back to top

Maia diz que votação da denúncia contra Temer será rápida e deixa a oposição irritada

Presidente da Câmara quer encerrar a votação até final da tarde de amanhã. Partidos da oposição tentam convencer o PT a não dar quórum, mas legenda só decidiu até agora que não vai registrar presença no plenário pela manhã.

publicado

Uma entrevista dada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na tarde desta terça (1) irritou a oposição. Depois de reunião com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, Maia afirmou que a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), marcada para amanhã, vai acabar rápido, até o final da tarde, com um rito célere.

A declaração do deputado acabou ajudando os partidos que tentam convencer o PT a não registrar presença na sessão de amanhã. O PT é o maior partido da oposição em número de deputados, com 57 parlamentares.

Tentando traçar uma estratégia única para a apreciação da denúncia, os partidos de oposição se reuniram nesta tarde.

Enquanto a maioria defende que a oposição não registre presença para atrasar a votação da denúncia, que só pode ter início com 342 deputados em plenário, o PT está dividido.

Segundo deputados que participaram do evento, a fala de Maia sobre a celeridade da votação acabou ajudando no trabalho de convencimento do PT.

Durante a reunião, houve um avanço na posição do partido, que decidiu não registrar presença em plenário na parte da manhã, mas ainda não se comprometeu a fazer o mesmo na parte da tarde.

Os demais partidos de oposição acreditam, no entanto, que até o final do dia o PT deve se unir a eles.

Além da fala de Maia, dizem que o rito célere, com poucos oradores e encerramento rápido da discussão, como quer o governo, devem promover a união da oposição para tentar pelo menos que uma eventual votação aconteça à noite.

A ideia é que população poderá acompanhar melhor a votação no período noturno, após o expediente, seja através de telejornais seja via internet.

Devido a isso, eles prometem questionar o rito, ainda hoje, no plenário da Câmara.

O governo, por sua vez, trabalha para matar o assunto antes do horário nobre.

Por um lado trabalha para que partidos como o PSDB e para que deputados rebeldes da base, mesmo que votem contra Temer, pelo menos registrem presença.

Por outro, acreditam que a divisão interna no PT acabará fazendo com que o partido marque presença.

MANIFESTAÇÕES

A oposição vai realizar uma série de manifestações na entrada do plenário da Câmara nesta quarta-feira.

Além de faixas e cartazes, alguns deputados querem trazer malas com dólares falsos para simbolizar a propina recebida pelos esquemas de corrupção desvendados pela Lava Jato.

Severino Motta é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Severino Motta at .

Got a confidential tip? Submit it here.