back to top

We’ve updated our privacy notice and cookie policy. Learn more about cookies, including how to disable them, and find out how we collect your personal data and what we use it for.

PF faz busca nas casas de Joesley, Saud e Miller

Investigação tenta apurar se os empresários do grupo J&F ocultaram provas e qual foi a participação do ex-procurador Marcelo Miller no acordo de colaboração premiada da JBS.

publicado

A Polícia Federal cumpre na manhã desta segunda-feira uma série de mandados de busca e apreensão em endereços ligados a delatores da JBS e do ex-procurador da República Marcelo Miller.

Os policiais vasculharam a casa de Miller, no Rio de Janeiro e do empresário Joesley Batista e dos diretores do grupo J&F Ricardo Saud e Francisco de Assis e Silva, além da sede do grupo, estes últimos, em São Paulo.

As buscas acontecem um dia após a prisão de Joesley e Saud, que se entregaram ontem na capital paulista e serão encaminhados nesta segunda para Brasília.

A prisão dos dois foi pedida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que também queria deter Marcelo Miller. O pedido relativo ao ex-procurador, no entanto, foi negado pelo ministro do STF Edson Fachin.

A operação desta manhã tenta apurar se Joesley e Saud ocultaram provas de crimes que deveriam ter entregue à Justiça em seu acordo de delação premiada.

Também tenta entender qual foi exatamente o papel de Miller no acordo de colaboração do grupo.

A reviravolta no caso da J&F (detentora da JBS) teve início na semana passada, após a PGR analisar um áudio, gravado sem querer por Joesley Batista, em que o empresário conversa com seu executivo Ricardo Saud.

Na conversa há indícios de que os dois ocultaram parte dos seus crimes, fazendo uma delação seletiva.

Também citam a participação de Miller, que fez um jogo duplo atuando para a J&F enquanto ainda era procurador da República e integrante do grupo de trabalho da Lava Jato.

Severino Motta é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Got a confidential tip? Submit it here.