back to top

Transformamos-nos em pin-ups e esse foi o resultado

"Qualquer identidade, qualquer forma do corpo e qualquer sexo podem fazer o que diabos eles quiserem."

publicado

De Marilyn Monroe a Mad Men, não há como negar que o estilo dos anos 1950 e 1960 têm uma certa atração para muitos na era moderna. As pin-ups, em particular, têm conotações de um sex appeal clássico que é incrivelmente distante de nosso atual estilo chique de calça jeans e capuz.

Quatro moças da equipe do BuzzFeed foram ao Sherbet Birdie, um estúdio de fotografia pin-up em Sydney, Austrália, para ser transformadas em pin-ups e ver o que podiam aprender sobre esse estilo – e sobre elas mesmas – no processo.

Assista ao vídeo aqui:

Veja este vídeo no YouTube

youtube.com / Via youtu.be
Publicidade

Eu fiquei um pouco chocada quando me vi, porque meu visual estava totalmente o oposto do que eu costumo usar – cabelo grande, maquiagem carregada, acessórios grandes e chamativos, umbigo à mostra e calça de oncinha – era tanta coisa diferente! De início, eu fiquei um pouco tímida por parecer tão louca, ao passo que as outras meninas estavam tão lindas e elegantes, mas daí eu simplesmente aceitei a ideia e levei a sério meu colar com a palavra "rainha"! O fato de que minha foto final foi uma em que eu estava rindo entre as fotos é uma prova de como eu estava me divertindo. Eu estava muito empolgada por ter passado um dia inteiro em uma sala cheia de mulheres incríveis e diversas, que foram tão sinceramente agradáveis e positivas e compartilharam histórias pessoais umas com as outras.

Acho que, perto dos 30 anos, você tem uma boa ideia de quem você é, mas é importante desafiar a si mesma e perguntar: "Por que não?" No trabalho, é fácil pensar que a melhor maneira de ser levada a sério é se integrar ao ambiente, mas isso não significa que você não possa ser ousada, escandalosa e despreocupada quando necessário. Talvez eu não comece a me vestir como minha personagem pin-up todos os dias, mas com certeza vou me imaginar como ela nos momentos em que eu precisar ter um pouco mais de confiança e quiser ser uma rainha.

Publicidade

A coisa mais surpreendente para mim ao me olhar no espelho foi a forma do meu corpo na roupa. Eu não costumo usar coisas que mostram minha forma de ~ampulheta~, em especial no inverno. Essa roupa estava literalmente mostrando TUDO isso. Até o fato de eu usar uma blusinha frente única já chamava a atenção, já que meus seios enormes geralmente não gostam de nada que exija um sutiã sem alças.

Acho que o que mais me marcou foi uma conversa que tivemos ao esperar nossa grande revelação no espelho. Eu estava explicando para as meninas que, por ter seios grandes e uma cintura relativamente fina, eu sempre evito camisetas (muito apertadas), regatas (muito cavadas) e qualquer coisa que aperte muito na cintura (muito sexy!). Eu estava tentando explicar que, desde a adolescência, eu não achava apropriado usar coisas que mostrassem minha forma – o que, pensando bem, era uma grande bobagem. Quer dizer, como seu CORPO pode ser de alguma forma impróprio? Essa coisa toda definitivamente me fez reavaliar um monte de coisas que eu dizia a mim mesma que não deveria usar.

Publicidade

"Pin-up" me faz lembrar dos anos 50 e daqueles cabelos compridos, mulheres sensuais e homens vestidos de soldados/marinheiros. Então, de início, eu achava que não combinaria com isso. Como uma mulher andrógina que vive escondendo sua imagem, eu não me sentia à vontade em pensar que, de repente, eu a estaria exibindo assim. Mas eu decidi ir em frente, porque não acho que ninguém deve limitar o que pode ou não pode fazer com base em sua identidade, forma do corpo ou estilo. Eu só queria tentar!

Foi realmente muito divertido! Quando eu me vi, pensei imediatamente no Cry-Baby, e queria invadir o set de filmagem e sair com o Johnny. Eu me senti orgulhosa de mim mesma por tentar algo fora da minha zona de conforto. Percebo agora que ser "pin-up" é algo que qualquer um pode ajustar ao seu próprio estilo, forma e identidade, e que todos nós temos nossa própria beleza. Eu achava que já sabia disso, mas quando vi a transformação das minhas colegas, tanto esteticamente como emocionalmente, isso me lembrou do quanto nos vestimos para representar, bem como para refletir como nos sentimos. Todo mundo precisa vestir seja lá o que gostar, e não ser julgado por isso. Nós podemos passar a vida nos preocupando com o que os outros pensam de nós, nos submetendo aos ideais da sociedade e constantemente lutando com o que devemos ou não fazer, ou vestir – ou podemos nos tornar nossos próprios melhores amigos e ser apenas nós mesmos. Acho que a segunda opção é muito melhor!

Publicidade

Eu estava TÃO nervosa quando aceitei fazer isso! Quando ouvi "pin-up" pela primeira vez, pensei imediatamente naquelas ilustrações de mulheres sexy de lingerie dos anos 50, e embora eu ADORE essa estética, eu não necessariamente queria me ver assim. Mas eu percebi que só o fato de estar apavorada já era mais um motivo para fazer isso.

Quando eu finalmente me vi, fiquei deslumbrada. A roupa era incrível – o tipo de coisa que eu realmente teria escolhido para mim. Na verdade, apesar de eu ter me arrumado como uma pin-up, me senti mais como eu mesma do que normalmente me sinto. Eu ganhei peso nos últimos anos, e meu guarda-roupa está cheio de roupas que cobrem meu corpo inteiro, em vez mostrar meu estilo pessoal. O vestido que eu usei é o que eu escolheria se estivesse completamente à vontade com meu corpo – e quando o estava usando, eu REALMENTE me senti à vontade! Isso me fez perceber que eu ainda posso me vestir para realçar meu corpo e me sentir bem. Eu não preciso me encaixar em determinado estereótipo perfeito só para ser eu mesma.