back to top

13 fatos sobre a libido para pessoas que querem mais (ou menos) sexo

Spoiler: não existe isso de "libido normal".

publicado

Há muitas crenças e expectativas em torno da libido, como a frequência com que as pessoas devem transar e com que frequência devem querer transar.

FOX / Via popkey.co

A libido, ou o desejo sexual, desempenha um papel muito importante em como nos sentimos sobre nós mesmos (Eu quero transar mais – ou menos – do que outras pessoas? Por que meu desejo sexual é maior/menor do que era no passado?). E isso é superimportante nas experiências e satisfação sexuais como um todo, com ou sem um(a) parceiro(a).

Assim, para entender melhor a libido, conversamos com Logan Levkoff, PhD, Educadora de Saúde Sexual e Membro do Conselho Consultivo de Saúde Sexual da Trojan, e Raquel Dardik, ginecologista da NYU Langone Health em Nova York, para reunir algumas informações que podem mudar a maneira como você pensa suas necessidades e interações sexuais.

1. Primeiro, a libido é mais complexa do que a frequência com que você deseja transar.

New Line Cinema / Via giphy.com

"Muitas pessoas não entendem que a libido tem duas partes — o desejo, que é o aspecto mental, e a excitação, que é o aspecto físico", explicou Levkoff ao BuzzFeed. "E elas nem sempre trabalham em conjunto uma com a outra".

Às vezes, as pessoas não têm muito desejo sexual, mas ainda assim ficam excitadas fisicamente, e às vezes têm muito desejo sexual, mas seus corpos não têm muita excitação física. Ambas as situações acontecem o tempo todo e podem ser totalmente normais, segundo ela.

2. E simplesmente não existe uma "libido normal".

ABC / Via giphy.com

"Muitos acreditam que, se não há um desejo espontâneo constante, há algo de errado", diz Levkoff. "Mas a realidade é que, para muitas pessoas, esse não é o caso".

Cada um é diferente e todos os corpos são diferentes, o que significa que não existe uma quantidade normal de desejo sexual. O desejo pode ser espontâneo, mas para muitas pessoas ele também vem como uma resposta a estímulos. Às vezes, para entrar no clima, vai ser necessário um pouco de trabalho, e ISSO É NORMAL.

3. Tentar se manter no padrão social de uma "libido ideal" pode, na verdade, ser prejudicial para sua autoestima e relacionamentos — e ironicamente, pode diminuir sua libido.

"Temos que entender que não existe isso de 'libido normal'. Muitos dos nossos problemas sexuais e de relacionamento ocorrem porque não sabemos como falar sobre nossas necessidades", explica Levkoff. "A realidade é que você pode ter muito desejo sexual, pode ter um pouco de desejo sexual ou seu desejo sexual pode ser totalmente inexistente — isso não significa que haja algo de errado com você".Ela diz que, se você estiver sempre com medo ou estressado(a) pensando se suas necessidades sexuais são "normais" ou não, isso pode afetar sua confiança e mudar o seu envolvimento em interações sexuais.
Comedy Central / Via giphy.com

"Temos que entender que não existe isso de 'libido normal'. Muitos dos nossos problemas sexuais e de relacionamento ocorrem porque não sabemos como falar sobre nossas necessidades", explica Levkoff. "A realidade é que você pode ter muito desejo sexual, pode ter um pouco de desejo sexual ou seu desejo sexual pode ser totalmente inexistente — isso não significa que haja algo de errado com você".

Ela diz que, se você estiver sempre com medo ou estressado(a) pensando se suas necessidades sexuais são "normais" ou não, isso pode afetar sua confiança e mudar o seu envolvimento em interações sexuais.

4. E se a libido do(a) seu(ua) parceiro(a) sexual é diferente da sua, isso não significa que ele(a) não esteja atraído(a) por você.

NBC / Via popkey.co

É fácil pensar que, se o(a) seu(ua) parceiro(a) não está no clima toda vez que você está, significa que ele(a) não está realmente atraído(a) por você ou que você gosta mais dele(a) do que ele(a) de você. No entanto, Levkoff diz que geralmente não é o caso e que esses pensamentos só prejudicam sua autoconfiança e tornam as coisas na cama mais complicadas e confusas.

"Seu(ua) parceiro(a) não precisa querer transar com você toda vez que o(a) vir para ser atraído(a) por você", explica. "Às vezes, as pessoas simplesmente têm níveis mais baixos de desejo sexual, e isso é normal".

