O autor do "Humans of New York" esteve no Brasil e conversamos com ele

Brandon Stanton está viajando pela América do Sul e vai fotografar também no Rio e Salvador.

publicado

No último final de semana, o autor da página "Humans of New York", projeto fotográfico que mostra pessoas comuns e conta suas histórias, esteve em São Paulo fotografando.

facebook.com

Brandon Stanton começou o projeto em 2010, quando decidiu que fotografaria ao menos 10.000 moradores da cidade de Nova York, e hoje a página tem mais de 18 milhões de likes no Facebook e virou um livro fenômeno de vendas. Em 2015 Brandon também viajou para zonas de guerra do Oriente Médio a convite da ONU, fotografando e conversando com as pessoas de lá.

Em entrevista ao BuzzFeed Brasil, Brandon disse que busca mostrar aquilo que torna cada pessoa única e que, ao mesmo tempo, faz as pessoas descobrirem que são parecidas.

Susana Cristalli / Buzzfeed Brasil

Ele convida os retratados a contarem algo de si mesmos, mas fugindo dos temas da atualidade dos quais está todo mundo falando. "A internet já está tão cheia de opiniões e filosofias e críticas sobre tudo, o que eu quero é contar histórias pessoais, aquelas que fazem cada um ser o que é", diz.

Brandon ficou impressionado com o quanto as pessoas no Brasil são bem humoradas.

Susana Cristalli / Buzzfeed Brasil

"Muitas vezes, quando peço para contarem algo de suas vidas, as pessoas escolhem histórias de superação, dramáticas. Mas no Brasil, a maioria foram histórias felizes", disse.

Ele conta que, ironicamente, os lugares mais agitados e lotados são os mais difíceis para se conseguir boas fotos e histórias.

Susana Cristalli / Buzzfeed Brasil

Por isso – junto com Maria, a intérprete brasileira – evitamos os blocos de Carnaval e seguimos pelas ruas tranquilas atrás do Largo da Batata, no bairro de Pinheiros.

"A maior parte deste trabalho consiste em caminhar muito, observar o maior número possível de pessoas e prestar uma atenção enorme ao que elas me contam", ele diz.

Brandon Stanton

Pegar as histórias precisa de calma e tempo – às vezes são até 45 minutos para uma única conversa, cuja essência ele procura resumir na legenda da foto.

Brandon diz que o projeto mudou ao longo destes sete anos: em vez dos retratos em si, o mais importante virou mostrar a aleatoriedade das coisas, criar conexões com estranhos e aprender algo sobre o outro.

Susana Cristalli / BuzzFeed Brasil

Depois de São Paulo, Brandon segue para o Rio e para Salvador, sempre acompanhado de sua mulher, Erin. Em 2017 ele também vai terminar uma série de documentários que são a versão em vídeo de "Humans of New York".

Veja também: