back to top

PMDB de Minas isola presidente da CCJ e desiste de trocar comando de Furnas

Postura de Rodrigo Pacheco durante tramitação de denúncia contra Temer na CCJ irritou bancada mineira, que não dá mais apoio ao colega na tentativa de trocar o presidente da empresa de energia.

publicado

Dona do comando de Furnas, a bancada mineira do PMDB abandonou o pleito do presidente da CCJ da Câmara, Rodrigo Pacheco, e decidiu que o atual chefe de Furnas, Ricardo Medeiros, deve seguir à frente da empresa.

Antes do início da tramitação da denúncia contra o presidente Michel Temer, Pacheco havia conseguido o apoio de quase toda a bancada mineira para trocar o comando da companhia. Somente o deputado Mauro Lopes era contrário à substituição.

A troca do comando na empresa chegou a ser usada pelo governo para tentar colocar um aliado na relatoria do processo na CCJ, algo que acabou não acontecendo quando Pacheco indicou o deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) para o posto.

Zveiter acabou fazendo um relatório contra Temer na comissão.

A postura de Pacheco desagradou a bancada mineira. Segundo integrantes ouvidos pelo BuzzFeed, os deputados estão irritados com o presidente da CCJ desde o episódio, por isso, não seria mais possível lhe apoiar na tentativa de trocar o comando de Furnas.

Ainda de acordo com estes deputados, a tentativa de substituição do presidente por Pacheco teve como pivô um ex-funcionário da empresa, que entrou em saiu da companhia diversas vezes nos últimos 12 anos e acabou demitido na gestão de Ricardo Medeiros. Seu nome é David Antonio Moreira.

Em 2012 ele operacionalizou uma parceria entre Furnas e uma empresa privada para o desenvolvimento de um projeto que visava produzir nova tecnologia para transformar lixo em energia.

Furnas aplicou R$ 28,7 milhões no projeto e nunca obteve retorno. Diretores da estatal dizem que, na prática, o dinheiro sumiu.

Uma sindicância foi aberta para apurar o episódio e concluiu que Moreira atuou com “má conduta” e teve uma “postura inadequada ao código de ética” da empresa.

Devido a isso, foi demitido em sua última passagem por Furnas, quando atuou na companhia entre novembro de 2016 a março de 2017.

Segundo deputados da bancada de Minas, Moreira, desde então, tenta voltar para a empresa e passou a falar mal do atual presidente, Ricardo Medeiros, para Pacheco.

Em Furnas, era dado como certo que, com a substituição do atual presidente por um dos diretores, no caso, por Júlio Cesar Andrade, que foi apoiado por Pacheco, David Moreira voltaria para os quadros da companhia.

Isolado na bancada, Rodrigo Pacheco disse ao BuzzFeed que não irá mais trabalhar para trocar o presidente de Furnas.

Segundo ele, existiu um pleito para a substituição que não prosperou junto ao governo. “Não vou mais insistir nisso”, comentou.

Questionado sobre David Antonio Moreira, disse que o ex-funcionário nunca foi seu apadrinhado e que o conheceu quando ele apresentou à bancada de Minas o atual presidente da companhia.

Severino Motta é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Severino Motta at severino.motta@BuzzFeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.