5. Uma alteração na libido às vezes pode ser resultado de outros problemas médicos subjacentes.

Qualquer coisa relacionada à circulação sanguínea, aos hormônios, à dor ou ao desconforto físico pode afetar os níveis de libido. Existem algumas coisas que já têm um histórico de afetar o desejo sexual das pessoas, como medicamentos (antidepressivos, pílulas anticoncepcionais etc.), distúrbios mentais e doenças crônicas, como diabetes e síndrome do ovário policístico (SOP), diz Dardik.Ela recomenda procurar um médico se você notar uma mudança drástica no seu desejo sexual. Dessa forma, você poderá ser examinado(a) e excluir a possibilidade de quaisquer condições médicas sérias.
dierk schaefer / creative commons / Via Flickr: dierkschaefer

Qualquer coisa relacionada à circulação sanguínea, aos hormônios, à dor ou ao desconforto físico pode afetar os níveis de libido. Existem algumas coisas que já têm um histórico de afetar o desejo sexual das pessoas, como medicamentos (antidepressivos, pílulas anticoncepcionais etc.), distúrbios mentais e doenças crônicas, como diabetes e síndrome do ovário policístico (SOP), diz Dardik.

Ela recomenda procurar um médico se você notar uma mudança drástica no seu desejo sexual. Dessa forma, você poderá ser examinado(a) e excluir a possibilidade de quaisquer condições médicas sérias.

6. MAS existem também MUITOS fatores comuns do dia a dia que atuam na libido de uma pessoa, e eles podem ser diferentes para cada um.

Segundo Dardik, há poucas pesquisas que explicam a ciência por trás da libido. No entanto, o que os pesquisadores sabem é que existem vários fatores que podem afetar o desejo sexual de alguém, e o mais comum é o estresse. "Quanto maior o nível de estresse de uma mulher, menor é a libido dela", diz Dardik. "A libido também pode ser afetada pelo seu horário de trabalho, seus hábitos alimentares, se você está se exercitando e muitas outras mudanças de estilo de vida".Então, se você notar uma alteração em seus desejos e estiver se perguntando o porquê, ela recomenda primeiro olhar para sua rotina diária e ver se houve mudanças significativas nela recentemente.
NBC / Via theofficesource.tumblr.com

Segundo Dardik, há poucas pesquisas que explicam a ciência por trás da libido. No entanto, o que os pesquisadores sabem é que existem vários fatores que podem afetar o desejo sexual de alguém, e o mais comum é o estresse.

"Quanto maior o nível de estresse de uma mulher, menor é a libido dela", diz Dardik. "A libido também pode ser afetada pelo seu horário de trabalho, seus hábitos alimentares, se você está se exercitando e muitas outras mudanças de estilo de vida".

Então, se você notar uma alteração em seus desejos e estiver se perguntando o porquê, ela recomenda primeiro olhar para sua rotina diária e ver se houve mudanças significativas nela recentemente.

7. E, sim, sua libido pode mudar à medida que você envelhece e seu corpo amadurece.

"Minha libido não está onde costumava estar."O seu cérebro muda à medida que você envelhece, o seu corpo muda à medida que você envelhece e, portanto, o mesmo acontece com a sua libido, diz Dardik. Por exemplo, quando as mulheres passam pela menopausa, seu tecido vaginal muda e isso pode resultar em relações sexuais dolorosas. Só o fato de sentir dor já é suficiente para diminuir a libido. Se você começa a associar experiências sexuais com dor, o sexo torna-se menos desejável.
TBS / Via giphy.com

"Minha libido não está onde costumava estar."

O seu cérebro muda à medida que você envelhece, o seu corpo muda à medida que você envelhece e, portanto, o mesmo acontece com a sua libido, diz Dardik.

Por exemplo, quando as mulheres passam pela menopausa, seu tecido vaginal muda e isso pode resultar em relações sexuais dolorosas. Só o fato de sentir dor já é suficiente para diminuir a libido. Se você começa a associar experiências sexuais com dor, o sexo torna-se menos desejável.

