back to top

22 fatos científicos muito bizarros sobre a gravidez

Que tal uma gravidez de um ano de duração?

publicado

1. Estimulação de mamilos é o único método cientificamente comprovado de realmente inicar o trabalho de parto.

Getty Images / Jeffrey Hamilton

Apalpar ou friccionar em círculos os mamilos da mulher quando ela está no final da gravidez pode estimular a liberação de um hormônio chamado oxitocina, que provoca as contrações. Esse método é denominado “a técnica do conforto”.

2. A mais longa gestação conhecida durou um ano e 10 dias.

Getty Images / iStockphoto Gajus

A gestação normal dura cerca de 280 dias, mas Beulah Hunter, de Los Angeles, descobriu que às vezes ela pode durar mais de um ano.

3. Bebês no útero podem sentir o gosto da comida que suas mães comem.

vine.co

Sabores fortes como o do alho podem passar através do líquido amniótico no útero e um estudo mostrou que os bebês cujas mães tomam muito suco de cenoura desenvolvem uma preferência por suco de cenoura.

Publicidade

5. Há quem acredite que isso possa ter alguma coisa a ver com inhames.

vine.co

Mas não há prova real que confime isso.

6. É possível engravidar com sexo oral. Na verdade, uma mulher concebeu depois de praticar sexo oral e ser esfaqueada.

Getty Images/iStockphoto erikreis

Uma moça do Lesotho deu à luz sem engravidar pela vagina, quando foi esfaqueada no estômago depois de praticar sexo oral com seu namorado. Sério! Este é um fato que realmente aconteceu.

Publicidade

10. Mulheres grávidas e mães recentes podem secretar o leite automaticamente, quando ouvem o choro de um bebê (mesmo que não seja o seu).

vine.co

11. Bebês meninas já nascem com todos os óvulos que elas poderão vir a usar, mas os bebês meninos não produzem esperma até que cheguem na puberdade.

Getty Images/moodboard RF moodboard

Apesar disso, novas pesquisas têm mostrado que as mulheres podem produzir novos óvulos mais tarde.

Publicidade

13. O que diz a lenda é verdade: mulheres grávidas que sofrem com azia SÃO mais propensas a gerar bebês com muito cabelo na cabeça.

vine.co / Via fitpregnancy.com

Os cientistas sugerem que os altos níveis de estrogênio e progesterona, que estimulam o crescimento do cabelo, também relaxam o esôfago, causando o refluxo.

15. Ter um bebê menino aumenta o risco da mãe adquirir doenças autoimunes. Se ela já tem, vai provavelmente piorar. Esquecimento, esta é a palavra.

vine.co / Via news.discovery.com

Obrigada, maternidade.

16. Bebês choram no útero.

Getty Images/Hemera

É claro em ultra-som 4D que os bebês fazem caretas no útero, mas os cientistas também foram capazes de dizer a partir dos seus padrões de respiração que bebês também choram no útero. Isso, dizem eles, não é necessariamente porque estão chateados — eles estão apenas praticando.

Publicidade

18. Quando uma mulher está grávida, sua placenta irá produzir mais estrogênio em um dia do que uma mulher não-grávida iria produzir em três anos.

vine.co

19. Além do seu útero, os pés e o coração de uma mulher aumentam de tamanho durante a gravidez.

Getty Images Elizabeth Hachem

Corações de mulheres grávidas crescem para lidar com o aumento do volume de sangue no corpo e os pés incham devido a retenção de fluidos e a elasticidade dos ligamentos das mulheres grávidas.

21. Orgasmos podem causar contrações.

Getty Images/iStockphoto Jyn Meyer

Não contrações verdadeiras, mas as chamadas Braxton Hicks, ou “contrações de prática”. Não fique muito animada, pois também, simplesmente estar com a bexiga cheia pode dar tais contrações, também.