back to top

19 mulheres contam como foi sair de relacionamentos abusivos

Conseguir perceber que se está vivendo um relacionamento abusivo pode ser muito difícil, e mais ainda ter força para se livrar dele. Estas histórias provam que é possível superar, e voltar a ser feliz.

publicado

Pedimos no Facebook para as pessoas compartilharem suas histórias de relacionamento abusivo, e recebemos muitos relatos. Estes são alguns deles.

1. "Me dei conta de que todos os meus colegas tinham namoradas, mas eu fui a única que teve que brigar antes de sair".

"Perceber que você está em uma relação abusiva é um processo: minhas amigas me falavam abertamente que não gostavam do meu ex, mas não adiantava nada. O outro sempre te convence de que você é pelo menos parcialmente culpada pelas coisas que acontecem. Um dia, quando ele brigou comigo porque eu ia a um jantar da minha turma do mestrado, me dei conta de que todos os meus colegas tinham namoradas, mas eu fui a única que teve que brigar antes de sair. Aí me caiu a ficha que nosso relacionamento não era normal. Acho que quem quer ajudar uma pessoa em um relacionamento abusivo deve ir com calma, mostrando as coisas que não estão certas, senão a vítima pode adotar um comportamento defensivo". - Larissa
Anna_isaeva / Getty Images

"Perceber que você está em uma relação abusiva é um processo: minhas amigas me falavam abertamente que não gostavam do meu ex, mas não adiantava nada. O outro sempre te convence de que você é pelo menos parcialmente culpada pelas coisas que acontecem.

Um dia, quando ele brigou comigo porque eu ia a um jantar da minha turma do mestrado, me dei conta de que todos os meus colegas tinham namoradas, mas eu fui a única que teve que brigar antes de sair. Aí me caiu a ficha que nosso relacionamento não era normal.

Acho que quem quer ajudar uma pessoa em um relacionamento abusivo deve ir com calma, mostrando as coisas que não estão certas, senão a vítima pode adotar um comportamento defensivo". - Larissa

2. "O primeiro passo, quando saí do ciclo enganoso e de auto-boicote, foi pedir ajuda".

Instagram: @lashijasdefrida

"Vivi isso durante cinco anos. Ele sempre fazia com que os meus problemas parecessem menores que os dele. Que a vida dele parecesse mais interessante que a minha, que os meu sentimentos fossem menos significativos.

O primeiro passo, quando saí do ciclo enganoso e de auto-boicote, foi pedir ajuda. Chamei amigos e parentes próximos e disse 'socorro, ele me faz mal, mas ele não quer ir embora e eu não consigo dizer adeus'. A partir daí passei por um processo doloroso de separação, mas com ajuda das pessoas que me amam de verdade estou aprendendo a viver um dia de cada vez". – Anônima

3. "Sempre achei que por ser gorda deveria permanecer em relacionamentos abusivos".

Instagram: @stefanifelipe

"Achava que as pessoas me faziam algum tipo de favor por me namorar, e que eu deveria ser sempre grata a isso. Hoje não vivo mais dessa forma, porém ainda tenho muitas feridas e sempre o pensamento de que minhas ex-namoradas devem ter achado diferente e melhor ficar com pessoas depois de mim, caso elas fossem magras". – Ana Cecília Fonseca

4. "Ele não queria que eu assumisse meu cabelo natural: foi quando eu percebi que algo estava errado".

Instagram: @ncocamaro

"Foi quando iniciei meu processo de transição capilar que comecei a enxergar que precisava sair do relacionamento. Sou negra de cabelos crespos, o que para ele era um defeito, e ele fazia comentários racistas quando tinha oportunidade. Quando assumi meu cabelo natural, coisa que estava me fazendo tão bem, ele foi contra e não gostou. Aí vi que algo não ia bem há muito tempo. Faz três anos que estou livre dessa relação e faz três anos que continuo lutando contra todos os traumas". - Natasha Bueno

5. "Ele sempre virava minhas palavras contra mim".

Instagram: @natalyneri

"O mais difícil é quando percebo as sequelas que tenho em mim até hoje. Por exemplo, eu tenho uma necessidade absurda de pedir desculpas por tudo o que faço para as pessoas, porque me preocupo excessivamente com tudo o que digo, fico pensando que pode ter soado mal.

Isso acontece porque, nas brigas, ele sempre virava minhas palavras contra mim. E parece que minha mente ainda não entendeu que nem todas as pessoas fazem isso, e fica criando esse escudo automático". – Anônima

6. "Ela conseguiu fazer com que me isolasse das outras pessoas".

Instagram: @revistaazmina

"Minha ex-namorada fazia críticas constantes ao meu meio de amizades. Ela podia ir para as festas, beber, sair com os amigos, mas se eu quisesse fazer o mesmo estava indo para o 'mau caminho'. Ela acabou sendo a única pessoa com quem eu conversava, passei a achar que não iria conseguir mais confiar ou gostar de ninguém da mesma forma. Depois que ela terminou comigo, sofri um acidente e só assim pude ver que tinha muitas outras pessoas que se importavam comigo de verdade". - Glória

7. "Tive que mobilizar a família dele inteira para que parasse de me perseguir".

Instagram: @revistacapitolina

"Namorei um cara que sugou completamente minha identidade. Na época eu estava na universidade, ele disse que vinha me visitar e acabou vindo de mudança sem que eu soubesse. Entrou na minha sala de aula se passando por aluno. Hackeou minhas contas nas redes sociais e bloqueou pessoas pelas minhas costas. Cheguei a acordar no meio da noite pra beber água e achar ele dentro da cozinha vasculhando meu celular. Eu tive que dizer aos familiares dele que não aguentava mais viver sufocada por um adulto que mesmo sendo dez anos mais velho, achava que eu tinha que viver pra ele". – Luane Carla

8. "Ele dizia que não existia nenhuma agressão, porque não chegava a me bater".

Instagram: @feminismonegro

"Vivi oito anos com uma pessoa que me machucava, me enforcava com as mãos e às vezes até me mordia. Algumas brigas tinham motivos outras não. Mesmo quando caí na real de que aquilo não estava certo, de alguma forma me via presa naquele relacionamento. Demorou, mas finalmente percebi que eu era a única pessoa capaz de acabar com isso, e que merecia ser tratada com respeito". - Anônima

9. "Ela dizia que ia se matar se eu terminasse o namoro".

Giphy / Via giphy.com

"Minha ex ameaçava se matar se eu a deixasse e dizia que eu era uma monstra, então eu passei a achar que era mesmo. Quando terminamos ela me ligou e disse que, por minha causa, havia tomado toda a caixa de comprimidos para bronquite. Mas, em vez de ficar me sentindo mal, liguei para a policia e mandei duas viaturas para a casa dela". – Ana Marques

10. "Achava que era normal ele insistir e me machucar quando eu não queria".

Instagram: @projeto

"Tenho uma queloide na ppk, marca da minha primeira vez, de tão violenta que foi. No final do namoro, ele passou a me bater. Não de brincadeirinha, de guerra de travesseiro, mas bater de mão fechada, pra machucar. Uma vez na escola, outra na rua. Já passaram 13 anos do fim daquele relacionamento, mas ainda sinto a espinha arrepiar ao lembrar daquilo. O primeiro sempre é referência, né, sempre marca. Precisei conhecer um cara maneiro para entender o que era carinho, sexo de verdade". – Patrícia Monteiro

11. "Ele me agrediu enquanto eu tentava sair do carro, disse que ia me matar".

"Quando cansei do abuso e fui terminar, ele me agrediu enquanto eu tentava sair do carro, disse que ia me matar se chamasse a polícia e só me soltou quando eu consegui escancarar a porta perto de pessoas que assistiam à cena. Parecia filme de terror, completado pelo fato de ninguém vir me ajudar. Por isso quis deixar esse alerta para quem for terminar um relacionamento desse tipo, não façam isso dentro de carros, ou estando sozinhas". – Candy
Instagram / witchtoria / Via instagram.com

"Quando cansei do abuso e fui terminar, ele me agrediu enquanto eu tentava sair do carro, disse que ia me matar se chamasse a polícia e só me soltou quando eu consegui escancarar a porta perto de pessoas que assistiam à cena. Parecia filme de terror, completado pelo fato de ninguém vir me ajudar. Por isso quis deixar esse alerta para quem for terminar um relacionamento desse tipo, não façam isso dentro de carros, ou estando sozinhas". – Candy

12. "Ele dizia que me fazia um favor ao namorar comigo".

Instagram: @asunnyellowindow

"Namorei por um ano um cara que me traía sem parar, que dizia que era 'um favor' namorar comigo já que eu não era virgem quando nos conhecemos. Quando a gente acabou, ele deu em cima da minha irmã para me atingir.

Houve muitos 'acaba e volta' até que um dia – a gota d'agua veio quando ele estava em uma festa e não atendia o telefone – eu criei forças, vi que era muito melhor do que isso, levantei a cabeça e acabei sem nem olhar para atrás. Ele ainda correu atrás de mim durante algum tempo, mas eu passei a ME amar acima de tudo, e vi que não queria aquilo pra minha vida. Ainda há cicatrizes, como problemas de autoestima e insegurança: superar isso é um trabalho diário". - Anônima

13. "Um dia, uma fresta de sanidade iluminou minha mente".

Instagram: @magumarioto

"Um belo dia eu juntei minhas coisas pessoais (deixei uma casa montada pra trás), coloquei a coleira no meu cachorrinho e decidi partir. Eu era jovem, bem educada, gentil, inteligente. E, acima de tudo, forte. Eu me apeguei a uma tábua de salvação, tomei coragem e resolvi pôr um fim no meu sofrimento. Eu queria ser feliz novamente e fui atrás do que eu precisava.

Ele chegou bem na hora em que eu estava com tudo encaixotado. E teve a cara de pau de chorar quando eu disse que não o amava. Teve a cara de pau de se fazer de vítima. Ele não levou em consideração todas as lágrimas que eu tinha derrubado, todas as humilhações que eu tinha sofrido. Ele só pensava nele ('eu, eu, eu... só eu sou importante')". - Denise Marques

14. "Quando eu completei 20 anos, chorei a noite toda porque ele achou errado um amigo me mandar parabéns".

Instagram: @renatamiwa

"Eu me perdi completamente, perdi quem eu era, perdi amigos, perdi o sentido de muitas coisas. Eu não conseguia me encontrar em mais nada.

Um dos piores dias da minha vida foi quando eu completei 20 anos e chorei a noite toda porque ele achou errado um amigo meu me mandar parabéns: começou a me empurrar contra a parede, forte, e eu não aguentei a crise de choro.

Mas confesso que esse foi o período em que eu mais aprendi sobre mim, sobre meus próprios limites, a me conhecer melhor e ver como eu estava me fazendo mal em manter esse relacionamento. Agradeço porque consegui perceber como isso afetava minha saúde mental, e superar meu medo de ficar sozinha". - Anônima

15. "Consegui terminar porque coloquei na minha cabeça que ele não era meu dono".

Netflix / Via giphy.com

"Eu tinha 15 anos, e ele começou a demonstrar as caraterísticas de um abusador a partir dos primeiros meses de namoro. Um dia, quando tentei argumentar com ele, me mandou calar a boca. Como uma boa italiana, eu gesticulava bastante enquanto falava, foi aí que ele segurou meu pulso com força e me forçou a ficar com a mão parada. Eu pedia pra ele soltar e ele dizia para parar de fazer drama. Tive força para perceber que ele não podia montar em mim desse jeito, tenho a vida inteira pela frente e não preciso me preocupar em ficar com alguém, principalmente quem tenta me mudar e privar das coisas". - Laís

16. "Percebi que um dia toda aquela angústia ia passar".

"Percebi que um dia toda aquela angústia ia passar e que, sim, eu poderia entrar em relacionamentos futuros, talvez com mais cuidado no começo, mas eu conseguiria. O livro 'Não se apega não', da Isabela Freitas, me ajudou a não me ver como a culpada da história. Isso faz apenas dois anos, e eu nunca me senti à vontade de falar sobre isso com ninguém além dos meus pais e minha irmã, nenhum dos meus amigos sabe, mas toda vez que eu vejo uma história sobre relacionamento abusivo, de uma certa forma eu me identifico e torço muito pra que todos saiam dessa e sejam fortes". – Anônima
Anna_isaeva / Getty Images

"Percebi que um dia toda aquela angústia ia passar e que, sim, eu poderia entrar em relacionamentos futuros, talvez com mais cuidado no começo, mas eu conseguiria. O livro 'Não se apega não', da Isabela Freitas, me ajudou a não me ver como a culpada da história. Isso faz apenas dois anos, e eu nunca me senti à vontade de falar sobre isso com ninguém além dos meus pais e minha irmã, nenhum dos meus amigos sabe, mas toda vez que eu vejo uma história sobre relacionamento abusivo, de uma certa forma eu me identifico e torço muito pra que todos saiam dessa e sejam fortes". – Anônima

17. "Aprendi a lutar por mim com mais força e garra do que quando quis lutar por aquele verme".

Netflix

"'Burra', 'macaca', 'não sei como você ganha tão bem, sendo tão burra', 'louca'. E isso não é nem um décimo do que eu ouvia. O primeiro passo foi o contato zero, o segundo foi acreditar que ele estava morto (fiz missa com direto a convite), viajei, saí sozinha, fui conhecendo pessoas novas. Aprendi a lutar por mim com mais força e garra do que quando quis lutar por aquele verme. Quando eu o deixei, lembro das minhas palavras : 'Nunca mais vou pôr meus olhos na sua figura asquerosa'. Essa situação toda serviu para eu ter certeza de que nunca devemos desistir de nós mesmas". – Donata Cunha

18. "O que me salvou foi a terapia, que me ajudou a resgatar quem eu era antes dele".

"Nada que eu fizesse era bom na visão dele, e qualquer ideia que eu tivesse era uma merda. Eu até emprestei dinheiro para ele pagar a pensão da ex-mulher, ele nunca devolveu e ainda terminou comigo com a justificativa de que eu era um peso morto.Não acredito que haja uma cura total. Para quem passou por esse tipo de relacionamento, acho que o trauma sempre acaba nos rodeando. Mas o importante é estar sempre cercada de pessoas que gostem de você de verdade, isso faz uma baita diferença. Hoje namoro um cara maravilhoso que me apoia e respeita." - Anônima
Anna_isaeva / Getty Images

"Nada que eu fizesse era bom na visão dele, e qualquer ideia que eu tivesse era uma merda. Eu até emprestei dinheiro para ele pagar a pensão da ex-mulher, ele nunca devolveu e ainda terminou comigo com a justificativa de que eu era um peso morto.

Não acredito que haja uma cura total. Para quem passou por esse tipo de relacionamento, acho que o trauma sempre acaba nos rodeando. Mas o importante é estar sempre cercada de pessoas que gostem de você de verdade, isso faz uma baita diferença. Hoje namoro um cara maravilhoso que me apoia e respeita." - Anônima

19. "Em algum momento disso tudo eu despertei e coloquei um ponto final".

Libby VanderPloeg / Via giphy.com

"Eu era muito nova e achava que o amor era maior que tudo. Assim fui perdendo minha identidade e a cada dia me tornando uma pessoa insegura e dependente emocionalmente. Mas quem não ficaria? A pessoa que deveria te amar te engana, diz que você está gorda, e aos poucos te afasta dos amigos. Em algum momento disso tudo eu despertei e coloquei um ponto final. Já se passaram alguns anos e ainda luto pra me perdoar! Para aceitar que eu era só uma menina apaixonada nas mãos de um manipulador. A tal da metade da laranja deve estar por aí. Um dia eu a encontro, ou não. Porque hoje o importante é me sentir inteira". - Anônima

Veja também:

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil?

Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.