8. Ah, e não, a libido não deve ser definida com base em estereótipos de gênero.

"A minha maior frustração é ver a libido ser categorizada a partir de estereótipos de gênero", diz Levkoff. "Há muitos estereótipos prejudiciais, como os que dizem que os homens sempre querem fazer sexo e que as mulheres têm menos desejo, então, se quiserem mais do que eles, é estranho e anormal".Segundo ela, isso não é verdade. Classificar as pessoas e mantê-las nessas caixinhas só dificultam experiências sexuais bem-sucedidas, diz.
Twitter: @mglmta / Via reddit.com

"A minha maior frustração é ver a libido ser categorizada a partir de estereótipos de gênero", diz Levkoff. "Há muitos estereótipos prejudiciais, como os que dizem que os homens sempre querem fazer sexo e que as mulheres têm menos desejo, então, se quiserem mais do que eles, é estranho e anormal".

Segundo ela, isso não é verdade. Classificar as pessoas e mantê-las nessas caixinhas só dificultam experiências sexuais bem-sucedidas, diz.

9. Sua capacidade de chegar ao orgasmo não tem nada a ver com sua libido.

Varsity Pictures / Via voldemxrt.tumblr.com

Os orgasmos são uma resposta muscular e ter desejo não significa que você atingirá o orgasmo, explica Levkoff.

"Uma pessoa pode ter muito desejo, mas, se ela estiver no meio de um ato sexual e ficar distraída ou estressada, ou se algo não estiver bom, a probabilidade é que possa levar muito tempo para chegar ao orgasmo, se chegar".

10. E libido aparte, se você não está gostando de suas experiências sexuais, isso diminuirá seu desejo de tê-las.

Se suas experiências não são prazerosas ou satisfatórias, é menos provável que queira mais — e isso não tem nada a ver com a libido. É por isso que Levkoff diz que é importante você saber o que gosta e o que é bom. Você deve descobrir isso antes de saber o que deseja com seu(ua) parceiro(a). "Se a sua libido já é baixa e suas experiências não são boas, então não vai ajudar querer ter mais experiências sexuais", explica. "Às vezes, se você está tendo experiências sexuais incríveis, mas não está no clima, você ainda pode ficar excitada porque está empolgada com o potencial dessas ótimas experiências sexuais".
Maritsa Patrinos / BuzzFeed

Se suas experiências não são prazerosas ou satisfatórias, é menos provável que queira mais — e isso não tem nada a ver com a libido. É por isso que Levkoff diz que é importante você saber o que gosta e o que é bom. Você deve descobrir isso antes de saber o que deseja com seu(ua) parceiro(a).

"Se a sua libido já é baixa e suas experiências não são boas, então não vai ajudar querer ter mais experiências sexuais", explica. "Às vezes, se você está tendo experiências sexuais incríveis, mas não está no clima, você ainda pode ficar excitada porque está empolgada com o potencial dessas ótimas experiências sexuais".

11. Mas e se você quer aumentar sua libido?

Comedy Central / Via tenor.com

Em primeiro lugar, como você lida com a sua falta de libido vai depender do motivo pelo qual você deseja aumentá-la e quais fatores impedem você de ter uma libido maior.

Se o(a) seu(ua) parceiro(a) deseja mais sexo do que você, é uma coisa, diz Dardik. Mas, se você não está se sentindo tão desejável porque não está confortável com sua aparência, e isso o(a) faz se sentir desconfortável com experiências sexuais, então é outra coisa completamente diferente. Em ambas as situações, você está com uma menor libido e quer ser mais sexualmente ativo(a), mas as causas são diferentes e exigirão diferentes ações.

"Os homens têm o Viagra, mas não há Viagra para as mulheres", diz ela. "Eu recomendo que as pessoas visitem um terapeuta para aconselhamento sexual ou aconselhamento psicossocial, pois na maioria das vezes os problemas de libido são mentais".

12. É importante saber também quais são suas necessidades e desejos, para que possa reconhecer mudanças de padrão.

É importante saber o que é normal para você quando se trata de desejos sexuais. Com que frequência você tem desejos sexuais? Com que frequência você se masturba? Se você entender isso, então será mais fácil notar uma alteração (se houver) e saber a hora de ir a um médico com o qual possa conversar abertamente sobre sua vida sexual, diz Dardik.
instagram.com / Via Instagram: @chi.bli

É importante saber o que é normal para você quando se trata de desejos sexuais. Com que frequência você tem desejos sexuais? Com que frequência você se masturba? Se você entender isso, então será mais fácil notar uma alteração (se houver) e saber a hora de ir a um médico com o qual possa conversar abertamente sobre sua vida sexual, diz Dardik.

Leia também:

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

Este post foi traduzido do inglês.

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil?

Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.