back to top

Pelo que rolou até aqui, os ministros estão indicando uma vitória de Temer por 4 a 3 no TSE

Na longa discussão sobre o uso ou não de provas de Odebrecht (algo que ainda não foi decidido), ministros já deram grandes indicativos de como vão votar no julgamento.

publicado

Com o placar ainda em zero a zero, o TSE vai retomar às 14h30 o julgamento da chapa Dilma-Temer. Apesar de nenhum voto ter sido proferido até agora, as manifestações iniciais dos ministros indicam para uma vitória do presidente por 4 a 3.

Desde terça-feria o ministro relator, Herman Benjamin, dá sinais claros de que vai condenar a chapa devido aos R$ 150 milhões em caixa dois descobertos ao longo do processo após ouvir os delatores da Odebrecht.

Ontem o TSE havia permitido que Herman proferisse seu voto e, somente depois dele, cada um dos ministros decidiria, também no voto particular, se as provas poderiam ou não ser usadas.

Hoje a coisa mudou. Assim que abriu a sessão, Gilmar Mendes falou que seria importante decidir se a Odebrecht pode ser ou não usada, antes de qualquer voto ser proferido.

Durante suas manifestações ainda deu a entender que a inclusão da Odebrecht no processo foge ao pedido inicial de investigação da chapa feito pelo PSDB, que queria saber se dinheiro de propina da Petrobras foi parar no caixa de campanha de Dilma-Temer.

Junto com ele, o ministro Napoleão Nunes Maia, Admar Gonzaga e Tarcísio Viera chegaram a antecipar parte de seus votos deixando claro que também não vão aceitar que os R$ 150 milhões em caixa dois descobertos pela investigação sejam usados.

Sinalizaram estar junto de Herman, os ministros Luiz Fux e Rosa Weber,

À partir das 14h30 haverá a votação que pode tirar ou não a Odebrecht e seus R$ 150 milhões do processo.

Se o placar sinalizado de 4x3 se confirmar, a tendência é que o mesmo resultado se dê para a absolvição de Michel Temer no processo, uma vez que as principais provas para a cassação são justamente as colhidas por Herman junto a delatores da Odebrecht.

Severino Motta é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Severino Motta at .

Got a confidential tip? Submit it here.

Em parceria com