back to top

16 heróis do esporte brasileiro que você precisa conhecer

Ganhar uma medalha de ouro não é a única forma de ser um vencedor.

publicado

1. Felipe Wu, que ficou em segundo lugar e colocou o Brasil no pódio do tiro esportivo, algo que não acontecia desde 1920.

Sam Greenwood / Getty Images

A primeira medalha da história do Brasil em Olimpíadas foi nesta modalidade, lá em 1920. Até o Rio 2016, nenhum outro brasileiro chegou próximo do pódio. "É uma medalha de prata num esporte que não é muito difundido no Brasil", disse Felipe para o Globo Esporte.

2. Hugo Calderano igualou o melhor resultado do tênis de mesa brasileiro em uma Olimpíada.

Mike Ehrmann / Getty Images

Ele chegou até as oitavas de final, feito atingido por Hugo Hoyama em 1996. Calderano terminou a competição em nono lugar, derrotado por um dos maiores nomes da atualidade, o japonês Jun Mizutani.

3. O Brasil entrou pela primeira vez para o top10 da canoagem mundial com Pedro da Silva na categoria Slalom.

Jamie Squire / Getty Images

Pedro disputou pela primeira vez na história uma final para o Brasil na canoagem Slalom. E terminou em sexto lugar.

Publicidade

4. Robson Conceição chegou até a final do boxe e no mínimo já igualará o feito de Esquiva Falcão com uma prata.

Yuri Cortez / AFP / Getty Images

O baiano igualou (até agora) o feito dos jogos de Londres 2012, quando Esquiva Falcão não venceu a final e já garantiu a medalha de prata. Se vencer a decisão se tornará o primeiro brasileiro a ganhar o ouro no pugilismo.

5. A equipe brasileira de Hipismo CCE ficou em sétimo lugar, a melhor posição da história, graças ao desempenho de cavaleiros como Ruy Fonseca.

Jamie Squire / Getty Images

Ruy e seu cavalo Tom Bombadill Too tiveram problemas, mas o cavaleiro fez questão de defender seu companheiro, conforme dito nesta entrevista publicada no Zero Hora: “Se não fosse ele, eu não estaria aqui. Esse cavalo é tudo para mim, não vou culpar ele jamais. É uma relação muito grande. Esse cavalo ganhou quatro medalhas para mim”.

6. Flávia Oliveira se emocionou muito ao chegar em sétimo lugar no ciclismo de estrada, um feito inédito para o Brasil.

facebook.com

A sétima posição de Flávia foi um feito inédito na história da modalidade no Brasil e a ciclista aparece celebrando o resultado neste vídeo emocionante dela celebrando o feito.

7. Rosane dos Reis colocou o Brasil pela primeira vez entre os cinco melhores da categoria até 53 kg no levantamento de peso.

Lars Baron / Getty Images

Até então a melhor posição tinha sido um oitavo lugar em 2012, de Jaqueline Ferreira, em outra categoria. Por uma diferença de 6kg no conjunto total, Rosane não conseguiu o bronze.

8. O tenista Thomaz Bellucci fez história ao igualar um recorde de Guga e vencer, ao lado de Andre Sá, uma das duplas favoritas da Olimpíada.

Clive Brunskill / Getty Images

Apesar de não ter vencido, Bellucci jogou de igual para igual com o espanhol Rafael Nadal e já foi gigante ao bater no torneio de duplas os irmãos Murray.

Publicidade

9. Sérgio Sasaki e os meninos da ginástica do Brasil pela primeira vez chegaram a uma final olímpica em equipe.

Thomas Coex / AFP / Getty Images

Sérgio Sasaki superou o melhor resultado do Brasil nos jogos ao chegar na grande decisão por equipes e ficar em nono no individual. O recorde anterior era dele mesmo, que em 2012 (em sua estreia) ficou em décimo lugar. Na competição individual, Diego Hypolito e Arthur Mariano ficaram uma prata e bronze respectivamente.

10. Em sua estreia na olimpíada, Nathalie Moellhausen fez história na esgrima brasileira ao levar o país pela primeira vez até as quartas de final.

Laurence Griffiths / Getty Images

Italiana naturalizada brasileira, Nathalie foi eliminada na prova de espada individual mas atingiu o melhor resultado brasileiro feminino da história do esporte em jogos olímpicos ao chegar até as quartas de final.

11. Felipe Perrone é um dos destaques do polo aquático brasileiro, que atingiu um grande feito ao vencer a atual campeã mundial Sérvia, por 6 a 5.

Laszlo Balogh / Reuters

A Sérvia é uma das potências da modalidade e a vitória brasileira levou a seleção antecipadamente para a disputa das quartas de final, ainda na briga por medalhas. O adversário vinha de uma sequência de 45 jogos sem perder e ostenta dois campeonatos mundiais e uma prata olímpica.

12. Duda Amorim é o nome mais forte da seleção de handebol feminino, que bateu a atual campeã mundial Noruega na estreia e segue firme na luta por medalhas.

Franck Fife / AFP / Getty Images

Duda já foi eleita a melhor do mundo em 2014 e é um dos destaques do Brasil na campanha olímpica. A seleção feminina venceu a atual campeã olímpica Noruega por 31 a 28 na estreia da competição e também bateu a Romênia, outra seleção bastante forte.

13. Formiga, que se tornou a atleta brasileira que mais participou de Olimpíadas: são seis ao todo.

Harry How / Getty Images

Aos 38 anos, a volante da seleção feminina de futebol chegou para sua sexta participação em jogos olímpicos e igualou a marca de Manuel Estiarte, do polo aquático, e da russa Evgeniya Artamonova, do vôlei, como a atleta de esportes coletivos. Também ultrapassou a jogadora de vôlei Fofão, que tinha cinco participações e igualou o feito do iatista Torben Grael, o mesa-tenista Hugo Hoyama e o cavaleiro Rodrigo Pessoa como os atletas que mais participaram pelo Brasil.

Publicidade

14. Ane Marcelle dos Santos, que bateu uma marca que durava desde 1980 e recolocou o nome do Brasil entre os dez melhores do tiro com arco em Olimpíadas.

Quinn Rooney / Getty Images

Com a nona posição atingida, Ana se tornou a mais bem colocada atleta do Brasil na modalidade. O feito anterior era de Renato Emílio, nos jogos de Moscou. E por pouco ela não se classificou para a disputa de medalha.

15. Caio Bonfim conseguiu o maior resultado da história do Brasil ao ficar em quarto na marcha atlética.

Ryan Pierse / Getty Images

A cinco segundos do bronze, Caio deu ao Brasil o melhor resultado já conquistado na marcha atlética com um quarto lugar muito comemorado.

16. Poliana Okimoto confirmou o Brasil como top 3 da maratona aquática mundial.

Buda Mendes / Getty Images

Embora esta modalidade tenha se tornado olímpica apenas em 2008, o Brasil já conquistou sua primeira medalha – de bronze – com Poliana. No mundial do ano passado, o Brasil já tinha sido bronze com Ana Marcela (que também nadou no Rio 2016) e com o resultado de Poliana confirmou o Brasil como um dos gigantes da modalidade.

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss