateu em sua então namorada, Paris Hilton.

O BuzzFeed News tentou entrar em contato com Schuman para comentar o assunto, sem sucesso.

Este post foi traduzido do inglês.

Em parceria com

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss