back to top

Sete coisas que quem mudou de profissão gostaria de te contar

Amar o que você faz é importante, mas não é tudo.

publicado

1. Paixão é fundamental, sim, mas por motivos concretos.

Mudar de rumo profissional vai exigir dedicação e alguns sacrifícios, por isso você precisa de uma motivação forte e verdadeira. "Eu abdiquei de muitas coisas e mudei meu estilo de vida", conta em entrevista ao BuzzFeed Brasil a cabeleireira Camis Fank, que antes disso foi designer por 12 anos. Depois de seis anos na Trip Editora, e mais cinco mantendo os dois empregos, ela hoje se dedica em tempo integral ao seu próprio salão, Sala de Corte. "É preciso manter viva a curiosidade e o interesse pelo que se escolheu fazer, para seguir evoluindo", diz Camis, formada em Design Gráfico e hoje cursando Visagismo e Terapia Capilar na Universidade Anhembi Morumbi.
Wideonet / Getty Images

Mudar de rumo profissional vai exigir dedicação e alguns sacrifícios, por isso você precisa de uma motivação forte e verdadeira. "Eu abdiquei de muitas coisas e mudei meu estilo de vida", conta em entrevista ao BuzzFeed Brasil a cabeleireira Camis Fank, que antes disso foi designer por 12 anos. Depois de seis anos na Trip Editora, e mais cinco mantendo os dois empregos, ela hoje se dedica em tempo integral ao seu próprio salão, Sala de Corte.

"É preciso manter viva a curiosidade e o interesse pelo que se escolheu fazer, para seguir evoluindo", diz Camis, formada em Design Gráfico e hoje cursando Visagismo e Terapia Capilar na Universidade Anhembi Morumbi.

2. O que você aprendeu na profissão anterior ainda pode te ajudar muito.

"Quando comecei a fazer cerveja, eu imaginava um dia ter a minha própria cervejaria, mas as coisas tomaram um rumo diferente", conta em entrevista ao BuzzFeed Brasil Viliano Fassini, jornalista que foi para Londres fazer mestrado em Desenvolvimento Sustentável e hoje aplica parte desses conhecimentos trabalhando com distribuição de cervejas artesanais. "Além disso, a posição que ocupo hoje é um mix de tudo que aprendi nesses anos todos. Tem muito da assessoria de comunicação, tem atendimento ao cliente, tem desenvolvimento sustentável e bate papo de bar."
Joshuaraineyphotography / Getty Images

"Quando comecei a fazer cerveja, eu imaginava um dia ter a minha própria cervejaria, mas as coisas tomaram um rumo diferente", conta em entrevista ao BuzzFeed Brasil Viliano Fassini, jornalista que foi para Londres fazer mestrado em Desenvolvimento Sustentável e hoje aplica parte desses conhecimentos trabalhando com distribuição de cervejas artesanais.

"Além disso, a posição que ocupo hoje é um mix de tudo que aprendi nesses anos todos. Tem muito da assessoria de comunicação, tem atendimento ao cliente, tem desenvolvimento sustentável e bate papo de bar."

3. Planejamento financeiro é fundamental, psicológico também.

É muito importante, sim, guardar dinheiro, especialmente se você quiser ou precisar fazer um curso pra entender sua profissão nova. "Outra coisa que ajuda é você conseguir ganhar grana com algo enquanto faz a transição – no meu caso, eu fazia traduções jurídicas enquanto estava estudando”, conta em entrevista ao BuzzFeed Brasil o Diretor de Criação publicitária Ricardo Motti, que antes foi advogado durante cinco anos e hoje dá palestras sobre mudar de carreira. "Mas não é só grana o problema. Na mudança pode haver um período meio solitário. Tanto pela falta de dinheiro pra sair, quanto por um certo hiato entre galeras: eu não me identificava com meus ex-colegas e ainda não tinha amigos na profissão nova".
Gyro Photography / Getty Images

É muito importante, sim, guardar dinheiro, especialmente se você quiser ou precisar fazer um curso pra entender sua profissão nova. "Outra coisa que ajuda é você conseguir ganhar grana com algo enquanto faz a transição – no meu caso, eu fazia traduções jurídicas enquanto estava estudando”, conta em entrevista ao BuzzFeed Brasil o Diretor de Criação publicitária Ricardo Motti, que antes foi advogado durante cinco anos e hoje dá palestras sobre mudar de carreira.

"Mas não é só grana o problema. Na mudança pode haver um período meio solitário. Tanto pela falta de dinheiro pra sair, quanto por um certo hiato entre galeras: eu não me identificava com meus ex-colegas e ainda não tinha amigos na profissão nova".

4. Você precisa de metas, e de prazos, para que os sonhos se tornem realidade.

Se você quer mudar de verdade, precisa ter uma data para isso acontecer, ou o projeto pode acabar sendo adiado para sempre. "Dá uma preguiça enorme, porque realmente é uma tarefa muito grande" conta Ricardo. “As coisas aceleraram pra mim em uma noite em que eu tive uma discussão feia com um advogado muito babaca na porta de uma balada. Dali, me dei seis meses pra decidir o que fazer e um ano pra sair de vez". E assim foi.
Bsd555 / Getty Images

Se você quer mudar de verdade, precisa ter uma data para isso acontecer, ou o projeto pode acabar sendo adiado para sempre.

"Dá uma preguiça enorme, porque realmente é uma tarefa muito grande" conta Ricardo. “As coisas aceleraram pra mim em uma noite em que eu tive uma discussão feia com um advogado muito babaca na porta de uma balada. Dali, me dei seis meses pra decidir o que fazer e um ano pra sair de vez". E assim foi.

Publicidade

5. Quanto mais você conversar com as pessoas, melhor.

"Tenha conversas aprofundadas com ao menos cinco pessoas", recomenda Duda Borelli, que deixou a carreira de publicitária para ser professora de inglês para crianças e está fundando uma startup ligada à educação. "A expectativa quase nunca é igual à realidade, então você precisa saber no que está se metendo antes de abrir mão da sua carreira". Ricardo Motti concorda: "Quanto mais informações e insights você tiver, melhor para ir formando seu pensamento. Vale falar com gente da profissão que está deixando, gente da próxima profissão, pessoas que mudaram de carreira, pessoas que são frustradas, todo mundo. É bom ver as coisas de outras perspectivas".
Vladgrin / Getty Images

"Tenha conversas aprofundadas com ao menos cinco pessoas", recomenda Duda Borelli, que deixou a carreira de publicitária para ser professora de inglês para crianças e está fundando uma startup ligada à educação. "A expectativa quase nunca é igual à realidade, então você precisa saber no que está se metendo antes de abrir mão da sua carreira".

Ricardo Motti concorda: "Quanto mais informações e insights você tiver, melhor para ir formando seu pensamento. Vale falar com gente da profissão que está deixando, gente da próxima profissão, pessoas que mudaram de carreira, pessoas que são frustradas, todo mundo. É bom ver as coisas de outras perspectivas".

6. Conhecer a realidade do mercado pode te poupar de surpresas desagradáveis.

"A profissão de professor é encantadora, gratificante e eu me sentia realizado, a sensação de ajudar e ensinar algo pros alunos é realmente única. Porém, como a gente sabe, professor ganha muito mal aqui no Brasil, então a parte financeira começou a pesar", conta João Cesari Filho, que, depois de quatro anos ensinando História, mudou para a área de TI e hoje é analista de aplicações. "Analise o mercado de trabalho da nova área, sair de onde se está por causa de grana e enfrentar o mesmo problema na área nova não é uma boa surpresa. O novo trabalho precisa te trazer felicidade", avalia.
Dutko / Getty Images

"A profissão de professor é encantadora, gratificante e eu me sentia realizado, a sensação de ajudar e ensinar algo pros alunos é realmente única. Porém, como a gente sabe, professor ganha muito mal aqui no Brasil, então a parte financeira começou a pesar", conta João Cesari Filho, que, depois de quatro anos ensinando História, mudou para a área de TI e hoje é analista de aplicações.

"Analise o mercado de trabalho da nova área, sair de onde se está por causa de grana e enfrentar o mesmo problema na área nova não é uma boa surpresa. O novo trabalho precisa te trazer felicidade", avalia.

7. Para mudar, é preciso aberto às possibilidades.

"É importante seguir sua intuição. Se a vida estiver te levando para algum lado, preste atenção nas ideias que surgem: quando as coisas aparecerem, agarre", diz Bia Bonduki, que deixou a carreira de jornalista e hoje trabalha apenas com a sua empresa, a Hanuni Esfihas. "No mais, economizar é bom, mas investimento é mais realista: o Sebrae tem empréstimos bons com taxas baixas de juros, caso o investimento não venha de casa. Tem também o curso de empreendedorismo do Sebrae, que é de graça e online", recomenda.
Beornbjorn / Getty Images

"É importante seguir sua intuição. Se a vida estiver te levando para algum lado, preste atenção nas ideias que surgem: quando as coisas aparecerem, agarre", diz Bia Bonduki, que deixou a carreira de jornalista e hoje trabalha apenas com a sua empresa, a Hanuni Esfihas.

"No mais, economizar é bom, mas investimento é mais realista: o Sebrae tem empréstimos bons com taxas baixas de juros, caso o investimento não venha de casa. Tem também o curso de empreendedorismo do Sebrae, que é de graça e online", recomenda.

Veja também: